Saturday :: 25 / 10 / 2014

MaisNotícias | Arte por dia | Enem 2014 | Livros grátis | Cadastre-se | MAPA DO SITE

Noticia : Curiosidades

Descubra o que sua data de aniversário diz sobre você

Diferentes estudos sugerem a ligação entre clima, saúde e o mês em que uma pessoa nasceu. Você tem problemas com seu peso? Então, provavelmente nasceu no inverno


ImprimirImprimirEnviar a un amigo EnviarPDFPDF

(Crédito: Oksana Merzlyakova / Shutterstock.com)

(Crédito: Oksana Merzlyakova / Shutterstock.com)

Centenas de estudos sugerem que o mês em que a pessoa nasce é associado com características como temperamento, longevidade e suscetibilidade à certas doenças

 

Se você não acredita em horóscopos, está em sintonia com a ciência. Mas isso não quer dizer que a estação em que você nasceu não afeta seu destino. Centenas de estudos publicados em revistas revisadas sugerem que o mês em que a pessoa nasce é associado com características como temperamento, longevidade e suscetibilidade a certas doenças.

 

» Maconha faz bem para os pulmões, diz estudo
» Gatorade pode aumentar sua força de vontade, diz estudo
» Pessoas baixas sofrem mais de doenças cardíacas, diz estudo

 

Cientistas dizem que mesmo que algumas dessas pesquisas sejam ilegítimas – se você pesquisar os dados acabará por encontrar correlações feitas por acaso – outros efeitos são muito provavelmente reais, despertados não pelo alinhamento dos planetas, mas por exposições feitas nos períodos pré e pós-natais da vida.

 

Temperatura, luz do sol, alimentos sazonais, infecções de inverno: tudo isso pode afetar o desenvolvimento de um bebê, e consequentemente, seu futuro. Confira a segiuir o que os cientistas descobriram:

 

Pessoas que nascem no inverno:

1) Peso do corpo:

Homens que estejam acima do peso podem ter outra desculpa para sua gordurinha extra. David Phillips, da Universidade de Southampton, na Inglaterra, analisou o peso de 1.750 senhores e descobriu que 13,8% dos homens que haviam nascido nos meses de inverno eram qualificados como obesos, contra apenas 9,4% dos nascidos na primavera.

 

Em mulheres, tendências sazonais são menos aparentes. O pesquisador afirma que a exposição a baixas temperaturas no começo da vida podem promover o desenvolvimento de tecido gorduroso e predispor os bebês nascidos no inverno à obesidade na fase adulta.

 

Estudos feitos em laboratórios sustentam essa teoria: ratos submetidos ao frio antes ou logo depois do nascimento armazenam mais gordura, até mesmo depois que a temperatura aumenta.

 

2) Temperamento:

Um questionário psicológico feito em 2004 realizado por 448 homens e mulheres mostrou que pessoas com idades entre 20 e 45 anos que haviam nascido durante o inverno são mais propensas a serem curiosas, odeiam monotonia e preferem o pára-quedismo ao Sudoku como hobby. O mesmo não aconteceu para aqueles com mais de 45 anos: com essa idade, os nascidos no inverno eram menos interessados em novidades do que os nascidos no verão, sugerindo que eles se estabelecem mais rapidamente.

 

Lars-Göran Nilsson, psicólogo da Universidade de Estocolmo, na Suécia, afirma que, “a estação em que nascemos influência o temperamento dos indivíduos; nós só não sabemos ainda o por que”.

 

Em 2001, o psicólogo publicou um estudo sobre esse tema defendendo a ideia de que isso estaria ligado aos níveis de serotonina e dopamina, substâncias químicas no cérebro que são envolvidas na formação da personalidade. “Durante o ano, a produção dessas substancias varia no corpo da mãe e isso pode afetar o desenvolvimento do feto”, diz Nilsson. Estudos feitos com animais sugerem que essas variações ocorrem devido ao comprimento do dia.

 

3) Esquizofrenia:

Cerca de 1% da população sofre dessa doença mental severa. Porém, entre os nascidos no inverno, essa taxa é maior. Essa observação tem sido feita por pesquisadores desde 1929 e já foi confirmada por mais de 200 estudos. Um destes, publicado em 1999 no New England Journal of Medicine apontou que pessoas nascidas no hemisfério norte no começo de março estavam 11% mais suscetíveis a desenvolver esquizofrenia do que os nascidos no começo de junho ou dezembro.

 

Ao sul do equador, a tendência é revertida. Uma hipótese popular diz que a doença é causada por infecções pré-natais. Alguns pesquisadores apontam as gripes sazonais e outras epidemias como a rubéola, pólio e a difteria que podem afetar o feto durante o primeiro trimestre da gravidez.

 

 

Pessoas que nascem na primavera:


1) Altura:

Segundo Gehard Weber, antropologista da Universidade de Vienna, pessoas que nasceram na primavera costumam ser mais altas. Ele analisou os registros do Exército Federal Austríaco com as medidas de mais de meio milhão de homens, e descobriu que os recrutas mais altos eram nascidos em abril e o mais baixos em outubro (meses da primavera no hemisfério norte).

 

A diferença geral era pequena (0,51 cm), mas mesmo assim, o estudo publicado em 1998 no jornal Nature, tinha significância estatística. Weber especula em seu estudo que o efeito pode ser causado pela concentração do hormônio melatonina, que depende da luz, na concentração do corpo da mãe, o que pode estimular a secreção de hormônios de crescimento.

 

2) Esclerose Múltipla:

Quem nasce na primavera tem um alto risco de sofrer doenças inflamatórias causadas pela combinação de fatores genéticos e ambientais. Estudos afirmam que quanto mais alta a latitude de um país, maiores os índices de Esclerose Múltipla.

 

 

Pessoas que nascem no verão:


1) Hábitos de sono:

Pesquisas mostram que pessoas nascidas nos meses de verão são mais propensas a gostarem mais das tardes do que das manhãs, se comparadas com nascidos no inverno. Um estudo envolvendo 5.720 estudantes europeus, publicado em 2009 pelo jornal Sleep, mostrou que aqueles nascidos em agosto iam dormir 19 minutos depois do que a maioria nascida em dezembro.

 

O autor do estudo, Vicenzo Natale, da Universidade de Bologna, na Itália, diz que os nossos relógios internos são programados quando nascemos e não mudam mais. Segundo o pesquisador, eles funcionariam da seguinte forma: no verão, luz do sol abundante influencia o amadurecimento do relógio circadiano do cérebro, programando-o para dias mais longos. Experimentos feitos com ratos apóiam essa teoria. Porém, essa tendência também é fortemente influenciada por fatores genéticos.

 

2) Canhotos:

Nascidos no verão e na primavera têm maior tendência de serem canhotos. Um estudo publicado em 1994 no jornal Perceptual and Motor Skills, examinou homens alistados no exército francês, jogadores americanos de baseball e dados coletados pelos Estados Unidos no Bureau of the Census e no National Center for Health Statistics.

 

As análises mostraram que 41.2% de todos os canhotos eram nascidos nos cinco meses de março a julho. Maryanne Martin, professora de psicologia da Universidade de Oxford, e Gregory Jones, da Universidade de Warwick, publicaram em 1999 um estudo que confirma esses resultados, mas ainda não é claro por que essa diferença existe. Possíveis fatores incluem variações na nutrição materna, exposição solar, temperatura ou infecções sazonais, como gripes e sarampo, durante o segundo semestre de gravidez.

 

3) Diabetes:

Crianças nascidas no verão são mais propensas a desenvolver Diabetes Tipo 1, na qual o sistema imunológico do corpo mata as células do pâncreas que secretam insulina. Um estudo publicado em 1999, no Archives of Disease in Childhood, feito com crianças suecas, confirmou essa teoria. Entre 1.248 crianças com diabetes, havia 24 pacientes a mais do que o esperado, que haviam nascido no verão. Novamente, a causa pode ser infecções virais: estudos feitos com ratos mostram, por exemplo, que a parotidite infecciosa ou caxumba influenciam o sistema nervoso e podem induzir a diabetes.

 

 

Pessoas que nascem no outono:


1) Tempo de vida:

Se você nasceu no outono, pode ter melhores chances de ter uma vida longa. Um exemplo: um relatório de 2011 do Jounal of Aging Research comparou meses de nascimento de 1.574 centenários americanos – pessoas que viveram até ou mais que 100 anos – e de suas esposas, irmãos e irmãs.

 

“Irmãos de centenários nascidos entre setembro e novembro tem de 30% a 50% mais chances de viver até os 100 anos se comparados aos nascidos em março”, diz Leonid Gavrilov, do Center on the Demography and Economics of Aging, da Unversidade de Chicago, que foi co-autor o estudo com sua mulher, Natalia. Ele aponta para uma variedade de possíveis causas: nutrição materna durante os últimos meses de gravidez, infecções sazonais, temperatura durante o parto e níveis de vitamina D. Todos esses fatores podem influenciar possíveis problemas de saúde posteriormente.

 

2) Alergias:

Estudos japoneses, alemães e escandinavos mostram um grande predomínio de alergias alimentares entre crianças nascidas no outono e inverno, do que em nascidas no verão. Dr. Milo Vassallo, especialista em alergias do Brooklyn, em Nova York, revisou os casos de mais de 1.000 pacientes em três pronto-socorros de Boston que haviam apresentado reações alérgicas agudas causadas por alimentos.

 

O médico descobriu que nascidos no outono e inverno estavam associados com 53% a mais casos do que os outros. Vassallo associa esse fato a flutuações sazonais de vitamina D, já que deficiências podem enfraquecer o sistema imunológico. As únicas fontes dessa vitamina são a luz solar e suplementos, então o risco irá depender de onde a pessoa mora, ele diz, “Por causa de latitudes mais altas e maiores exposições ao sol, as crianças nascidas no outono e no inverno em Boston, podem ter maior risco de alergias, do que as que moram em Los Angeles.”

 

 






RSS   


Comentarios para esta noticia

 

Publicidad

Publicidad