• Quem é você?

Notícias

Para não morrer, menino de 7 anos é proibido de rir

      
(Crédito: Reprodução Daily Mail)
(Crédito: Reprodução Daily Mail)

 

Um menino com uma condição rara cardíaca foi proibido de rir porque sua risada poderia desencadear um ataque cardíaco fatal. Bradley Burhouse, 7 anos, tem um ritmo cardíaco perigosamente alto. Ele recebeu ordem dos médicos para manter a calma e garantir que o seu coração não bata mais rápido, informou o Daily Mail.

 

» Cientistas criam plasma sanguíneo com arroz geneticamente modificado
» Conheça o carro movido a água
» QI elevado aumenta propensão ao consumo de drogas

 

O menino foi diagnosticado com taquicardia ventricular depois que ele entrou em colapso no início deste ano. A condição é rara em crianças, e significa que sua frequência cardíaca de repouso é de 120 a 200 batimentos por minuto - pelo menos duas vezes mais rápido que o de uma pessoa normal. Ele não tem permissão nem para jogar bola com seus irmãos Jack, 14 anos, e Dalton, 12, e irmã de Maddison, 6.

 

Taquicardia ventricular é causada por problemas nos sinais elétricos das câmaras inferiores do coração conhecidas como ventrículos. Estes substituem a taxa normal e o ritmo do coração, fazendo os ventrículos se contraírem mais rápido que o normal. Isso faz com o coração bombeie sangue com mais rapidez, e os ventrículos fiquem sem tempo suficiente para se encher adequadamente com sangue.

 

A doença pode ser corrigida com o uso de comprimidos ou uma operação, mas no caso de algumas crianças ela pode ser fatal. Se a condição piora o coração pode entrar em fibrilação ventricular, onde o cérebro e os músculos param de receber sangue do coração.

 

A mãe do garoto, Toni Burhouse, 34, disse que Bradley entrou em colapso e foi levado às pressas para o hospital em maio deste ano, depois de jogar bola e brincar com seu irmão. No momento, ele não pode fazer qualquer exercício físico e tem ordens para ficar em casa jogando PlayStation. A condição é incomum em crianças e geralmente ocorre em pacientes mais idosos que sofreram um ataque cardíaco.

 

 



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.