Notícias

Dicas para conseguir um estágio mesmo sem experiência

      
(Crédito: Dreamstime/Divulgação)
(Crédito: Dreamstime/Divulgação)

 

O que vai ser da minha carreira? Essa é uma pergunta que tira o sono de muitos universitários sem experiência prática na profissão às vésperas de terminar o curso superior. Imagine a situação: você estuda para o vestibular, passa naquele curso concorrido que sempre quis, mas ao término da graduação, fica sem emprego porque não estagiou.

 

» 26 universidades federais vão adotar o ENEM 2011; Veja a lista!
» Inscrição no ENEM exige CPF para evitar falsificações; Entenda!
» Lápis e borracha estão proibidos na prova do Enem 2011
» Universia Livros: Mais de 200 livros para baixar grátis
» Siga o Universia Brasil no Twitter

 

É verdade que ter essa experiência prática logo nos primeiros semestres da faculdade abre portas no mercado de trabalho, porém, se a oportunidade não apareceu ou você não pôde aproveitá-la no tempo certo, não se desespere! Use todas as atividades com resultados positivos, dentro e fora dos muros da universidade, para se “vender” e conseguir uma vaga.

 

Se você está às vésperas de se formar e ainda não estagiou, uma alternativa que vem crescendo segundo a professora de Recursos Humanos do Ibmec, Marta Demattos, é negociar prazo para essa atividade com a empresa em que você já trabalha. “Algumas empresas liberam para o estágio na própria empresa, para isso é necessário negociar e deixar claro que a função precisa ser relacionada com profissão e não uma extensão das tarefas do dia a dia.”

 

Entre escolher um estágio no último período e aguardar seis meses para participar de um programa de trainee, fique com a primeira opção. Uma experiência (ainda que breve) já serve de “bagagem” na hora de montar um currículo e chamar a atenção do recrutador, mesmo quando este profissional estiver diante de vários pedidos de emprego. Afinal, uma vivência bem aproveitada vale mais do que duas sem qualidade. Daí para frente é com você. Uma vez em frente ao recrutador, dê o melhor de si, valorizando suas ações.

 

Portanto, seja otimista! Caso você ainda não tenha tido uma experiência boa, não pense que seu currículo não tem solução e por isso você está fadado ao desemprego ou a trabalhar em outra área. Basta parar por alguns minutos e recordar o que foi feito de relevante ao longo do curso e da vida. Quem teve iniciativa, participou de atividades extracurriculares na universidade e não ficou parado não pode ficar longe do mundo corporativo. Na entrevista, liste sua participação no grêmio estudantil, em trabalhos voluntários, empresa júnior, iniciação científica e em trabalhos acadêmicos feitos de maneira profissional.

 

DICA: Quem está ás vésperas de se formar, tem um tema “quente” nas mãos. O projeto de conclusão de curso - geralmente prático para testar sua capacidade de se inserir no mercado de trabalho - pode abrir portas. Diante do recrutador, detalhe sua participação e os resultados obtidos na tarefa executada, assim ele poderá avaliar sua habilidade de tomada de decisão, iniciativa e preocupação com o meio.

 

Valorize sua formação. Não deixe de falar dos cursos que realizou - extensão universitária, técnicos, informática e idiomas. O estudante ou recém-formado deve mostrar-se antenado com o mundo. Seja esperto, vincule suas competências à empresa e demonstre iniciativa e entusiasmo. Use a vivência em outros empregos para mostrar o quanto você entende da dinâmica do ambiente corporativo. Seguindo essas dicas, você diminui a desvantagem com os mais experientes e fica mais próximo da vaga.

 

Comece agora mesmo!

 

Os candidatos ficaram assustados com queda da oferta de estágios há dois anos, quando a Lei do Estágio foi aprovada. Em princípio, o Nube (Núcleo Brasileiro de Estágios) registrou cerca de 50% menos vagas, porém o mercado aquecido afastou o fantasma da substituição de dois estagiários por um recém-formado. Seleções aparecem durante todo o ano, portanto, aí vai mais uma dica: não deixe para depois, comece o quanto antes a procurar uma oportunidade.

 

Além da experiência na área, o universitário pode testar se aquele é o caminho que pretende trilhar pelos próximos anos. “Nem todo mundo que começa um estágio vai até o fim. Esta também é uma fase de encontrar outras aplicações da profissão”, analisa a gerente de Treinamento do Nube, Carmen Alonso.

 

Bolsa auxílio não é o maior benefício desse período. Entender o funcionamento da empresa é importante para a formação do profissional. Carmem lembra que essa “é a oportunidade de aprender a respeitar a hierarquia, treinar habilidades de comunicação e conhecer políticas corporativas”. Criar uma rede de contatos para a carreira toda é outra vantagem do estágio. Portanto, não fique aí parado, crie um currículo e corra atrás das oportunidades. Ou você acha que ela vai cair no seu colo?

 

7 Dicas para não ficar no prejuízo:

 

1) Faça estágio em qualquer período do curso

2) Negocie estágio na empresa em que você trabalha

3) Aproveite a oportunidade e absorva o máximo de conhecimento

4) Liste suas experiências no grêmio, em trabalho voluntário e empresa júnior

5) Detalhe sua participação no resultado obtido nessas vivências

6) Vincule suas competências à empresa

7) Demonstre iniciativa e entusiasmo

 



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.