Notícias

Holocausto por meio da arte: obras feitas no período de A Menina Que Roubava Livros

      
Crédito: Shutterstock.com
Crédito: Shutterstock.com

 

A protagonista do filme A Menina Que Roubava Livros se sente extremamente culpada por queimar obras que poderiam ser lidas e apreciadas, uma vez que ela não concordava com as afirmações de que obras judaicas não deviam ser valorizadas. Porém, é importante saber que não apenas os livros, mas também a pintura foi extremamente discriminada durante esse período.

 

Leia também:
» Top 5: baixe gratuitamente o primeiro capítulo de obras sobre o holocausto
» Infográfico: conheça os símbolos do holocausto
» Veja o Especial Holocausto completo

 

Ainda é possível conferir algumas pinturas e gravuras feitas por aqueles que acompanhavam o sofrimento do povo judaico. Conheça abaixo alguns artistas importantes:

 

Leo Haas, por exemplo, foi um artista tcheco que se inspirou nas obras de Goya para retratar o holocausto. Ele retratou a deportação de judeus para Auschwitz, crianças sendo guiadas para campos de concentração e até mesmo os oficiais da Gestapo. Confira abaixo a obra “Expulsão Infantil”, de Leo Haas:

 

Expulsão Infantil, de Leo Haas

 

Outro artista conhecido é Yehuda Bacon, um judeu que foi deportado para um lar coletivo de crianças e, após isso, para Auschwitz. Em 1945, ele saiu do campo de concentração na famosa Marcha da Morte e caminhou por 30 dias, até finalmente ser libertado pelo exército americano. Confira abaixo “Memórias de Auschwitz”, de Yehuda Bacon:

 

Memórias de Auschwitz, de Yehuda Bacon

 

Ella Liebermann-Shiber nasceu em Berlin no ano de 1927 e recebeu uma educação judaica em casa. Com o desenrolar da Segunda Guerra Mundial, sua família inteira foi deportada para Auschwitz, onde a artista foi enviada para trabalhar por horas a fio em uma fábrica. Um dos oficiais do campo descobriu que Ella era uma artista e pediu para ela pintar o retrato de um de seus parentes, e graças a esse trabalho Ella e sua família foram salvos. Abaixo, confira a obra “Nas Barracas”, de Ella Liebermann-Shiber:

 

Nas Barracas, de Ella Liebermann-Shiber

 

David Olère foi um artista extremamente talentoso e fluente em diferentes línguas. Quando foi preso e enviado para Auschwitz, Olère foi obrigado a escrever cartas em caligrafia bonita para os familiares dos oficiais. O seu trabalho inclui uma série de gravuras que retrata os horrores presenciados nos campos de concentração, onde ele também teve que trabalhar nas câmaras de gás. Abaixo está a obra “Eles Tentaram Escapar”, de David Olère. Confira:

 

Eles Tentaram Escapar, de David Olère

 

E você, sabe de mais algum artista ou gravura importante para conhecer o holocausto por meio da arte?

 

 



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.