Wednesday :: 17 / 09 / 2014

TambémNotícias | Arte por dia | Enem 2014 | Livros grátis | Cadastre-se | MAPA DO SITE

Noticia

Paulo Freire

Preocupação estética e pedagogia sob a ótica do oprimido marcam a teoria transformadora do educador


ImprimirImprimirEnviar a un amigo EnviarPDFPDF

Biografia

Natural de Recife, Pernambuco, Paulo Freire é considerado um dos maiores educadores do século XX. No início da década de 1960, montou, no Estado de Pernambuco, um plano de alfabetização de adultos que serviu de base ao desenvolvimento do que se denominou Método Paulo Freire de alfabetização popular, reconhecido internacionalmente. Durante o regime militar, trabalhou fora do Brasil.

Com a anistia, na década de 1980, retornou ao país, tendo dirigido a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo durante a administração de Luíza Erundina (1988-1992). Destacou-se por seu trabalho na área da educação popular, voltada tanto para a escolarização como para a formação da consciência social. Ainda hoje é considerado por muitos como uma das autoridades mais marcantes da história da pedagogia mundial.

Entre suas obras, destacam-se: Alfabetização e conscientização; Educação como prática da liberdade; Pedagogia do oprimido; Os cristãos e a libertação dos oprimidos; Consciência e História: a práxis educativa; Ideologia e Educação: reflexões sobre a não neutralidade da Educação; e Cultura popular, Educação popular.

Fonte: Wikipedia.org e "Coleção grandes educadores" - coletânea em VHS da Editora Paulus.

Paulo Freire: cientista da emoção

"Um dos maiores pensadores do século XX" ou "aquele que abriu as portas para uma educação transformadora" são apenas alguns dos títulos dados a Paulo Freire. ? possível que, durante os anos da graduação em Pedagogia, muito você tenha ouvido ou mesmo visto em sala de aula sobre esta ilustre figura da educação. Porém você sabe o papel que ele exerceu na busca de uma sociedade mais humana e igualitária?

Segundo especialistas, é justamente isso que torna Paulo Freire tão especial para o ensino e a aprendizagem, inclusive em âmbito internacional. Como cientista social, destaca-se sua incansável luta para explicar a realidade social e sua influência sobre a educação, despertando nas pessoas o desejo de transformá-la. "Ele não elaborou uma teoria cientificamente neutra, mas sim `molhada de emoçãoï", destaca o professor e coordenador do Unifreire (Movimento Universitas Paulo Freire) do Instituto Paulo Freire, Jason Mafra.

Essa alta carga de emoção, para Mafra, está intrínseca no trabalho de Paulo Freire, pois ele sabia que para provocar a mudança não bastam ferramentas adequadas, mas a paixão pela transformação, o que só é possível quando são mobilizados os sentimentos das pessoas. Por isso, os textos de Paulo Freire têm uma profunda preocupação estética. Ele tenta fazer ciência com poesia. "Che Guevara também acreditava nisso, e dizia que o verdadeiro revolucionário é movido por grandes sentimentos de amor", compara o especialista.

Conexão vida e obra

Em parte, esta bandeira de transformação do cenário da educação levantada por Freire está muito ligada ao cenário de opressão, de miséria e fome que ele viveu na infância, em Recife, após a morte de seu pai. Ele procurava relacionar suas idéias com sua história de vida e com a história de outras pessoas. Em inúmeros momentos ele recupera essa experiência. "Mas em nenhum momento ele aborda as classes oprimidas de forma paternalista ou como vítima, mas pelo potencial revolucionário que existe nelas", explica Mafra.

Toda a obra de Freire é uma pedagogia do oprimido e não para o oprimido. Ela não é apenas uma opção ética de Freire, mas uma certeza epistemológica. Em outras palavras, Freire diz que os caminhos que levam à superação das situações de opressão só podem nascer da experiência e da ótica dos oprimidos.

Sob este aspecto, as contribuições de Freire na educação vão desde a alfabetização até as produções acadêmicas no campo da pesquisa e do ensino. Um dos núcleos centrais da pedagogia de Freire está na recuperação e explicitação do que ocorre essencialmente no processo de ensino & aprendizagem. "Ao demonstrar que ninguém educa ninguém e ninguém se educa a si mesmo - visto que a educação só acontece no encontro dialético entre mulheres e homens mediatizados por uma dada realidade - Freire propõe a superação da `educação bancáriaï, reprodutora e opressora, pela `educação dialógicaï, transformadora e libertadora", encerra o professor.

As dezenas de obras de Freire comportam uma complexidade temática que, por sua vez, remetem-se à pedagogia do oprimido. Especificamente para educadores, são indispensáveis os seguintes títulos:







RSS   


Comentarios para esta noticia

 

Publicidad

Publicidad