Tuesday :: 29 / 07 / 2014

TambémNotícias | Arte por dia | Enem 2014 | Livros grátis | Cadastre-se | MAPA DO SITE

Noticia

Propaganda, a alma do negócio!

Fique por dentro de uma das profissões mais disputadas nos vestibulares do país todo e saiba quais são as tendências para o futuro


ImprimirImprimirEnviar a un amigo EnviarPDFPDF

Cercada por glamour, a Publicidade é uma das profissões que mais exerce fascínio nas pessoas. Sob os holofotes da fama, tem sido uma área muito procurada pelos jovens que buscam ingressar no mercado de trabalho. Só que cada vez mais os publicitários têm se deparado com uma difícil realidade: a pouca oferta de vagas e a grande demanda de candidatos. "O mercado publicitário mudou muito. Há dez ou vinte anos, a concorrência era forte entre os empresários. Hoje, quem disputa o mercado são os funcionários", explica o diretor nacional do curso de graduação em Comunicação da ESPM (Escola superior de Propaganda e Marketing), Luiz Fernando Garcia.

Na visão de Garcia, outro viés da área é a busca incessante dos publicitários por uma vaga nas agências de publicidade, enquanto existem diversos outros nichos de mercado em constante crescimento que poderiam ser explorados por eles. "Há uma ilusão de que a Publicidade acontece apenas nas agências e exclusivamente na área de criação, mas essa não é a realidade", destaca.

Garcia diz ainda que a criatividade do publicitário pode ser empregada tanto em outros segmentos de uma agência como mídia, atendimento e rádio e tv, por exemplo, como em empresas que tenham a necessidade de profissionais que desempenhem funções relacionadas ao marketing e relacionamento. "O mercado da propaganda está caindo porque as pessoas só conseguem enxergar como opção a agência grande que faz propaganda para passar na televisão, quando poderiam enxergar o negócio como um todo, ou seja, empresas, fornecedores, agências de comunicação, assessorias e consultorias", ressalta.

Apesar deste cenário complicado, Garcia afirma que a Publicidade conta ainda com muito espaço para se desenvolver. Segundo ele, uma das soluções para evitar a estagnação e promover a ascensão da área, é a expansão do mercado publicitário para outras regiões do país, principalmente fora do eixo Rio - São Paulo. "A Publicidade no Brasil ainda é mal distribuída. Existem diversas regiões, além da Sudeste, onde a profissão é carente de profissionais talentosos e competentes", finaliza.

Confira abaixo os motivos que levaram um vestibulando, um graduando e um profissional a escolher a profissão de publicitário:

Idade: 19 anos

Onde estuda: Cursinho da Poli
Patrícia dos Santos Sueza
Idade: 20 anos

Onde estuda: Unip (Universidade Paulista)
Cayto Trivellato
Idade: 50 anos

Profissão: Diretor de Mídia da Agência de publicidade Nortwest, graduado em Publicidade pela ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing)
Marcos de Carvalho Braga
Vestibulando - Por que escolheu a profissão?
Escolhi a publicidade porque sempre achei que a criatividade que é desenvolvida na área tivesse a ver comigo. Além disso, a publicidade conta com um mercado amplo onde poderei atuar em segmentos distintos, apesar de ter o interesse de trabalhar com criação.
Graduando - Por que escolheu a profissão?
Eu escolhi a profissão mais por causa de meu pai que era empresário e tinha idéias que envolviam estratégias de marketing. Por intermédio dele, consegui uma oportunidade na empresa de um amigo onde acabei aprendendo muito e me apaixonando pela área.
Profissional - Por que escolheu a profissão?
Na realidade, eu queria trabalhar em Publicidade, mas na área de cinema e fotografia. Quando comecei a trabalhar em uma produtora percebi que não era minha vocação, então fui estudar e achei que a área de planejamento, pesquisa e mídia tinham mais o meu perfil. Acabei conseguindo entrar e ficar em Mídia. Foi a parte que deu certo.
Vestibulando - O que espera do curso?
Espero que o curso me dê conhecimento suficiente para que eu possa me tornar uma boa profissional.
Graduando - O curso corresponde às suas expectativas?
Na verdade não, eu acho que nos cursos de Publicidade em geral você tem uma visão muito ampla do que é a profissão, porém quando você ingressa no mercado de trabalho, percebe que é uma área muito segmentada e que o curso não te preparou o suficiente para o campo em que você pretende atuar. Ao menos para mim, acho que o curso de rádio e tv, ligado à minha área de atuação poderia ter sido uma opção melhor.
Profissional - O curso correspondeu às suas expectativas?
Correspondeu. Foi super importante ter feito o curso. Apesar de já trabalhar em agência, (já era Mídia na época), foi superimportante sim, adquiri muito conhecimento.
Vestibulando - Quanto espera ganhar depois de formada?
Acredito que depois de formada, dependendo da área de atuação, a remuneração pode girar em torno de R$1.000,00.
Graduando - Quanto espera ganhar depois de formado?
Depois de formado tenho a expectativa de ganhar em torno de R$3.000,00, não apenas pela formação universitária, mas pelo tempo de casa, já que, ao menos aqui, o fato de fazer o curso de Publicidade não foi o diferencial para minha contratação.
Profissional - Quanto ganha?
Minha remuneração é de um diretor de mídia de uma agência de médio porte. Na verdade, a faixa salarial é muito variável, por exemplo, o responsável por um departamento de mídia de uma agência de grande porte recebe um salário expressivo, acima de 10 ou 15 mil reais, às vezes até mais. Em agências pequenas, a faixa salarial de um diretor de mídia é de R$2.000,00 ou R$3.000,00. Meu salário é um salário médio, do tamanho da agência em que trabalho. Além disso, é importante ressaltar que os diretores de mídia das grandes agências também desempenham funções executivas e, portanto, que exigem mais responsabilidade e participação, por isso, a remuneração precisa ser maior.
Vestibulando - O que acha que vai encontrar de melhor na profissão?
Um dos fatores mais legais deve ser o fato de conhecer muita gente ligada à televisão, comunicação e mídia.
Graduando - O que acha que vai encontrar de melhor na profissão?
Uma das coisas mais positivas da profissão é a possibilidade de estar em contato com pessoas de diferentes áreas, exercer a função de comunicação, conquistar seus clientes e, acima de tudo, aprender com as pessoas com quem você se relaciona.
Profissional - O que acha de melhor na profissão?
A coisa mais gratificante da profissão é participar do processo de atendimento ao cliente e acompanhar o seu crescimento e projeção no mercado. Além disso, ver a realização de suas campanhas e conseguir sucesso no seu trabalho também é muito gratificante.
Vestibulando - O que você acha que vai encontrar de pior na profissão?
Acho que o mais difícil é conseguir ingressar no mercado de trabalho que está cada vez mais competitivo e seletivo, principalmente porque é uma área em que indicação e contatos contam muito.
Graduando - O que você acha que vai encontrar de pior na profissão?
Acho que a questão de ingressar no mercado continua sendo a maior dificuldade. O mercado publicitário, apesar de não estar restrito apenas à agência e à criação, é muito disputado. Além disso, é uma profissão onde às vezes sua rede de contatos e a indicação de pessoas conhecidas conta muito mais do que o currículo.
Profissional - O que você acha de pior na profissão?
Eu acho que hoje tem coisas muito ruins em nossa profissão, como por exemplo, o mercado de trabalho achatado. Tem muita gente querendo entrar e é um mercado muito difícil, não depende só do talento, mas de oportunidades.
Vestibulando - Que análise você faz da profissão no Brasil?
Nosso país está em terceiro lugar no mundo em termos de publicidade. As agências daqui são muito boas. Além disso, o brasileiro em si é muito criativo, há determinadas idéias que a gente está levando para fora e disputando grandes clientes, inclusive com agências de Publicidade de grande porte no exterior. Sem dúvida, a criatividade brasileira é um grande diferencial.
Graduando - Que análise você faz da profissão no Brasil?
Acho fenomenal, muito legal, vital para a economia do país e das empresas. Acho que a Publicidade é uma área que nunca vai morrer e estará sempre expansão. Apesar de ter muito profissional disponível, também há um Brasil inteiro para ser explorado e trabalhado.
Profissional - Que análise você faz da profissão no Brasil?
Acho que é um mercado desafiador, gostoso de trabalhar pois você participa ativamente da economia do país. Embora o ingresso na área esteja complicado, acho que para quem gosta realmente vale a pena investir.
Vestibulando - Que dica você daria a estudantes que estão em dúvida entre Medicina e outras áreas?
Conhecer a universidade, saber mais sobre o curso, pesquisar sobre a área em que se pretende trabalhar é muito importante. Essas medidas podem evitar que, futuramente, a pessoa venha a sofrer uma decepção com a profissão que escolheu.
Graduando - Que dica você daria aos estudantes interessados em Medicina?
Procurar se inteirar da profissão, estagiar na área o quanto antes. Mesmo que seja um estágio não-remunerado, já vale a experiência, para saber se sua decisão está sendo correta ou não.
Profissional - Que dica você daria aos alunos interessados nesta profissão?
Acho que antes de prestar vestibular, os interessados em publicidade deveriam estudar o que é a profissão. Geralmente o jovem pensa em criação porque desenha muito bem ou porque sonha em fazer anúncios, mas se esquece de que há todo um processo para a execução deste trabalho, onde sua criatividade também pode ser bem empregada, como por exemplo, a área de marketing, mídia ou atendimento. Além disso, os jovens ingressam na universidade muito mal preparados, sem saber o que vão estudar e isso, na minha opinião, deveria sofrer uma mudança.







RSS   


Comentarios para esta noticia

 

Publicidad

Publicidad