Aviso de cookies

Por meio de cookies próprios e de terceiros, coletamos informações para fornecer melhores serviços a todos os usuários. Compilamos informações estatísticas sobre a sua navegação para mostrar uma publicidade que tenha relevância com seus hábitos de navegação. Sempre que quiser, poderá desativar os cookies do seu browser. Se continuar navegando, consideramos que aceita os termos da política de utilização de cookies.

text.compare.title

text.compare.empty.header

Atualidade universitária

 
(Crédito: Paula Albuquerque/Divulgação)

 

No dia 26 de janeiro se comemora o Australia Day, dia oficial da fundação da Austrália, data da chegada dos primeiros navios britânicos em Sydney Cove, em 1788. É feriado nacional e muitos australianos erguem suas bandeiras, se vestem de azul, branco e vermelho e vão às ruas festejar. É uma data polêmica por aqui, principalmente para os aborígenes e seus descendentes, que viviam em território australiano muitos anos antes da chegada do colonizador britânico. Para eles, o Australia Day é chamado de Survival Day ou Invasion Day.

 

 

» Diário de Adelaide: Dia 11


» Diário de bordo Adelaide 10 - o zoo e os pandas


» Mais Diário de bordo Adelaide por Paula Albuquerque

 

A maioria dos australianos em Adelaide assistiu ao jogo de críquete Australia X India (um dos esportes mais queridos por aqui), no estádio Adelaide Oval ou pela televisão, e seguiu para o Elder Park, às margens do Rio Torrens, para assistir à Australia Day Community Parade, reunindo os diferentes grupos de países que hoje vivem na Austrália. Não pude assistir à parade, mas soube que o grupo dos brasileiros fez bonito na avenida! Dança, música, roupas típicas: assim muitos japoneses, indianos, chineses, brasileiros e diversos outros grupos desfilaram e encantaram a plateia.

 

Celebrei meu feriado indo à Christies Beach, praia de água azul esverdeada, repleta de pinheiros e pedrinhas na areia. Vi muitos australianos se reunindo na praia para um barbecue (ou barbie, como manda a slang aussie), com suas sungas, biquinis e bandeiras tricolores.

 

Ao lado da sede do Tandanya, fundação cultural dedidaca à arte e cultura aborígene, celebrou-se o Survival Day e os 40 anos da Aboriginal Tent Embassy, com música, dança e atrações para as crianças (cabe aqui um parênteses: em 1972, três jovens aborígenes ergueram um guarda-sol amarelo no gramado do Parlemento Australiano em Canberra e colocaram uma placa escrita "Aboriginal Embassy", como uma forma de protestar e clamar pela visibilidade às questões indígenas no país. O número de pessoas acampadas aumentou nos meses seguintes e o acampamento foi violentamente desmantelado pela polícia e filmado pelas redes de televisão. A causa foi apoiada por muitos ativistas e grande parte da população em todo o país).

 

Dei uma passada por lá no final da tarde, conferi uma das apresentações musicais da tarde e segui para o Rymill Park, pertinho dali, para onde alguns amigos australianos levaram caixas de som e laptop para celebrar o Australia/Survival Day de um jeito inusitado: dançando ao ar livre por horas a fio. :)

 

No Elder Park, uma multidão assistia aos shows de Jack Bucksin, finalista do Young Australian of the Year, uma espécide de Idols local, e da "princesa do pop" Ricki-Lee. Por volta das 22h, o céu de Adelaide se iluminou e coloriu com os fogos de artifício. Para mim, foi uma sensação bonita de "um novo ano está começando". Meu novo ano começou lindamente aqui na Austrália. 2012, seja muito bem-vindo!

 

XXX,
Paula Albuquerque

 

 



Tags:
Comentar

Comentários

    Ver mais 20 resultados

    Comente

    Ver mais