Aviso de cookies

Por meio de cookies próprios e de terceiros, coletamos informações para fornecer melhores serviços a todos os usuários. Compilamos informações estatísticas sobre a sua navegação para mostrar uma publicidade que tenha relevância com seus hábitos de navegação. Sempre que quiser, poderá desativar os cookies do seu browser. Se continuar navegando, consideramos que aceita os termos da política de utilização de cookies.

text.compare.title

text.compare.empty.header

Atualidade universitária

Verificou-se o impacto do Código de Trânsito Brasileiro no comportamento das pessoas, buscando-se os fatores que influenciam o motorista a se conformar ou violar as regras de trânsito: se devido a uma maior severidade das leis, visto que com o novo código, infrações foram tipificadas como crime, como o crime de lesão corporal culposa na direção de veículo automotor, ou se devido à certeza na punição, ou ainda se isto se deu porque as pessoas internalizaram a nova norma. O procedimento para realização de coleta de dados usado foi o de amostragem por cotas; assim, foram escolhidos dois grupos diferentes de motoristas para serem entrevistados, um motoristas infratores, e outro de motoristas não infratores junto à Delegacia Especializada de Acidentes de Veículos no período de janeiro a junho de 2003, em Belo Horizonte. Estes grupos foram submetidos a entrevistas onde se questionou: a) o comportamento das pessoas antes e após a implantação do novo código, observando-se as variáveis conhecimento, aquiescência e internalização das leis de trânsito e das sanções; percepção da rigorosidade das leis; severidade e certeza na punição; b) controle social informal: conformação às normas de trânsito, observando-se as variáveis aprovação ou reprovação pessoal; desejo por aprovação dos outros; reprovação ao comportamento de outros motoristas e internalização de normas. Apesar dos motoristas serem aquiescentes às leis e terem internalizado as normas, e visto que já fazem mais de 5 anos que o atual Código de Trânsito entrou em vigor, ainda não decresceu consideravelmente o número de crimes de trânsito porque, como comprovou-se este estudo, os condutores desobedecem as regras porque não as conhecem; ou as conhecem, mas não as compreendem e, portanto, são incapazes de segui-las, ou as conhecem e não as cumprem inadvertidamente, ou ainda porque simplesmente escolhem desobedecê-las, de acordo com a oportunidade e a recompensa da ocasião.

  • Fonte:


Tags:
Comentar

Comentários

    Ver mais 20 resultados

    Comente

    Ver mais