Notícias

A saúde mental em pauta: quais problemas os estudantes mais enfrentam?

      
Questões devem ser conhecidas pelos educadores
Questões devem ser conhecidas pelos educadores  |  Fonte: Shutterstock

Assim como problemas físicos, as doenças e transtornos psicológicos são reais e requerem atenção e cuidado, especialmente na sala de aula. Com impacto direto no rendimento e na sociabilização do aluno, questões como distúrbios alimentares e depressão devem ser conhecidas pelos educadores e abordadas pela escola.

Leia também:
» Transtornos mentais atacam estudantes
» Crianças hiperativas e com déficit de atenção sofrem mais bullying, diz estudo

Em 2008, mais de 5 milhões de crianças brasileiras eram afligidas por algum transtorno mental, segundo dados da Associação Brasileira de Psiquiatria. Ainda assim, o tema não era tão debatido quanto o necessário. É fundamental que os professores estejam atentos e saibam notar quando algum de seus alunos precisa de ajuda, pois, muitas vezes eles serão os primeiros a notar que há algo afligindo a criança.

Os problemas mentais podem começar em crianças muito novas, mas também podem se fazer presentes em adolescentes, inclusive, durante a entrada na puberdade. Quanto mais cedo os sintomas forem identificados, melhor e mais ágil será o tratamento.

Vale lembrar que, se o educador tiver algum aluno apresentando alguma das doenças a seguir citadas, além de avisar à família, também é fundamental fazer com que o ambiente escolar seja acolhedor e faça com que o estudante se sinta seguro. Abaixo, listamos alguns dos transtornos que mais afligem os alunos:

1 – TDAH - Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade: Lapsos de atenção, fácil distração, fala em excesso e interrupção constante e hiperatividade estão relacionados ao TDAH. O impacto no aprendizado do aluno é muito grande e também afeta a ordem na sala de aula como um todo. Com a medicação indicada, os sintomas podem ser atenuados, porém, é preciso estar atento: tais sintomas podem indicar outros transtornos.

2 – Ansiedade: Muito diferente da que sentimos antes de alguma ocasião importante, esse transtorno faz com que o aluno tenha dificuldade para finalizar suas tarefas, tema em excesso falhar ou ter novas experiências e se preocupe obsessivamente com questões como notas e lições de casa. Em geral, ela aparece entre estudantes de 12 ou 17 anos.

3 – Depressão: Talvez a mais conhecida do grupo, a depressão ainda sofre com diversos preconceitos. É preciso compreender que não se trata de um momento em que o aluno está triste, mas sim uma doença que modifica toda a vida do aluno, fazendo com que aumentem as faltas, caiam as notas e diminua a motivação para as aulas. Isolamento, excesso de sono e tendências suicidas também são alertas.

4 – TEA – Transtorno do Espectro Autista: esse transtorno apresenta uma gama extensa de sintomas como comportamentos repetitivos, dificuldades sociais e problemas para “ler” aspectos da linguagem não verbal. Em geral, eles são notados quando a criança é bem pequena e podem vir em diversas formas, como é o caso da Síndrome de Asperger.

5 – Distúrbios Alimentares (Bulimia/Anorexia: Apesar de afetar ambos os sexos, é muito comum ver meninas como as mais afligidas por distúrbios alimentares. Hábitos alimentares não saudáveis – como comer pouco ou apenas uma vez ao dia – obsessão com o peso e com o valor calórico da comida e uma versão distorcida da autoimagem são alguns dos sintomas. Em geral, o problema afeta adolescentes, mas pode ocorrer antes mesmo da puberdade.

Todas os transtornos citados acima requerem cuidados dentro e fora da sala, promover um ambiente amigável e evitar práticas como o bullying é um meio de auxiliar o aluno nessa batalha.



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.