Notícias

Você não é uma máquina: cuidado com o estresse na faculdade

      

A rápida sequência atravessada desde o colegial, passando pelo período dos vestibulares e chegando ao início da faculdade muitas vezes chega a tirar o fôlego. Uma série de compromissos e desafios passa a fazer parte da rotina, tornando o estresse um problema comum e poderoso.

 

Confira atitudes para reduzir o estresse nos estudos para o vestibular

 

O seu desempenho acadêmico é importante, mas não pode entrar como obstáculo para uma boa saúde. Leia as nossas recomendações e tome muito cuidado com o estresse na faculdade.

 

O estresse é silencioso

Você está se sentindo sobrecarregado, com medo de não dar conta dos seus afazeres? Sente seu corpo respondendo mal aos seus pensamentos? Tome muito cuidado. O estresse muitas vezes se instala de maneira silenciosa, mas os resultados envolvem danos consideráveis.

Problemas como obesidade, depressão relacionada à ansiedade, dores de cabeça, reumatismo, complicações estomacais, envelhecimento precoce e vários outros podem ser originados do estresse.

 

O estresse é cíclico

O estresse é uma armadilha: o esgotamento mental e emocional gera mais esgotamento ainda, num ciclo bastante perigoso. É certo que isso não é fácil, porém o segredo é conseguir notar o ponto no qual você passa a aumentar o sentimento e isolá-lo, clareando seus pensamentos e evitando a expansão do estresse.

Alguns exercícios de relaxamento também são bem vindos. Técnicas de respiração completa (não apenas a bucal), caminhadas, músicas relaxantes. Todo tipo de incentivo a um estado mais calmo deve ser considerado.

 

Descubra músicas para ouvir na hora de estudar

 

Atividades saudáveis

O melhor remédio sempre é procurar o bem estar de todas as maneiras possíveis. Procure socializar com os seus colegas e amigos mais próximos. Esteja junto das pessoas de que gosta e as procure caso esteja em um momento de crise – isso fortalece os laços e estabelece confiança mútua.

Atividades físicas também são um poderoso recurso. Exercícios aeróbicos de intensidade, por exemplo, geram hormônios bastante relevantes no combate dos sintomas do estresse. A alimentação também é determinante: a ingestão de comidas gordurosas ou frituras deve ser drasticamente reduzida.

Não despreze o valor de uma boa noite de sono. Durma, no mínimo, sete horas por noite e tenha a certeza de sair de casa descansado, com a mente preparada para as atividades do dia.

 

*

Não hesite em pedir ajuda. Muitas instituições e universidades possuem centros próprios que fornecem suporte psicológico aos seus alunos. Fazer terapia também pode ser uma solução. Tome muito cuidado com o estresse na faculdadee conheça os seus limites.



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.