Aviso de cookies

Por meio de cookies próprios e de terceiros, coletamos informações para fornecer melhores serviços a todos os usuários. Compilamos informações estatísticas sobre a sua navegação para mostrar uma publicidade que tenha relevância com seus hábitos de navegação. Sempre que quiser, poderá desativar os cookies do seu browser. Se continuar navegando, consideramos que aceita os termos da política de utilização de cookies.

text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

 

Por Lilian Burgardt

Quando se fala em dinossauros, certamente a imagem que vem à sua cabeça está relacionada aos temidos e ferozes tiranossauros e também aos mansos brontossaurus, herbívoros pescoçudos, ambas as espécies retratadas no filme Jurassic Park, de Steven Spielberg. No entanto, o que muita gente não sabe é que estes animais, típicos da América do Norte e Europa, tinham parentes próximos bem aqui, na América do Sul, especialmente no Brasil.

? o que mostra a exposição permanente do Museu de Zoologia da USP (Universidade de São Paulo) "A evolução do Vôo", que traz ao público modelos e réplicas fiéis de importantes dinos que viveram na América do Sul entre 70 e 120 milhões de anos, ainda no período Cretáceo.

Para que nossos usuários pudessem voltar no tempo e conhecer um pouco da vida destes monstros jurássicos sem sair de casa, o Universia Brasil preparou um passeio virtual pela mostra, que você pode visitar clicando na imagem abaixo.

Entre as espécies, estão em exposição uma réplica do esqueleto do Carnotauro, parente próximo do T-Rex, que viveu na Patagônia Argentina, uma reprodução do Velocirraptor, dinoussauro que ao ser retratado no filme Jurassic Park ganhou características aterrorizantes para amendrontar o público. E, ainda, espécies como o Pterossauro, que erroneamente é associado, especialmente pelas crianças, como ancestral das aves.

Sob curadoria do diretor do Museu de Zoologia da USP, Carlos Roberto Brandão, e do Paleontólogo Hussan El Dini Zaher, a exposição chamada de "A evolução do Vôo" inicia no período Cretáceo, a partir dos dinossauros, justamente para desmistificar este pensamento. Isto porque, ao contrário do que se imagina, nossas aves não evoluíram dos Pterossauros, mas, sim, dos dinossauros terrestres.

Tanto é que, na mostra, a réplica do Velocirraptor já aparece com penas. Além disso, a exposição traz a reprodução de um fóssil do Arqueopterix, dinossauro que apresentava penas e asas, sendo considerado por especialistas uma das espécies com características bastante comuns aos répteis e às aves.

Serviço*:

Exposição "A evolução do Vôo" - Museu de Zoologia da USP (Universidade de São Paulo) -Avenida Nazaré, 481 - Ipiranga - São Paulo - SP.
Tel: (11) 6165-8100
Endereço eletrônico: www.mz.usp.br
Horário: de terça a domingo, das 10h às 17h
Ingresso: R$ 2 (grátis para escolas públicas mediante agendamento e para visitantes menores de 6 anos e acima de 60; estudantes pagam meia-entrada).

* Informações sujeitas a alterações

  • Fonte:


Tags:
Comentar

Comentários

    Ver mais 20 resultados

    Comente

    Ver mais