Aviso de cookies

Por meio de cookies próprios e de terceiros, coletamos informações para fornecer melhores serviços a todos os usuários. Compilamos informações estatísticas sobre a sua navegação para mostrar uma publicidade que tenha relevância com seus hábitos de navegação. Sempre que quiser, poderá desativar os cookies do seu browser. Se continuar navegando, consideramos que aceita os termos da política de utilização de cookies.

text.compare.title

text.compare.empty.header

Atualidade universitária

 

Segundo o doutor em letras e professor de redação da Faculdade Cásper LíberoWelington Andrade "escrever bem é difícil porque os estudantes não estão acostumados com o registro formal da língua." Ou seja, em geral, o que o jovem lê e escuta não está no padrão em que as redações devem estar.

 

"Os meios de comunicação em massa contribuem para isso. Provavelmente, o que os jovens mais leem está na internet e muito deste conteúdo está no registro informal. Como pode um jovem que só está acostumado com este tipo de linguagem escrever diferente?"

 

Não é que a internet seja vilã. Ela, assim como a televisão, rádio e outros meios de comunicação reflete a sociedade em que estamos. É necessário que o estudante "nade contra a maré" às vezes e procure textos mais formais. "Você escreve o que lê. Se você lê mal, escreve mal e vice-versa", finaliza Andrade.

 

 



Tags:
Comentar

Comentários

    Ver mais 20 resultados

    Comente

    Ver mais