Aviso de cookies

Por meio de cookies próprios e de terceiros, coletamos informações para fornecer melhores serviços a todos os usuários. Compilamos informações estatísticas sobre a sua navegação para mostrar uma publicidade que tenha relevância com seus hábitos de navegação. Sempre que quiser, poderá desativar os cookies do seu browser. Se continuar navegando, consideramos que aceita os termos da política de utilização de cookies.

text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

 
(Crédito: Piotr Marcinski / Shutterstock.com)

 

Há clichês para praticamente qualquer assunto. Por exemplo, sobre leitura, o grande clichê é: quanto mais você ler, melhor você escreverá. Isto não é verdade. Como já ensinamos o que é um clichê, trabalharemos o tema da leitura a partir deste clichê.

 

Primeiro, qualquer um sem grandes conhecimentos técnicos sobre leitura diria isso. Portanto, é um senso-comum. Segundo, não é verdade, pois, para escrever bem deve-se ler publicações de qualidade. Um fenômeno editorial, por exemplo, tem diversas marcas de oralidade e, normalmente, não acrescenta culturalmente.

 

"A comunicação de massa consagra a escrita inculta e informal. Isso não é totalmente ruim, mas atrapalha na intimidade do jovem com o padrão formal da redação", comenta o doutor em letras e professor de redação da Faculdade Cásper LíberoWelington Andrade. Logo, não é quantidade, mas sim a qualidade. Se o aluno só ler comunicação em massa, mesmo que em grande quantidade, seu texto não será culto e formal, como se pede nas redações.

 

Para Andrade, "não é ler muito, mas sim, ler bem para se escrever bem." Fuja um pouco dos fenômenos editoriais e meios de comunicação em massa. Leia mais literatura, filosofia, teatro, sociologia. É a boa leitura que te diferenciará dos outros candidatos.

 

 



Tags:
Comentar

Comentários

    Ver mais 20 resultados

    Comente

    Ver mais