Friday :: 31 / 10 / 2014

MaisNotícias | Arte por dia | Enem 2014 | Livros grátis | Cadastre-se | MAPA DO SITE

Noticia

Fique atento para as atualidades no vestibular

Com o avanço dos meios de comunicação, instituições aproveitam a democratização da informação para incluir nos processos seletivos questões sobre temas da atualidade. Contextualização histórica é a melhor maneira para encarar essas perguntas


ImprimirImprimirEnviar a un amigo Enviar

Por Renato Marques

Para quem está se preparando para o vestibular, falar em leitura de jornais pode parecer apenas um peso a mais em meio à rotina estafante. Livros de Química, Física, Matemática, Literatura e outros já tomam bastante tempo de quem não vê a hora de terminar logo com a ansiedade pelo fim do processo seletivo. Mas fique atento. Cada vez mais as instituições têm incluído nos programas dos exames as chamadas "atualidades", com base no noticiário dos jornais.

Desta forma, temas recorrentes no dia-a-dia dos estudantes voltam à baila em questões no vestibular. No entanto, essas questões são incluídas no exame com um enfoque mais amplo, retomando o contexto histórico-geográfico do tema. "Desta forma, o aluno passa a procurar uma fundamentação nas notícias de jornais. E isso faz com que o jornal se torne também um veículo de aprendizagem, de enriquecimento da cultura", explica o supervisor de geografia do Sistema Anglo de Ensino, Reinaldo Scalzaretto.

Clique aqui para ver alguns temas da atualidade que podem cair nos vestibulares de verão

Para o professor de história do cursinho Chama, mantido por ex-alunos da UFRGS (Universidade Federal do Rio de Janeiro), Edér Alberto Tavares, essa nova exigência é fruto da evolução dos próprios meios de comunicação. "A comunicação evoluiu bastante e de uma forma rápida. Por isso, o aluno tem que estar ligado nas atualidades e não apenas se prender à sala de aula", afirma. "Nos últimos cinco anos, tem aumentado o número de questões desse tipo nas provas da UFRGS."

Se você já se deparou com uma questão dessas pela frente em um vestibular ou mesmo em um simulado, sabe bem do que estamos falando. Por mais que tenha visto os telejornais ou mesmo lido em revistas, não consegue encontrar a resposta para a pergunta da prova. "Para o aluno poder interpretar a notícia, precisa ter conhecimento histórico e geográfico. ? justamente por isso, aliás, que os estudantes têm dificuldades para ler jornais. Porque não conhecem os antecedentes que fundamentam aquele texto", explica Scalzaretto.

Embora possa parecer um contra-senso recomendar o estudo de História e Geografia para responder a perguntas de atualidades, é preciso que os alunos tenham plena consciência de que o mais importante é a contextualização. Principalmente se a prova for discursiva, o que exige um forte exercício de argumentação. Nestes casos, compreender as razões que levaram determinado conflito ao contexto atual é mais importante do que simplesmente decorar nomes de locais, personagens e datas.

"As provas de segunda fase, por exemplo, envolvem esse tipo de visão da notícia. O aluno precisa conseguir fazer uma referência histórico-geográfica do acontecimento", acrescenta Scalzaretto. "A redação do Enem, por exemplo, estava fundamentada em assuntos histórico-geográficos (clique para conhecer o tema da redação do Enem 2004). ? claro que, em alguns casos, as redações são absolutamente literárias, mas muitas vezes são dissertações que partem de informações mais completas. Neste caso, a leitura do jornal também ajuda a ambientar o estudante neste tipo de linguagem."

Para enfrentar essas provas, não é preciso uma preparação especifíca que tome meses de leitura. Vale apenas complementar seus estudos de História e Geo-política com a leitura de jornais. "Eu oriento os alunos para que busquem absorver o máximo de informações possíveis. ? claro que nem todos podem ficar ligados em todos os meios de comunicação, alguns nem têm acesso à internet", afirma Tavares. "Mas falo para eles sempre tentarem ver algum jornal, mesmo se for aquele que está nas bancas para tentar ver o que pode ser extraído."





Tags:

Perfil:

Área de la ciencia:



RSS   


Comentarios para esta noticia

 

Suscríbete a nuestro boletín de noticias


Publicidad

Publicidad