Aviso de cookies

Por meio de cookies próprios e de terceiros, coletamos informações para fornecer melhores serviços a todos os usuários. Compilamos informações estatísticas sobre a sua navegação para mostrar uma publicidade que tenha relevância com seus hábitos de navegação. Sempre que quiser, poderá desativar os cookies do seu browser. Se continuar navegando, consideramos que aceita os termos da política de utilização de cookies.

text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

 
Moderador Universia

Moderador Universia: Boa tarde. Começa agora o Chat Universia que traz como convidado Toninho Macedo, doutor em Comunicação pela Eca-USP e Diretor Artístico do Revelando SP e Abaçaí Cultura e Arte. O tema do Chat Universia de hoje é: Folclore.

Lúcia: Em sua opinião, qual é a importância do folclore na cultura de uma região?

Toninho Macedo: O folclore sempre revela aspectos da identidade das comunidades.

Cadu pulando a fogueira: Boa tarde. O Senhor acha que a cada ano que passa as pessoas estão deixando de lado o folclore e as tradições mais antigas?

Toninho Macedo:  Não acredito nisto. Pessoalmente coordeno o maior evento cultural do estado, que contempla a cultura tradicional, e leva ao PAB 300 mil pessoas.

Clara:  Oi Toninho, o que é o Revelando SP?

Toninho Macedo: Clara,o Revelando São Paulo é um grande festival. Acontece anualmente, no Parque da água Branca, reunindo os mais diversos aspectos do Folclore de São Paulo.

Paçoca: Olá professor. A mídia prejudica as festas?

Toninho Macedo: Paçoca, nós estamos buscando um outro status:Que a mídia divulgue o que estamos promovendo; mas não permitimos interferência.

Paçoca: Quais são as origens das festas juninas?

Toninho Macedo: Paçoca, Ainda no período medieval a Igreja buscou substituir as festas pagãs, cristianizando-as. Nos períodos do solstício e do equinócio, introduziu a festa de São João, o precursor , e do nascimento de Jesus.O Ciclo festivo é pois Joanino.

Moderador Universia:Toninho Macedo é licenciado em Letras Neo-Latinas, ramo Francês, pelas Faculdades Ciências Anchieta - SP; especialista em Análise Semântica Sincrônica - PUC/SP .

Laila: Toninho, você não acha que estamos muito influenciados pela cultura norte-americana, o que pode acabar "minando" a cultura nacional - como já o faz?

Toninho Macedo: Laila, este sem dúvida é um elemento dificultador. Mas o melhor antídoto, ainda é divulgarmos o que é nosso.Sem Xenofobia.

Moderador Universia: Toninho Macedo foi assessor para os assuntos de Folclore e Cultura Popular da Fundação Cultural Cassiano Ricardo/São José dos Campos de 1990 a 1996.

Moderador Universia: Criador e Diretor do Abaçaí Cultura e Arte ( até 1976 Grupo Trama ) - que há 26 anos preocupa-se com a descentralização das atividades culturais nas ruas e praças públicas

Lúcia E como o senhor acredita que seja possível não permitir a interferência da mídia?

Toninho Macedo: Lúcia, não permitimos apresentações, no palco de nomes midiáticos. Estes quando vão ao festival-e vão,viu!- o fazem como público. No palco, só nossos foliões e artista tradicionais.

Moderador Universia: Criador e Diretor Artístico do Balé Folclórico de São Bernardo do Campo - Grupo Zanzalá, e sua versão infantil - Grupo Zanzalinho, a pedido do Departamento de Cultura. ( 90/93 )

Moderador Universia: Criador e Diretor Artístico do Balé Folclórico e do Balé Folclórico Juvenil de Sergipe - Secretaria de Estado da Cultura de Sergipe (desde 1995)

Carlos: Toninho, não está havendo uma espécie de "aculturamento" das expressões populares tradicionais com sua massificação?

Toninho Macedo: Carlos, Em alguns casos , sim.O cuidado que temos tido é procurar trazer para o contato com o público paulistano, somente os chamados"produtores" tradicionais, com todo respeito ao que eles mesmos fazem.

Moderador Universia: Toninho Macedo é autor dos seguintes artigos:

Instrumentos artesanais para pesca. Revista Artesanais de América. Quito - Equador: 1995.
Decifra - me, antes que eu te devore I e II. Esfera. São José dos Campos: 1993.

Cadu pulando a fogueira: O senhor não acha que muitas festas só sobrevivem hoje pois se transformaram em festas comerciais, deixando a tradição de lado?

Toninho Macedo: Cadu, se você se refere às quermesses dos clubes e igrejas, sem dúvida, incluindo as festas de peão. Mas temos centenas de festas, inclusive dentro da Cidade de São Paulo nos padrões do que Peter Burk chama de "Festas que o povo se dá"

Bruna: Mas não é bom poder divulgar, através da TV ou Rádio, os movimentos folclóricos, uma vez que estão cada vez mais "escondidos"?

Toninho Macedo: Bruna, sem dúvida. ? o que buscamos fazer.As televisões registram, fazem matérias.Nossos foliões e moçambiqueiros ficam felizes e com a auto-estima lá em cima. Só temos tomado cuidado para não haver um "massacre midiático"

Moderador Universia: Toninho Macedo tem os seguintes livros publicados:
Azeite de Mamona: Um Ancestral Recurso. São José dos Campos : Fundação Cultural Cassiano Ricardo, 1987

Carlos: Mas não é justamente a grande mídia que faz a "aculturação", transformando algumas expressões originais em megãspetáculos ou produções dento de um padrão "mais palatável"?

Toninho Macedo: Carlos, respondo pelo que faço: no nosso caso, não temos feito concessões. Neste grande encontro da cultura paulista tradicional," mantemos um pé "no funcionamento ritual e o outro num tempo "de evento".A fórmula tem dado certo.

Carlos: Isso é muito bacana, pois preserva nossas origens. Obrigado

Bruna: Quais são as grandes festas do folclore paulista?

Toninho Macedo: Bruna, Acredito que as mais difusas e suntuosas sejam as festas do Divino. São muitas, muitas mesmo em nosso Estado.Depois delas os encontros de Folias de Reis.Você já ouviu falar em Folias de Reis.

Toninho Macedo: Bruna, são folguedos, com música, dança, personagens, de cunho religioso, que, durante o ciclo de natal refazem , simbolicamente, a viagem dos Reis Magos a Belém.

Moderador Universia: Professor de Folclore - Teoria e Prática de Danças - do curso profissionalizante da Escola de Bailado Nice-Leite (1985-1986)

Professor de Folclore e Expressão Corporal no Curso de Educação Artística da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Bragança Paulista (1986/1987)

Cadu pulando a fogueira: Qual o principal motivo que as pessoas devem ter em mente para não deixar a cultura e o folclore acabarem com o tempo?

Toninho Macedo: Cadu, em primeiro lugar as pessoas fazem, praticam por uma necessidade.De socialização, de responder a uma demanda espiritual, necessidade pura de festar com os amigos.

Moderador Universia:Professor de Danças Folclóricas do curso de Folclore do Museu de Folclore Rossini Tavares de Lima.

Clara: Complementando a pergunta do Cadu, qual a importância do folclore na formação das pessoas?

Moderador Universia:
Estamos encerrando o Chat-Universia de hoje. Agradeço a participação de todos em nosso bate-papo.

Toninho Macedo: A todos que me deram esta honra, também quero agradece.Boa tarde Toninho Macedo

  • Fonte:


Tags:
Comentar

Comentários

    Ver mais 20 resultados

    Comente

    Ver mais