Notícias

Cientistas confirmam dois novos grupos sanguíneos

      
Crédito: Norman B / Shutterstock.com
Crédito: Norman B / Shutterstock.com
Todo mundo sabe (ou deveria saber) se é do grupo sanguíneo O, A, AB ou B, além do fator Rh, que pode ser positivo ou negativo. Isso é importante não só pela questão da curiosidade, mas também para a nossa saúde. Saber o seu tipo sanguíneo é essencial na hora de doar ou até mesmo receber transfusões de sangue.

 

» O desejo sexual, o amor e o apego segundo os cientistas
» Cientistas descobrem possível tratamento contra o Alzheimer
» Cientistas desenvolvem estímulo cerebral para aprimorar a memória

 

Agora, um grupo internacional de pesquisadores confirmou a existência de dois novos tipos de sangue pouco conhecidos: Langereis e Junior. Essa descoberta terá várias aplicações médicas, não apenas no campo das transfusões ou transplantes de órgãos, como também no desenvolvimento de novas terapias contra o câncer.

 

Embora a existência dos dois grupos já fosse conhecida, até agora não haviam sido detectadas as proteínas das células sanguíneas que os identificam. A nova descoberta ajudará a determinar ambos os tipos sanguíneos, tanto com o exame de sangue rotineiro, como a partir da consulta de uma simples gota de sangue.

 

Além disso, as novas moléculas também estão associadas com o desenvolvimento de medicamentos contra o câncer, o que permitirá melhorar a eficácia dos tratamentos.

 

Os pesquisadores, que publicaram suas conclusões na revista Nature Genetics, explicaram que esses novos grupos têm sido muito frequentes no leste da Ásia.O responsável pela pesquisa, Bryan Ballif, da Universidade de Vermont, afirma que as estimativas são de mais de 50.000 japoneses sendo Junior negativo. Isso pode trazer problemas de incompatibilidade do feto com a mãe, ou caso sejam necessárias transfusões de sangue.

 

Junto com os tipos ABO e RH, a Sociedade Internacional de Transfusão Sanguínea reconhece mais 28 grupos, porém, até agora os tipos Junior e Langereis não estavam na lista, já que sua base genética era desconhecida.

 

 



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.