Aviso de cookies

Por meio de cookies próprios e de terceiros, coletamos informações para fornecer melhores serviços a todos os usuários. Compilamos informações estatísticas sobre a sua navegação para mostrar uma publicidade que tenha relevância com seus hábitos de navegação. Sempre que quiser, poderá desativar os cookies do seu browser. Se continuar navegando, consideramos que aceita os termos da política de utilização de cookies.

text.compare.title

text.compare.empty.header

Atualidade universitária

 
(Crédito: Paula Albuquerque/Divulgação)

 

No final de semana fomos ao zoológico de Adelaide, mais conhecido por ser o lar dos dois pandas chineses Wang Wang, o mocinho, e Funi, a mocinha, os únicos pandas no Hemisfério Sul. Eles são realmente lindos, e quando fomos visitá-los, eles estavam comendo seus galhos de bambu juntos. Normalmente cada um fica no seu ambiente, e de uns meses pra cá, o zoo tem os colocado para conviver durante algumas horas do dia.

 

 

» Diário de Bordo Adelaide: Dia 10


» Diário de bordo 9 - As cidades próximas


» Mais Diário de bordo Adelaide por Paula Albuquerque

 

Da China para este calor australiano: Wang Wang e Funi estavam mortos de preguiça, pobrezinhos! Satisfizeram a curiosidade dos visitantes do zoo, "posaram" para algumas fotos e logo voltaram para sua sala climatizada. Pois é, o acordo feito com o governo chinês para receber os pandas por aqui foi ter um ambiente adequado para os bichinhos. Aqui eles têm uma área com temperatura de 20 graus, vejam só!

 

Animais exóticos, como o matschie's tree kangaroo, da Nova Guiné, e a anta da Malásia, um bicho solitário, grande, preto e branco, ou comuns na Austrália, como os lindos e multi coloridos cockatoos, os leões marinhos e alguns divertidos macacos, se avizinham nos muitos metros quatrados do zoológico.

 

O zoo é um ótimo passeio para toda a família. Para os pequenos, foi construído o Children's zoo, onde cangurus e quokkas (um bichinho pequeno e muito simpático, que também vem comer na nossa mão e parece um mini canguru) circulam livremente e podem receber cafunés dos meninos e meninas que passam por lá. Na entrada, uma linda pintura do famoso artista aborígene Bluey Roberts (1948 - ), da tribo Ngarrindjeri, retratando um enorme canguru.

 

See ya!
Paula Albuquerque

 

 



Tags:
Comentar

Comentários

    Ver mais 20 resultados

    Comente

    Ver mais