Aviso de cookies

Por meio de cookies próprios e de terceiros, coletamos informações para fornecer melhores serviços a todos os usuários. Compilamos informações estatísticas sobre a sua navegação para mostrar uma publicidade que tenha relevância com seus hábitos de navegação. Sempre que quiser, poderá desativar os cookies do seu browser. Se continuar navegando, consideramos que aceita os termos da política de utilização de cookies.

text.compare.title

text.compare.empty.header

Atualidade universitária

 
(Crédito: TatianaPopova / Shutterstock.com)

 

A língua portuguesa, assim como qualquer outra língua, tem variações na hora de se expressar. Há situações em que fala-se e escreve-se formal e informalmente. Uma redação adequada aos padrões que serão levados em conta pelo corretor estará sempre na norma culta.

 

Em geral, o aluno erra por não se adequar ao padrão da redação, que é na forma escrita e formal. Um e-mail, por exemplo, é escrito na forma escrita, obviamente, e informal. "Na maioria das vezes, o aluno faz essa distinção naturalmente, mas o problema é quando ele escreve achando que está sendo formal e não está", esclarece o doutor em letras e professor de redação da Faculdade Cásper LíberoWelington Andrade.

 

Ou seja, o registro, seleção linguística a certo ouvinte e finalidade, é algo que deve ser levado em conta sempre pelo candidato. No entanto, e com certeza muitos de vocês devem concordar, está cada vez mais difícil para o jovem escrever formalmente. Mas por quê?

 

 



Tags:
Comentar

Comentários

    Ver mais 20 resultados

    Comente

    Ver mais