Notícias

 
(Crédito: Shutterstock.com)

 

Já imaginou se você pudesse criticar o seu chefe sem correr o risco de ser demitido? No animação do estúdio Pixar isso é possível graças ao método chamado “Braintrust”. É o que conta o presidente Ed Catmull em entrevista à edição de abril da revista norte-americana Fast Company.

 

Leia também:
» Infográfico: 20 dicas simples para estimular a criatividade
» Infográfico: Raio X de quem tem QI alto
» Confira todas as dicas profissionais da Universia Brasil

 

Fórmula de sucesso da Pixar

 

O Braintrust será tema de livro. Catmull lançará em abril a obra “Creativity.Inc” (ainda sem previsão de lançamento no Brasil), onde narra o que acontece dentro da empresa, a metodologia de trabalho dos funcionários e qual a sua importância do Braintrust para o sucesso da Pixar.

 

Mas, afinal, o que é o Braintrust? Acontece quando produtores, diretores, roteiristas e todos os envolvidos na produção de um filme da Pixar se reúnem para discutir ideias e encontrar a solução de possíveis problemas da produção. Nesses encontros todos podem opinar, sem censura. Para Catmull, somente assim é possível inovar e minimizar a quantidade de erros.

 

A seguir, confira outras características do método:

 

 

1 - Liberdade de expressão

A liberdade de expressão é muito valorizada dentro da Pixar, especialmente por meio do Braintrust. Os funcionários devem se sentir livre para dar opiniões sinceras, fazer críticas e oferecer sugestões sem medo de julgamentos.

 

 

2 - Saber ouvir

Para que a liberdade de expressão funcione, todos devem ouvir o que o outro tem a dizer. Na Pixar, os funcionários são estimulados a ouvir uns aos outros, mesmo quando não concordam com as ideias. Afinal, é a partir dessa comunicação clara e sincera que melhorias podem ser feitas.

 

 

3 - Contato direto

Com o Braintrust é possível encontrar os diretores de um filme, por exemplo, e explicar as dificuldades das filmagens. É normal produtores e diretores se envolverem com a história a ponto de não enxergarem mais os problemas do roteiro. No Braintrust é possível mostrar o que não é possível e propor novidades.

 

 

4 - Sem autoridade

Dar sugestões ou criticar as ideias do seu chefe poderia ser perigoso em outro ambiente, mas não no Braintrust. Uma das regras das reuniões é a ausência de autoridade, facilitando a comunicação entre todos os presentes. Cabe aos diretores recebem as sugestões e encaminhá-las da melhor forma.

 

 

5 - Diferenciar ideias de idealizadores

Talvez você esteja pensando que ouvir críticas não é nada fácil e, portanto, os idealizadores devem se sentir chateados nos Braintrusts. Na verdade, isso não acontece: a ideia das reuniões é analisar as propostas, não os seus criadores. Por isso, os envolvidos não sentem qualquer tipo de pressão que possa barrar sua criatividade.

 

 



Tags:
Comentar

Comentários

    Ver mais 20 resultados

    Comente

    Ver mais

    Entrevistas com professores

    Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.