Notícias

Por que estudar Engenharia Biomédica

      
Por que estudar Engenharia Biomédica
Por que estudar Engenharia Biomédica  |  Fonte: Shutterstock

Fique por dentro da sua futura carreira

Visite aqui o Universia Profissões

Se este é o seu caso, estudar Engenharia Biomédica pode ser a sua escolha perfeita para a universidade. Confira os motivos para seguir nessa profissão!

Atuação

Quem opta pela área faz um curso de bacharelado e recebe o nome de Engenheiro Biomédico. Esse profissional pode atuar em diversos campos, uma vez que possui conhecimento técnico sólido nas áreas de engenharia e saúde.

O campo mais comum para trabalhar como engenheiro biomédico é o de projeção e manutenção de equipamentos que auxiliam no diagnóstico e na prevenção de doenças. Engenheiros biomédicos podem projetar e desenvolver equipamentos de medicina, biomedicina e odontologia.

Os profissionais da área também atuam no setor de tecnologia, desenvolvendo softwares. Outra possibilidade é a pesquisa científica. Aprimoramento de diagnósticos e pesquisas sobre os materiais utilizados na área também são boas opções de trabalho para os engenheiros biomédicos, que podem, ainda, atuar na elaboração de próteses ou na área de Imagiologia médica — que inclui radiografia, tomografia, ultrassonografia e ressonância magnética. Por fim, engenheiros biomédicos podem trabalhar também prestando consultoria a clínicas, hospitais e centros de saúde.

Mercado de trabalho

Por ser uma profissão recente no Brasil, a Engenharia Biomédica é exercida, sobretudo, por profissionais de outras áreas — como engenheiros civis e elétricos. Isso acontece, principalmente, pelo baixo número de profissionais especializados. Por isso, engenheiros biomédicos diplomados são muito requisitados pelo mercado de trabalho.

A maior procura por esses profissionais parte do setor hospitalar — que precisa de engenheiros biomédicos para cuidar de operações e manutenções de equipamentos médicos —, mas as oportunidades são inúmeras. Engenheiros biomédicos podem trabalhar em instituições públicas e privadas, como hospitais, centros de pesquisa e órgãos do governo, como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Os profissionais da área também podem atuar em indústrias nacionais e multinacionais que fabricam equipamentos de saúde. A área de regulamentação de equipamentos importados também é uma boa opção de emprego.

Média salarial

Ainda não há um piso salarial estabelecido para a categoria no Brasil. Neste ano, a Sociedade Brasileira de Engenharia Biomédica (SBEB) realizou um levantamento intitulado “Onde e como estão nossos engenheiros Biomédicos”. No documento, a SBEB utiliza dados do CREA e afirma que o salário médio nacional do Engenheiro Biomédico é:

  • categoria júnior: R$5.105,00 à R$6.759,00;
  • categoria pleno: R$6.417,00 à R$8.301,00;
  • categoria sênior: R$8.130,00 à R$10.279,00.

Empregabilidade

Embora não existam dados específicos sobre a empregabilidade de profissionais de Engenharia Biomédica no Brasil, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) levantou, em seu estudo mais recente (julho 2013), que a taxa de ocupação para todas as engenharias ficou acima de 85%.

Graduação

A profissão de Engenharia Biomédica é regulamentada desde 2008 — e, por isso, é obrigatório possuir um diploma de curso superior reconhecido pelo MEC para exercê-la. O curso de graduação dura, em média, 5 anos e a grade curricular costuma mesclar matérias da área de exatas com as de biológicas. É essencial que o estudante receba sólidos conhecimentos em Biologia, para criar projetos condizentes com as exigências do setor.

Durante a graduação, o futuro engenheiro biomédico terá aulas de eletrônica, informática, tecnologia da computação, matemática, física etc. Como o próprio nome da área sugere, a interdisciplinaridade é muito forte. A variedade da grade curricular é essencial para que ele tenha uma boa formação e consiga se destacar no mercado de trabalho.

Com o objetivo de trazer profissionais bem competitivos para o mercado, a quantidade de disciplinas práticas é muito grande. Além disso, a realização do estágio é obrigatória. O futuro engenheiro biomédico chegará ao mercado de trabalho melhor preparado e, consequentemente, conseguirá se destacar. Para isso, também é necessário gostar muito das novas tecnologias.

Onde estudar

No Brasil, existem 14 cursos de Engenharia Biomédica autorizados pelo MEC. Eles são oferecidos nas seguintes instituições:

Universidades Públicas

  • Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ);
  • Universidade Federal de Pernambuco (UFPE);
  • Universidade Federal do Pará (UFPA);
  • Universidade Federal de Uberlândia (UFU);
  • Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP);
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN);
  • Fundação Universidade Federal do ABC (UFABC).

Universidades Privadas

  • Instituto Nacional de Telecomunicações (INATEL);
  • Faculdade do Centro Leste (UCL);
  • Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP);
  • Universidade do Vale do Paraíba (UNIVAP);
  • Centro Universitário Franciscano (UNIFRA);
  • Universidade Fumec (FUMEC);
  • Faculdades Integradas do Norte de Minas FUNORTE (FUNORTE).

Onde se informar

Se você ficou interessado pelo curso de Engenharia Biomédica e deseja levantar mais informações, uma boa ideia é entrar em contato com as universidades que oferecem o curso. Assim, você poderá ter acesso aos currículos da graduação e saber um pouco mais sobre as possibilidades de estágios profissionais e pesquisas científicas.

Escolher uma profissão pode ser uma tarefa difícil quando se tem interesse por mais de uma área, mas, hoje, uma série de cursos interdisciplinares estão surgindo e se consolidando no Brasil. Portanto, se você tem habilidade em exatas e se interessa pelas ciências biológicas, estudar Engenharia Biomédica pode trazer um futuro promissor para você.

Ainda não tem certeza de qual profissão seguir? Baixe nosso guia gratuito para escolher sua profissão! 








Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.