Notícias

Resumo: Classicismo para Enem e vestibulares

      
Resumo: Classicismo para Enem e vestibulares
Resumo: Classicismo para Enem e vestibulares  |  Fonte: Universia Brasil

Universia Enem: plataforma estudos grátis

Acesse aqui

O classicismo não é um dos movimentos literários e artísticos mais populares entre os vestibulares, mas isso não significa que ele não seja importante: entendê-lo é vital para compreender os movimentos seguintes.

A Universia Brasil preparou, em parceria com o Anglo Vestibulares, um resumo completo dos principais conteúdos de literatura para o Enem e vestibulares. Confira a seguir um guia com tudo o que você precisa saber sobre classicismo:

Contexto histórico

O classicismo atingiu o seu auge entre os séculos XIV e XVI, no período do renascimento. Nessa época, a Europa estava deixando para trás os ideais da Idade Média, quando a religião era o centro da vida das pessoas e a Igreja Católica tinha muito poder.

Com o advento das reformas protestantes, muitas pessoas abandonaram a Igreja, e a religião perdeu parte do seu poder. Isso deu espaço para que as pessoas questionassem os dogmas do catolicismo e explorassem isso na arte.

O resultado foi um movimento que tirava deus do centro do pensamento (teocentrismo) e colocou o ser humano no centro (antropocentrismo).

Enquanto isso no Brasil...

Durante o século XVI, a cultura europeia estava sendo introduzida no território que viria a ser o Brasil, resultando numa forma de literatura que não pode ser chamada propriamente de brasileira. O quinhentismo, como é chamado, consiste principalmente da descrição do continente sul-americano e dos seus habitantes. A maioria dos registros que temos hoje são cartas de viajantes europeus se correspondendo com a Europa.

Principais características

O classicismo foi um movimento de oposição a essas crenças e costumes medievais, e de resgate das culturas greco-romanas. Portanto, a arte e a literatura valorizavam a razão, o equilíbrio, e o ser humano.

A religião não é mais o foco do olhar do artista, mas sim o corpo humano e a forma da arte. É esse movimento que inaugura as primeiras escolas de arte e música, onde eram ensinadas as rígidas regras de forma e beleza que deveriam ser seguidas. Os ideais de proporção, simetria, e beleza são importantes nessa época.

O alvo dos retratos, peças e obras não eram as pessoas comuns. O classicismo se voltou para os mitos greco-romanos, o que resultou em várias pinturas, esculturas e obras sobre mitologia, deuses.

Principal artista

Luís Vaz de Camões

Luís Vaz de Camões

Poeta português
1524-1579

Luís Vaz de Camões foi o autor da obra “Os Lusíadas”, uma epopeia, ou poesia épica. Trata-se da história dos portugueses (os filhos de Luso, os portugueses) que cruzam o oceano em direção ao Oriente guiados por Vasco da Gama. Em 10 cantos, Camões resume toda a história de Portugal até então, enquanto conta essa aventura cheia de mitologia grega.

O estilo literário (a poesia épica) é o mesmo dos livros de Homero, a Ilíada e a Odisseia, mostrando mais uma vez como o classicismo valorizava a cultura greco-romana.

Classicismo na arte:

Tempestade no Mar da Galileia de Rembrandt

tempestade-no-mar-da-galileia

Madona do Fuso de Leonardo da Vinci

madona-fuso-leonardo-vinci

O Nascimento de Vênus de Sandro Botticelli

nascimento-venus-sandro-botticelli

Como cai?

O classicismo aparece nas provas principalmente em questões sobre “Os Lusíadas”. Confira essa questão da Vunesp:

“Tanto de meu estado me acho incerto
Que em vivo ardor tremendo estou de frio;
Sem causa, justamente choro e rio,
O mundo todo abarco e nada aperto.
É tudo quanto sinto, um desconcerto;
Da alma um fogo, me sai, da vista um rio;
Agora espero; agora desconfio,
Agora desvario, agora acerto.
Estando em terra, chego ao céu voando,
Num’hora acho mil anos, e é de jeito
Que em mil anos não posso achar um’hora.
Se me pergunta alguém por que assim ando,
Respondo que não sei; porém suspeito
Que só porque vos vi, minha Senhora.”

O soneto transcrito é de Luís de Camões. Nele se acha uma característica da poesia clássica renascentista. Assinale essa característica, em uma das alternativas:

a) A suspeita de amor que o poeta declara na conclusão.
b) O jogo de contradições e perplexidades que atormentam o poeta.
c) O fato de todos perguntarem ao poeta porque assim anda.
d) O fato de o poeta não saber responder a quem o interroga.
e) A utilização de um soneto para relato das suas amarguras.

Gabarito: E



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.