• Quem é você?

Notícias

Filhas da Unicamp Actminds completa um ano com exportações de R$ 23 milhões

      
Criado em abril de 2004, o consórcio Actminds formado por 10 empresas de TI da Região de Campinas, inclusive "filhas da Unicamp", conseguiu atingir seu objetivo principal: estreitar as relações comerciais com o mercado norte-americano e japonês.

A união das empresas no consórcio alavancou os negócios que somaram R$ 23,9 milhões em exportações e oito novos contratos. A expectativa do ActMinds para 2005 é o incremento de 26 % nas exportações de software, o equivalente a R$ 30,1 milhões. A proposta de criação do ActMinds também foi apresentada ao reitor Carlos Henrique de Brito Cruz , que apoiou a iniciativa. A apresentação destes resultados acontece nesta sexta-feira, às 16 horas, no auditório do Departamento Geral da Administração (DGA) da Unicamp.

O reitor da Unicamp, Brito Cruz e o presidente da APEX, Juan Manoel Quiroz, estarão no evento. De acordo com o Núcleo Softex Campinas, os serviços de outsourcing (desenvolvimento de projetos utilizando recursos externos) para o mercado norte-americano representaram as principais ações durante o primeiro ano de atividades, seguido pela venda de soluções de apoio a Consumer Electronics, Telecom Equipments e prospecção em HCM (Human Capital Management) e Internet Security. Boa parte dos negócios fechados pelo consórcio Actminds, que apresenta-se nos EUA como uma joint venture, foram decorrentes da ativa participação em feiras e eventos nos EUA: 12 no total.

As empresas que integram o Actminds já possuem estruturas de negócios nos Estados Unidos e Japão, agora pretendem incrementar as exportações também através do São Paulo Business Center, recentemente inaugurado em Miami, pelo governador Geraldo Alckmin. Integram o Actminds as empresas: BluePex, Ci&T, FITEC, HST, IPS, Matera, Prógonos, Programmers, SER, Teledesign. Juntas, essas empresas possuem uma receita total R$ 70,2 milhões e empregam uase 1100 funcionários. Muitos destes profissionais graduaram-se na Unicamp e algumas das empresas foram fundadas por ex-alunos da própria universidade.

A meta do grupo é fechar 10 novos contratos em 2005 e gerar mais 150 novos empregos, tendo como principal mercado os EUA. "Entre os principais diferenciais do Actminds estão a soma do grande potencial tecnológico das empresas da região de Campinas, o foco nos mercados de atuação e o acompanhamento detalhado de todo o processo", afirma Leonardo Mattiazzi, diretor da Ci&T. "A certificação CMM é imprescindível para concorrermos no mercado externo - já temos o nível 3 e deveremos obter o nível 4 até o final do ano.", complementa Mattiazzi. CMM é uma certificação concedida pela Software Engeneering Institute (SEI), da Universidade Carnegie Mellon (EUA), que mede o grau de maturidade no processo de desenvolvimento de software.

"O desafio é fortalecer a marca Brasil e demonstrar aos norte-americanos e ao mundo nossa estrutura, maturidade, e competência tecnológica que fazemos nas empresas brasileiras. O retorno tem sido excelente", diz César Gon, diretor presidente da Ci&T. O Actminds conta com a parceria do Núcleo Softex Campinas, APEX-Brasil, CNPq e Unicamp.

Fonte: Unicamp
  • Fonte:


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.