Sunday :: 23 / 11 / 2014

MaisNotícias | Arte por dia | Enem 2014 | Livros grátis | Cadastre-se | MAPA DO SITE

Noticia

Chat com Toninho Macedo

Confira a íntegra do bate-papo sobre Folclore.


ImprimirImprimirEnviar a un amigo Enviar

Moderador Universia

Moderador Universia: Boa tarde. Começa agora o Chat Universia que traz como convidado Toninho Macedo, doutor em Comunicação pela Eca-USP e Diretor Artístico do Revelando SP e Abaçaí Cultura e Arte. O tema do Chat Universia de hoje é: Folclore.

Lúcia: Em sua opinião, qual é a importância do folclore na cultura de uma região?

Toninho Macedo: O folclore sempre revela aspectos da identidade das comunidades.

Cadu pulando a fogueira: Boa tarde. O Senhor acha que a cada ano que passa as pessoas estão deixando de lado o folclore e as tradições mais antigas?

Toninho Macedo:  Não acredito nisto. Pessoalmente coordeno o maior evento cultural do estado, que contempla a cultura tradicional, e leva ao PAB 300 mil pessoas.

Clara:  Oi Toninho, o que é o Revelando SP?

Toninho Macedo: Clara,o Revelando São Paulo é um grande festival. Acontece anualmente, no Parque da água Branca, reunindo os mais diversos aspectos do Folclore de São Paulo.

Paçoca: Olá professor. A mídia prejudica as festas?

Toninho Macedo: Paçoca, nós estamos buscando um outro status:Que a mídia divulgue o que estamos promovendo; mas não permitimos interferência.

Paçoca: Quais são as origens das festas juninas?

Toninho Macedo: Paçoca, Ainda no período medieval a Igreja buscou substituir as festas pagãs, cristianizando-as. Nos períodos do solstício e do equinócio, introduziu a festa de São João, o precursor , e do nascimento de Jesus.O Ciclo festivo é pois Joanino.

Moderador Universia:Toninho Macedo é licenciado em Letras Neo-Latinas, ramo Francês, pelas Faculdades Ciências Anchieta - SP; especialista em Análise Semântica Sincrônica - PUC/SP .

Laila: Toninho, você não acha que estamos muito influenciados pela cultura norte-americana, o que pode acabar "minando" a cultura nacional - como já o faz?

Toninho Macedo: Laila, este sem dúvida é um elemento dificultador. Mas o melhor antídoto, ainda é divulgarmos o que é nosso.Sem Xenofobia.

Moderador Universia: Toninho Macedo foi assessor para os assuntos de Folclore e Cultura Popular da Fundação Cultural Cassiano Ricardo/São José dos Campos de 1990 a 1996.

Moderador Universia: Criador e Diretor do Abaçaí Cultura e Arte ( até 1976 Grupo Trama ) - que há 26 anos preocupa-se com a descentralização das atividades culturais nas ruas e praças públicas

Lúcia E como o senhor acredita que seja possível não permitir a interferência da mídia?

Toninho Macedo: Lúcia, não permitimos apresentações, no palco de nomes midiáticos. Estes quando vão ao festival-e vão,viu!- o fazem como público. No palco, só nossos foliões e artista tradicionais.

Moderador Universia: Criador e Diretor Artístico do Balé Folclórico de São Bernardo do Campo - Grupo Zanzalá, e sua versão infantil - Grupo Zanzalinho, a pedido do Departamento de Cultura. ( 90/93 )

Moderador Universia: Criador e Diretor Artístico do Balé Folclórico e do Balé Folclórico Juvenil de Sergipe - Secretaria de Estado da Cultura de Sergipe (desde 1995)

Carlos: Toninho, não está havendo uma espécie de "aculturamento" das expressões populares tradicionais com sua massificação?

Toninho Macedo: Carlos, Em alguns casos , sim.O cuidado que temos tido é procurar trazer para o contato com o público paulistano, somente os chamados"produtores" tradicionais, com todo respeito ao que eles mesmos fazem.

Moderador Universia: Toninho Macedo é autor dos seguintes artigos:

Instrumentos artesanais para pesca. Revista Artesanais de América. Quito - Equador: 1995.
Decifra - me, antes que eu te devore I e II. Esfera. São José dos Campos: 1993.

Cadu pulando a fogueira: O senhor não acha que muitas festas só sobrevivem hoje pois se transformaram em festas comerciais, deixando a tradição de lado?

Toninho Macedo: Cadu, se você se refere às quermesses dos clubes e igrejas, sem dúvida, incluindo as festas de peão. Mas temos centenas de festas, inclusive dentro da Cidade de São Paulo nos padrões do que Peter Burk chama de "Festas que o povo se dá"

Bruna: Mas não é bom poder divulgar, através da TV ou Rádio, os movimentos folclóricos, uma vez que estão cada vez mais "escondidos"?

Toninho Macedo: Bruna, sem dúvida. ? o que buscamos fazer.As televisões registram, fazem matérias.Nossos foliões e moçambiqueiros ficam felizes e com a auto-estima lá em cima. Só temos tomado cuidado para não haver um "massacre midiático"

Moderador Universia: Toninho Macedo tem os seguintes livros publicados:
Azeite de Mamona: Um Ancestral Recurso. São José dos Campos : Fundação Cultural Cassiano Ricardo, 1987

Carlos: Mas não é justamente a grande mídia que faz a "aculturação", transformando algumas expressões originais em megãspetáculos ou produções dento de um padrão "mais palatável"?

Toninho Macedo: Carlos, respondo pelo que faço: no nosso caso, não temos feito concessões. Neste grande encontro da cultura paulista tradicional," mantemos um pé "no funcionamento ritual e o outro num tempo "de evento".A fórmula tem dado certo.

Carlos: Isso é muito bacana, pois preserva nossas origens. Obrigado

Bruna: Quais são as grandes festas do folclore paulista?

Toninho Macedo: Bruna, Acredito que as mais difusas e suntuosas sejam as festas do Divino. São muitas, muitas mesmo em nosso Estado.Depois delas os encontros de Folias de Reis.Você já ouviu falar em Folias de Reis.

Toninho Macedo: Bruna, são folguedos, com música, dança, personagens, de cunho religioso, que, durante o ciclo de natal refazem , simbolicamente, a viagem dos Reis Magos a Belém.

Moderador Universia: Professor de Folclore - Teoria e Prática de Danças - do curso profissionalizante da Escola de Bailado Nice-Leite (1985-1986)

Professor de Folclore e Expressão Corporal no Curso de Educação Artística da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Bragança Paulista (1986/1987)

Cadu pulando a fogueira: Qual o principal motivo que as pessoas devem ter em mente para não deixar a cultura e o folclore acabarem com o tempo?

Toninho Macedo: Cadu, em primeiro lugar as pessoas fazem, praticam por uma necessidade.De socialização, de responder a uma demanda espiritual, necessidade pura de festar com os amigos.

Moderador Universia:Professor de Danças Folclóricas do curso de Folclore do Museu de Folclore Rossini Tavares de Lima.

Clara: Complementando a pergunta do Cadu, qual a importância do folclore na formação das pessoas?

Moderador Universia:
Estamos encerrando o Chat-Universia de hoje. Agradeço a participação de todos em nosso bate-papo.

Toninho Macedo: A todos que me deram esta honra, também quero agradece.Boa tarde Toninho Macedo





Tags:

Perfil:



RSS   


Comentarios para esta noticia

 

Suscríbete a nuestro boletín de noticias


Publicidad

Publicidad