Notícias

Resumo: Morfologia para Enem e vestibulares

      
Resumo: Morfologia para Enem e vestibulares
Resumo: Morfologia para Enem e vestibulares  |  Fonte: Shutterstock

Você sabe o que é morfologia? Esse é o campo que estuda a constituição das palavras e dos processos pelos quais elas são construídas, a partir de suas partes componentes: os morfemas.

Nos vestibulares tradicionais, a morfologia ainda é um assunto muito cobrado. Ela é fundamental tanto do ponto de vista do conhecimento gramatical quanto para elaboração mais eficiente de textos e redações. Então, se você vai prestar o ENEM e os vestibulares do ITA, da PUC ou da Unesp, é bem provável que tenha que lidar com a classificação de palavras a partir dos 10 grupos morfológicos.

Foi pensando nisso que a Universia Brasil preparou, em parceria com o Anglo Vestibulares, um resumo completo sobre o tema. Veja a seguir tudo o que você precisa saber sobre morfologia no Enem e aprenda algumas dicas de como tornar o aprendizado mais eficaz.

Conheça os 10 grupos morfológicos:

Substantivo

Palavra que dá nome a objetos, pessoas, fenômenos ou a qualquer outro ser. É dividido em 5 categorias de acordo com o tipo a ser identificado. Veja os exemplos grifados:

  • Ana é muito legal;

  • gramática e literatura são matérias importantes;

  • eu procuro sempre a felicidade.

Vejamos agora as 5 Categorias de substantivos.

Substantivo Comum

Palavras que identificam coisas genéricas. Exemplos:

  • uma cidade é um lugar com várias construções;

  • que vontade de comer um abacaxi;

  • gatos são mais fofos do que urubus.

Substantivo Próprio

Nomes de lugares, pessoas, ou outras coisas específicas. Costumam ter letra maiúscula. Exemplos:

  • a Bahia é um lugar maravilhoso;

  • a Ana gosta de morar no nordeste do Brasil;

Substantivo Concreto

Palavras que dão nome para coisas concretas, quer existam ou não. Exemplos:

  • eu bati meu  na mesa;

  • minha mãe é a minha melhor amiga;

  • eu acredito em fadas.

Substantivo Coletivo

Designa grupo de elementos iguais. Veja os exemplos grifados:

  • a fauna brasileira é muito rica;

  • minha faculdade faz parte de uma Universidade;

  • nós somos a assembleia, os membros dessa associação.

Substantivo Abstrato

Palavra que identifica conceitos abstratos. Exemplos:

  • eu queria tanto fazer uma viagem;

  • Ele está com calor;

  • sinto saudades do meu cachorro;

  • a doença que a Claudia tem não é grave.

Verbo

Palavra que indica ação. Exemplos:

  • ele subirá a escada;

  • quando ele vier, nós partiremos;

  • ela faz o que pode.

Adjetivo

Palavra que dá qualidade para um substantivo. Exemplos:

  • Júlia é folgada;

  • que pessoa mais esquisita;

  • fazer trabalho em grupo é difícil.

Advérbio

Palavra que dá qualidade para um verbo. Exemplos:

  • ele desceu a escada lentamente;

  • ela saiu de casa ontem;

  • eu não gosto de filmes de ação.

Conjunção

Palavra que liga dois termos semelhantes de uma mesma oração ou duas orações. Veja os exemplos em negrito:

  • eles foram trabalhar e almoçaram fora;

  • eu corri quando o vi;

  • ou você escolhe o sorvete de baunilha, ou o de chocolate;

  • eu disse que era verdade, mas você não me ouve!

Interjeição

Palavra que expressa uma emoção. Exemplos:

  • Ai! Você pisou no meu pé!

  • Cuidado! Isso vai cair!

  • Meu deus! Que felicidade! Eu passei no vestibular!

Pronome

Palavra que substitui ou acompanha um substantivo. Exemplos:

  • Eu quero me formar em direito;

  • Não cabe a mim dizer o que é melhor para você;

  • Nós as encontramos no cinema.

Os pronomes são divididos em seis categorias de acordo com a sua função. São elas:

Pronomes Pessoais

Palavras que substituem substantivo e identificam os atores da frase. Exemplos:

  • eu vou passar no vestibular com você;

  • vamos nos encontrar na faculdade.

Pronomes Possessivos

Palavras que indicam a posse de algo por um ator da frase. Exemplos:

  • passar no vestibular é o meu sonho;

  • nosso objetivo é fazer faculdade;

Pronomes Demonstrativos

Palavras que explicam a referência entre palavras ou seus contextos. Serve para referenciar pessoas, objetos e lugares. Exemplos:

  • aquela lição de casa;

  • isso vai ter que ficar para amanhã.

Pronomes Interrogativos

Palavras para elaboração de perguntas, diretas ou indiretas. Exemplos.

  • Quem é esse professor?

  • O que está acontecendo?

Pronomes Relativos

Palavras que substituem ou fazem referência a algo já mencionado, estabelecendo a relação entre orações. Exemplos:

  • ele me disse que o vestibular é fácil;

  • o lugar onde ele estava era horrível.

Pronomes Indefinidos

Palavras que se referem à 3º pessoa gramatical de forma imprecisa, vaga. Podem também ser utilizadas de forma adjetiva, qualificando algo expresso na frase. Exemplo:

  • a culpa não é de ninguém;

Preposição

Palavra invariável que liga dois termos, explicitando a relação entre eles. Exemplos:

Ele se alegrou com o seu modo de agir.

Elas correram com alegria até a praça.

Você poderia vir com mais cautela.

Artigo

Palavra que vem antes do substantivo para determiná-lo. Exemplos:

  • chame a sua gata para que eu a alimente;

  • veio um tal de Sérgio aqui ontem;

  • o vidro estava aberto quando eu cheguei.

Numeral

Palavras relacionadas a números. Exemplos:

  • ele foi o primeiro da fila;

  • moro na casa número 2, na rua perto da igreja;

  • parei de ler o livro no capítulo III, ficou muito chato.

Os numerais são divididos em quatro categorias. São elas:

Numeral Cardinal

Palavra que indica número, quantidade. Exemplos:

  • havia na rua três meninos usando chapéus.

  • eu vi dois aviões hoje.

Numeral Ordinal

Palavra que indica ordem, posição. Exemplos:

  • Eu sou o décimo na chamada;

  • Essa é a segunda vez que eu viajo com você.

Numeral Multiplicativo

Palavra que indica aumento de quantidade, multiplicação. Exemplos:

  • a inflação dobrou esse ano;

  • calcule o quádruplo da área dessa forma geométrica.

Numeral Fracionário

Palavra que indica divisão, fracionamento. Exemplo:

  • coloque um terço de uma xícara de farinha para a massa do bolo engrossar;

Agora que você já sabe um pouco mais sobre os 10 grupos morfológicos, conheça algumas práticas de estudo e memorização que vão ajudá-lo na hora de encarar os conteúdos de morfologia no Enem.

Leitura constante

Como todo conteúdo de português, uma das ferramentas de estudo mais eficaz é a leitura. Ler, independentemente do gênero literário, é uma atividade que ajuda a absorver de forma mais direta os conhecimentos sobre a língua portuguesa. Ao somar a leitura com os estudos de morfologia, você ficará mais atento à formação das frases e à construção dos sentidos. A leitura também amplia seu vocabulário e dinamiza seu conhecimento sobre as palavras, suas classificações e aplicações.

Exercícios

Nada como a prática após o contato com a teoria. Após estudar o conteúdo que apresentamos, busque fazer exercícios com a aplicação prática da matéria. Os exercícios funcionam tanto para a memorização quanto para a avaliação do seu processo de aprendizagem. Ao perceber que tem dificuldade em um ou outro aspecto do conteúdo, intensifique o estudo e faça mais exercícios desses pontos até absorver melhor o conhecimento.  

Uma dica é procurar por vestibulares de anos anteriores ou exercícios disponibilizados na internet para esse treinamento.

Esquemas de memorização

Como a morfologia está relacionada com um tipo de conteúdo que envolve decorar classificações, é muito importante se lembrar das nomenclaturas e aplicações de cada classe. Desenvolva técnicas que ajudem a memorizar, como esquemas com desenhos e formas no próprio caderno. Outro método é escrever palavras ou informações em blocos de notas e fixá-los em um lugar visível.

Com a tecnologia, esses esquemas ficaram ainda mais fáceis. Aplicativos para os estudos ou jogos e testes já específicos com conteúdos gramaticais podem ser uma boa nesse processo.

Revisão

Para assegurar que o conteúdo foi aprendido, a revisão nunca é demais. Você pode fazer revisões logo após passar por todo conteúdo ou no final da semana que você escolheu estudar morfologia. Outra dica é fazer revisões periódicas, relendo o conteúdo de tempos em tempos, como a cada 2 meses, para relembrar o conhecimento já adquirido.

Estruturação do estudo em tópicos

A morfologia já é uma temática que se divide e se estrutura em classes. Para facilitar na hora de estudar, vá por “partes”, estabelecendo tópicos e um roteiro de estudo. Você já sabe que são 10 classificações. Então, não queira esgotar todo conteúdo de uma vez. É importante ter uma visão geral, mas também é fundamental dominar bem cada classificação. Os verbos e os pronomes, por exemplo, merecem uma atenção especial e mais tempo de dedicação. Desse modo, elabore um planejamento para estudar esse conteúdo e manter-se focado.

Esclarecimento de dúvidas

Não fique com nenhum questionamento sem resolução. Busque respostas com professores e/ou mesmo na internet para que você não acumule dúvidas e nem comprometa o aprendizado. Além disso, tenha sempre um bom dicionário em mãos para realizar pesquisas.

Gostou de saber um pouco mais e se preparar para os conteúdos de morfologia no Enem? Para continuar aperfeiçoando seus conhecimentos, leia nosso post sobre as competências necessárias para fazer uma boa redação no Enem.



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.