Aviso de cookies

Por meio de cookies próprios e de terceiros, coletamos informações para fornecer melhores serviços a todos os usuários. Compilamos informações estatísticas sobre a sua navegação para mostrar uma publicidade que tenha relevância com seus hábitos de navegação. Sempre que quiser, poderá desativar os cookies do seu browser. Se continuar navegando, consideramos que aceita os termos da política de utilização de cookies.

text.compare.title

text.compare.empty.header

Atualidade universitária

Para viajar a um país de língua inglesa não basta carregar um dicionário debaixo do braço. Se lembrar de alguma expressão que aprendeu na aula de inglês e usá-la em qualquer situação também não é a melhor forma de se comunicar no exterior. Nem sempre se pode utilizar a mesma expressão em uma ciddã turística e em um hotel de luxo. O coordenador do CCBEU (Centro Cultural Brasil-Estados Unidos) de Campinas, Henry Grant, dá algumas orientações para os turistas desenferrujarem o inglês e não cometerem gafes.

  • Ser formal ou informal?

Normalmente nas viagens turísticas o diálogo pode ser mais informal, permitindo o uso de gírias ou expressões coloquiais. Interjeições muito comuns que podem expressar admiração por um ponto turístico como "absolutely awesome!" , ?Wow!" ou "What a view!" são bem aceitas. Porém são expressões que podem ser usadas apenas na comunicação oral e não na escrita.ÿ

  • Cumprimentos

Na hora de cumprimentar deve-se observar o ambiente e o grau de intimidade que o turista tem com o interlocutor. Se o hóspede disser ao funcionário de um hotel "hey man, what?s up?" ou "hi there" e tiver intimidade suficiente vai passar a imagem de ser uma pessoa comunicativa e informal. Por outro lado, se o hóspede for se dirigir ao gerente ou outra pessoa com cargo de autoridade deve ter uma postura mais formal. Se utilizar uma expressão mais informal pode se passar por espaçoso e inadequado. Para não errar o "good morning" é a melhor opção em situações formais.ÿ

  • Abordagem

Se o turista precisar de uma informação ou ajuda e precisar interromper o que uma pessoa estiver fazendo é aconselhável que se adote a linguagem um pouco mais formal para ela não fugir do contato. Se precisar pedir informação a um pedestre na rua, por exemplo, pode dizer "I wonder if you could help me? Could you tell me where the Metropolitan museum is?". Assim o turista mostra ao pedestre que é educado e não oferece perigo. Já a maneira mais informal, como "Which way?s the Metropolitan museum?" pode assustar o informante e provavelmente deixará o turista sem resposta. Usar uma frase longa demais também não é recomendável. Dizer "Excuse me, I hope you don?t mind my asking but could you possibly tell me the way to the Metropolitam museum" pode soar pedante.

  • Situações

O importante é adequar o tom aos seus objetivos e ao interlocutor. Como regra geral é recomendável o turista usar termos mais neutros em viagens. Em locais mais simples e informais a utilização de linguagem mais neutra complementada com expressões coloquiais é de bom tom. Já em hotéis mais luxuosos a linguagem formal seria mais adequada à cultura do local para manter a imagem de sofisticação. Porém, se o turista estiver em um bar trocando histórias pessoais termos mais informais como "you know something" ou "guess what" são mais apropriados.ÿ

  • Inglês dos Estados Unidos X Inglês da Inglaterra

Pequenas diferenças entre o inglês norte-americano e o britânico podem mudar o sentido de uma expressão. Por exemplo, a expressão "What?s up" nos Estados Unidos é usada para dizer "tudo bem?". Já na Inglaterra o termo é entendido como "qual é o problema?". A expressão "I was pissed" em inglês norte-americano indica que a pessoa ficou zangada. O britânico diria "I was pissed off". Se ele diz apenas "I was pissed" traz o significado informal de ter se urinado. Entre homens na Inglaterra em situações informais é possível ouvir expressões como "bloody" ou "shitty" (que são ofensivas). Mas utilizá-las em um ambiente de pessoas religiosas ou preocupadas com a precisão da linguagem pode ser desrespeitoso. Nos Estados Unidos em situações semelhantes a palavra "shit" é muito usada, como podemos ver em filmes, mas deve ser evitada na presença de pessoas mais refinadas.ÿ

Portanto para não cometer gafes é aconselhável evitar linguagem chula. A palavra "rubber" também provoca muita confusão. Nos dois países ela compreende a palavra "borracha". A borracha que se usa para apagar erros no caderno é chamada nos Estados Unidos de "eraser". Lá "rubber" é um apelido para preservativo. Já no inglês britânico a borracha escolar é chamada de "rubber". Um engano com essas palavras pode provocar risos ou constrangimento.ÿ

  • Falsos cognatos

Mais conhecidas como "falsos amigos" são palavras que tem escritas semelhantes em português e inglês, mas seus significados são completamente diferentes. A palavra "liquidate", por exemplo, não é uma liquidação de loja. "Liquidate" significa decretar falência de uma empresa e "liquidator" é a pessoa responsável por esse processo. Liquidação de loja é "sale" e liquidificador é "blender". Para liquidar um assunto a expressão mais utilizada é "put an end to this discussion". Se o turista quer ir a uma loja deve procurar por "store" ou "department store" e não por "magazine" que em inglês significa revista. Se for pedir um bife peça um "steak" e não um "beef". Se for à farmácia diga que precisa de algo para "cold" porque se disser "gripe" estará comprando remédio para a árvore Chorão.ÿ

O coordenador do CCBEU, Henry Grant, lembra ainda que falar rápido para demonstrar fluência sem dominar o idioma prejudica muito o diálogo. Os erros e a fala rápida dificultam o entendimento. Traduzir as frases ao pé da letra também é um erro. O turista pode dizer "catch a ball in the air" (pegar a bola no ar), mas deve falar "pick them up at the airport" (pegar eles no ãroporto). "Comunicar é preciso. Não deixe de fazer por medo de errar, mas se você acertar no tom e nas palavras é muito melhor", conclui Grant.ÿ

Fonte: Assessoria de imprensa do Centro Cultural Brasil-Estados Unidos

  • Fonte:


Tags:
Comentar

Comentários

    Ver mais 20 resultados

    Comente

    Ver mais