Thursday :: 25 / 12 / 2014

AdemásNotícias | Arte por dia | Enem 2014 | Livros grátis | Cadastre-se | MAPA DEL SITIO

Noticia

Sistema ´inteligente` no auxílio à produção marítima de petróleo

Tese de Mestrado de Karina Pereira Motta Franco


ImprimirImprimirEnviar a un amigo Enviar



Título: Desenvolvimento de um sistema inteligente para auxiliar a escolha de um sistema para a produção no mar

Karina Pereira Motta Franco, autora da tese
Autora: Karina Pereira Motta Franco, 24 anos, graduada em Física pela Unesp (Universidade Estadual Paulista) em Bauru, defendeu a tese de mestrado na UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas), sobre o desenvolvimento de um novo sistema para auxiliar a escolha de um sistema de produção no mar.

Objetivo: Propor um ambiente "inteligente" para auxiliar o processo de escolha dentre alternativas do projeto de sistemas marítimos para a produção de petróleo, baseado em informações disponíveis na literatura e também do conhecimento especializado, sobre procedimentos técnicos e ambientais na produção de um campo de óleo e gás. O intuito da estudante era desenvolver um sistema novo que facilitasse o trabalho dos engenheiros no desenvolvimento de campos petrolíferos tornando seu diagnóstico mais rápido e eficiente.

Tempo de elaboração: 29 meses, de 2001 a 2003.

Processo de elaboração: Por intermédio de um professor de graduação do curso de física da Unesp, a estudante ficou sabendo que existia um mestrado específico na UNICAMP sobre petróleo e decidiu se inscrever. Em 2001, ela iniciou as disciplinas na área de petróleo, mas não sabia ainda em que iria focalizar sua tese de mestrado. Somente após ter concluído as matérias, a escolha do desenvolvimento do sistema de produção no mar ficou mais evidente.

Ainda em 2001, Karina começou um processo de pesquisa bibliográfica, durante o quel coletou dados de todos os trabalhos que propõem uma metodologia para a escolha de um sistema marítimo. Entretanto, como o objetivo era desenvolver um novo sistema, não foi encontrado nenhum trabalho nesse sentido. Dessa forma, o processo de criação do projeto foi totalmente desenvolvido a partir do zero. Para a realização desse projeto, a pesquisadora definiu a parte bibliográfica como peça fundamental, já que era necessário fazer uma avaliação dos parâmetros existentes para a construção do sistema.

Em seguida, a pesquisadora desenvolveu uma base de casos que são utilizados nos testes após a implementação do sistema. No total, foram estudados cerca de 34 campos que foram ou estão sendo desenvolvidos em várias regiões do mundo, entre eles: Golfo do México, Mar do Norte e Brasil, onde constam os parâmetros que influenciam o desenvolvimento de um sistema marítimo para a produção de petróleo.

A partir da conclusão de todas as pesquisas bibliográficas e da base de casos para a constatação dos parâmetros é que foi iniciada a construção e desenvolvimento do sistema inteligente. Karina reforçou o fato de não ter direcionado o sistema para apenas uma localização, mas sim, ter procurado abordar todas as diferenças existentes nos campos do mundo todo, para criar um sistema eficiente que englobasse todas as regiões.

Aplicação prática: O desenvolvimento do sistema inteligente pode fornecer um método mais fácil e ágil como auxílio aos engenheiros da área na escolha de um sistema marítimo para a produção de petróleo.

O que pretende fazer agora: A física pretende fazer o doutorado no mesmo tema com o mesmo orientador (Prof. Celso Kazuyuki Morooka), com o intuito de melhorar os resultados, especificamente o padrão "economia" e também as regras ambientais para esse projeto. Segundo Karina, questões como custos do projeto e legislação ambiental não foram abordadas num primeiro momento, porém, serão os principais objetivos de estudo do doutorado.

A TESE:

Para começar a desenvolver sua tese, Karina procurou observar os parâmetros utilizados para a construção de um sistema marítimo de produção de petróleo. Segundo ela, os investimentos iniciais para o desenvolvimento de campos petrolíferos no mar estão cada vez maiores e as alterações nas decisões tomadas referentes a um novo projeto estão com menor flexibilidade devido às descobertas de campos localizados em lâminas d`água cada vez mais profundas. "O risco relacionado com o desenvolvimento desses campos é causado pela necessidade de tomar decisões num ambiente de incertezas, nesse sentido, o sistema que desenvolvi facilita a tomada de decisões em diferentes campos de produção", afirma.

SUMáRIO
Leia aqui o resumo da tese em
Português
Inglês

Com base nos dados bibliográficos coletados, na experiência dos professores especializados na área e no trabalho observado, foi possível criar o sistema inteligente. Karina define o sistema inteligente como um sistema que "raciocina" e analisa as principais situações de um sistema marítimo para a produção de petróleo de forma muito mais ágil e prática do que a utilizada atualmente. "A partir do conhecimento embutido nesse sistema existe uma redução significativa no tempo de avaliação do campo que, hoje, pode levar meses antes do início da execução do projeto", declara.

A física explica que o processo de coleta de informações foi muito importante, pois a partir da base de dados foi elaborado um projeto único para todas as UEP (Unidades Estacionárias de Produção) - tecnologia preparada para extrair o petróleo do fundo do mar. "As partes que integram o sistema podem variar de acordo com o local onde serão instalados. Isso ocorre devido a fatores que influenciam na fixação desses equipamentos, assim como, a lâmina dïágua, o tipo de embarcação empregada e outros. Com essas informações o projeto pôde ser desenvolvido de forma abrangente".

Em continuidade ao processo de elaboração do sistema, Karina precisou observar os trabalhos aplicados nas bacias de produção. No entanto, ela conta que, como não foi possível visitar unidades estacionárias de petróleo, a maioria das percepções foram tiradas de material impresso das empresas como, por exemplo, a Petrobrás e também, pesquisas feitas na internet. "Como tínhamos muito trabalho para desenvolver, não havia tempo hábil destinado às visitas. Além disso, conhecer uma unidade estacionária não é fácil, exige um certo comprometimento e também, existe uma dificuldade por questões de segurança", conta. Apesar disso, Karina diz que pretende visitar uma UEP, principalmente, uma unidade flutuante.

Entre as principais bacias estudadas para o desenvolvimento do projeto estão os campos do Golfo do México (EUA), bacia de campos (Brasil), como também no Mar do Norte. No geral, as bacias trabalham com diferentes tipos de unidades estacionárias, dependendo da característica de cada campo avaliada durante o planejamento do sistema marítimo. Existem UEPs que trabalham com unidades estacionárias fixas e flutuantes ao mesmo tempo. Segundo Karina, as diferenças na escolha de cada sistema de produção estão diretamente ligadas aos aspectos técnicos, econômicos, ambientais e políticos. "Esses aspectos são os maiores responsáveis pela dificuldade na definição de um sistema marítimo porque influenciam diretamente no planejamento de cada unidade estacionária", explica.

Ilustração representativa de um sistema marítimo de produção

A partir da obtenção das informações relacionadas a um novo campo, Karina pôde iniciar o desenvolvimento do projeto, em cinco diferentes etapas: planejamento, seleção, execução, operação e abandono. No sistema inteligente, o planejamento se inicia logo após a descoberta de petróleo em uma determinada região, (considerando que haja um bom volume de óleo existente). "Para que seja desenvolvido um campo de petróleo, antes de tudo, deve-se saber se existe jazida em uma determinada região e, principalmente, deve-se buscar informações sobre o tipo e a quantidade de óleo existente no local verificando se o desenvolvimento do projeto é economicamente viável", conta Karina.

Após o processo de planejamento, vários cenários são projetados para que na próxima etapa possam ser selecionados. Segundo a física, estas seleções podem ser alteradas até que finalmente haja uma definição absoluta de qual cenário deverá entrar em execução e operação. Por fim, o campo deve ser abandonado após seus anos de vida útil em operação.

Conclusões:

Com o término do projeto em Junho deste ano, Karina testou o sistema inteligente em caráter experimental e afirmou ter obtido um índice de 90% de concordância em casos reais. Além disso, pôde apresentar seu projeto no II Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento, que ocorreu entre os dias 15 e 18 de junho deste ano no Rio de Janeiro.

A mestre chegou a inúmeras conclusões, entre elas, a eficiência do projeto no auxílio às decisões do desenvolvimento de um sistema marítimo e a agilidade no diagnóstico dos principais parâmetros para a escolha do sistema. "Com a finalização do sistema, pude perceber a importância do projeto. Nesse sentido, pretendo continuar desenvolvendo e aperfeiçoando o sistema inteligente em meu doutorado, além de incluir questões como alternativas de preservação ambiental, já que, este ponto, têm se tornado cada vez mais importante quando se trata da evolução de novas tecnologias envolvidas com o meio ambiente", encerra.







RSS   


Comentarios para esta noticia

 

Suscríbete a nuestro boletín de noticias


Publicidad

Publicidad