Notícias

USP lança material que contribui para discussões na RIO+20

      
Crédito: Reprodução
Crédito: Reprodução

 

A Universidade de São Paulo (USP) pretende dar, nas próximas semanas, contribuições importantes aos temas que serão discutidos na Conferência das Nações sobre Desenvolvimento Sustentável, a RIO+20, que acontecerá nos dias 20 a 22 de junho no Rio de Janeiro.

 

» ONU lança campanha Rio+20: O Futuro que Queremos
» USP vai adotar diploma virtual antifraude
» USP está entre as 70 instituições com melhor reputação no mundo

 

No mês de abril o Grupo de Pesquisa em Ciências Ambientais do Instituto de Estudos Avançados (IEA) lançara o livro Governança da ordem ambiental, internacional e inclusão social.

 

Segundo Wagner Costa Ribeiro, organizador do livro e professor do Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, essa publicação representa uma posição institucional da USP.

 

O livro trata de um a análise de pesquisadores de diversas áreas que integram o Grupo de Pesquisa em Ciências Ambientais do IEA, sobre o que deve ser esperado da RIO+20. Além disso, o livro traz um balanço da RIO92 (ou ECO-92), procurando identificar lacunas e avanços no período entre as duas grandes conferências.

 

De acordo com o professor o objetivo do livro é contribuir para os temas que serão discutidos na conferência, relacionados à governança, inclusão social e economia verde. Os temas são bastante abrangentes, mas não tratam questões mais específicas, como a biodiversidade, as mudanças climáticas e os recursos hídricos.

 

A publicação é dividia em duas partes. A primeira leva o nome de “Ordem ambiental internacional, governança e inclusão social”, e é composta por seis artigos que avaliam as propostas de revisão da gestão ambiental internacional. Entre essas propostas encontram-se a criação de uma nova agência ambiental global, fortalecer o Programa das Nações Unidas para o meio Ambiente (Pnuma) ou levar a discussão das questões ambientais do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

 

Já a segunda parte do livro, “Saúde, pobreza e mudanças climáticas”, reúne reflexões a respeito das relações entre economia verde, inclusão social e saúde, além de formas de combate à pobreza por meio do uso do patrimônio cultural, análise de políticas territoriais associadas à inclusão social, o papel dos catadores no processo de gestão dos resíduos sólidos e avanços nas pesquisas climáticas.

 

Também no início de abril, o IEA lançará edições impressas e eletrônicas da revista Estudos Avançados com um dossiê sobre sustentabilidade. O número especial da publicação também visa contribuir para as discussões de conceito e temas que serão abordados na RIO+20.

 

Para Alfredo Bosi, professor da USP e editor da revista, a necessidade de combate ao crescimento econômico e respeito às reservas naturais é consenso entre cientistas, economistas e políticos.

 

A edição apresentará diversos artigos relacionados à conferência, com análises pontuais, levantamentos e análises de dissertações de teses de mestrado e doutorado defendidas na USP , todas vinculadas à RIO+20.

 

No fim de abril o Grupo de Pesquisa de Ciências Ambientais do IEA e o Programa de Pós Graduação em Ciências Ambientais (Procam) da USP também realizarão evento para discutir a inclusão social relacionada à economia verde e à governança da ordem ambiental internacional, evento no qual será lançado o livro Governança da ordem ambiental internacional e inclusão social, publicado pela editora Annablume.

 

 



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.