Notícias

Conheça a vida de Gregório de Matos e baixe a sua obra gratuitamente

      
Conheça a vida de Gregório de Matos e baixe a sua obra gratuitamente
Conheça a vida de Gregório de Matos e baixe a sua obra gratuitamente  |  Fonte: Shutterstock.com

 

Gregório de Matos foi um poeta brasileiro nascido entre 1633 e 1636 na cidade de Salvador, Bahia. Filho de uma família rica, Gregório teve a sua formação acadêmica em Lisboa, na Universidade de Coimbra, onde estudou Direito. Em Portugal, atuou como advogado em Alcácer do Sal, no Alantejo.

 

Leia também:
» Mais de 1.000 livros grátis para download
» Um pouco de arte para sua vida: Explore obras de arte famosas

 

Voltou para o Brasil em 1679 com a função de Desembargador da Relação Eclesiástica da Bahia. Em 1682, é nomeado por D. Pedro II como tesoureiro-mor da Sé. Entretanto, depois que o seu cargo aumentou, havia a necessidade de que Gregório vestisse a batina e vivesse uma vida "correta". O autor recusou aceitar imposições de ordens maiores e, por acharem que ele não estava apto para as funções que o tinham incumbido, foi destituído do cargo. A partir daí, o português iniciou a escrever os poemas difamatórios e polêmicos pelos quais ele ficaria conhecido.

 

Em suas obras, Gregório satiriza os costumes e a sociedade baiana, a qual ele apelida de "canalha infernal". Ninguém escapava de suas duras palavras – políticos, advogados, eclesiásticos, etc. Todos eram alvos das críticas e ironias do autor. Por conta disso, Gregório de Matos ficou conhecido como "boca do inferno".

 

O português escreveu poesia lírica, satírica e religiosa, sendo as suas sátiras as mais famosas. Os temas abordados em seus poemas eram coloquiais e a linguagem utilizada era a mesma do cotidiano. Por isso, suas obras são um ótimo material para analisar como era a sociedade baiana no fim do século XVII.

 

A característica mais comum em todas as suas criações é o teor erótico e grande uso de palavras de baixo calão. Entretanto, cada um dos seus estilos possui particularidades. A poesia lírico-religiosa mostra o quanto Gregório estava dividido entre o pecado e a religião e como ele busca por salvação. Quando ele percebe que está tomando atitudes erradas, age como se fosse o seu próprio advogado de defesa perante Deus. Esse estilo foi mais reproduzido no fim da sua vida, quando Gregório já começava a se arrepender da vida boêmia que havia levado.

 

Já a poesia lírico-amorosa retoma fortemente o teor erótico, mas possui uma profundidade a mais. O autor retrata o amor como fonte de prazer e sofrimento - essa dualidade é vista em quase todos os seus textos românticos e é um aspecto marcante de sua inspiração barroca. Além disso, a mulher é descrita por dois pontos de vista: como algo inacessível e espiritualizado, e também como a fonte de desejo carnal.

 

O outro estilo presente em algumas de suas obras é o lírico-filosófico. Nelas, Gregório de Matos mostra-se pessimista, angustiado perante a vida e aborda temas como o desconcerto do mundo. Ele discorre sobre a existência, as injustiças da vida e o que nos espera após a morte.

 

Mesmo sendo um autor tão complexo, as sátiras foram o motivo para a sua consagração e queda como autor. Ao mesmo tempo em que o português fez a sua fama por meio das sátiras, as autoridades ficaram descontentes com as suas críticas e ironias e começaram a persegui-lo. Depois de escrever um texto que difamava o governador da Bahia, Antônio Luis da Câmara Coutinho, foi preso e exilado em Angola, na África. Obteve autorização para voltar para o Brasil em 1696, porém, adquiriu uma doença durante a viagem e morreu no mesmo ano, em Recife.

 

Gregório de Matos não publicou nenhuma das suas obras enquanto estava vivo. Após 230 anos, a Academia Brasileira de Letras fez uma compilação de suas poesias conhecidas e as publicou com o título "Obras de Gregório de Matos", composta de 6 volumes.

 

Gostou da história da vida de Gregório de Matos? Então, confira as obras gratuitas para download que a Universia Brasil reuniu para você:

 

1.» Crônica do Viver Baiano Seiscentista - Os Homens Bons, de Gregório de Matos

2.» Seleção de Obras Poéticas, de Gregório de Matos

3.» Crônica do Viver Baiano Seiscentista - O Burgo, de Gregório de Matos

4.» A Seleção de Obras II, de Gregório de Matos

5.» Crônica do Viver Baiano Seiscentista - A Cidade e Seus Pícaros - Antônia, de Gregório de Matos

6.» Crônica do Viver Baiano Seiscentista - A Cidade e Seus Pícaros - A Freira: Ralo, Roda e Grade, de Gregório de Matos

7.» Crônica do Viver Baiano Seiscentista - A Cidade e Seus Pícaros - Passos Discretos e Triste, de Gregório de Matos

8.» Crônica do Viver Baiano Seiscentista - A Cidade e Seus Pícaros - Barbora ou Babu, de Gregório de Matos

9.» Crônica do Viver Baiano Seiscentista - A Cidade e Seus Pícaros - Andanças de uma Viola de Cabaça, de Gregório de Matos

10.» Crônica do Viver Baiano Seiscentista - A Cidade e Seus Pícaros - Betica, de Gregório de Matos

11.» Crônica do Viver Baiano Seiscentista - A Cidade e Seus Pícaros - Briga, Briga, de Gregório de Matos

12.» Crônica do Viver Baiano Seiscentista - A Cidade e Seus Pícaros - Cota, de Gregório de Matos

13.» Crônica do Viver Baiano Seiscentista - A Cidade e Seus Pícaros - Custódia, de Gregório de Matos

14.» Crônica do Viver Baiano Seiscentista - A Cidade e Seus Pícaros - Joana, de Gregório de Matos

15.» Crônica do Viver Baiano Seiscentista - A Cidade e Seus Pícaros - Letrados, de Gregório de Matos

16.» Crônica do Viver Baiano Seiscentista - A Cidade e Seus Pícaros - Pança Farta e Pé Dormente, de Gregório de Matos

17.» Crônica do Viver Baiano Seiscentista - A Cidade e Seus Pícaros - Adãos de Massapê, de Gregório de Matos

18.» Crônica do Viver Baiano Seiscentista - A Cidade e Seus Pícaros - Ângela, de Gregório de Matos

 



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.