Notícias

Exemplos de Redação Nota 10 no Enem: #4 Constituição Cidadã

      
Exemplos de Redação Nota 10 no Enem: #4 Constituição Cidadã
Exemplos de Redação Nota 10 no Enem: #4 Constituição Cidadã  |  Fonte: Universia Brasil

redação do Enem 2017 exige que você esteja preparado e por dentro dos temas mais importantes da atualidade. Já comentamos como a intolerância religiosa fez os estudantes questionarem se no Brasil realmente há respeito pela diversidade religiosa em 2016.

Trazemos outro exemplo de redação que soube conduzir de modo positivo e bem avaliado esse tema.

A professora e coordenadora de Redação do Curso Poliedro, Gabriela de Araújo Carvalho e a professora Andressa Tiossi Rodrigues comentam parágrafo a parágrafo o texto.

Tema da redação:
Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil

RedaçãoCorreção comentada
A Constituição da República Federativa do Brasil, de 1988, apelidada a de “Constituição Cidadã”, preconiza e assegura a liberdade de crença religiosa às pessoas, além de proteção e respeito a todas as religiões. Nesse sentido, a intolerância religiosa é um crime inafiançável e imprescritível, que fere a dignidade do indivíduo. Nesse cenário, a intolerância religiosa no Brasil é fruto de preconceitos socioculturais e tem como consequência a violência e a discriminação de certos setores da sociedade. No primeiro parágrafo, já é possível perceber um texto dentro do tema proposto, mas com uma tese ainda pouco densa, o que pode desencadear problemas na argumentação. Os conectivos começam a se repetir e podem trazer um desconto na Competência 4.
Em um país pós-escravista e eurocêntrico, a cultura africana se mostra grande alvo de preconceitos. No atual contexto brasileiro, as escolas persistem em ensinar apenas a história da Europa e a ignorar (problema de paralelismo sintático) a existência de um continente africano que, forçosamente, por meio da escravidão sistemática de negros adotada por Portugal, também colonizou o Brasil.No segundo parágrafo, o primeiro de desenvolvimento, há argumentos históricos, externos à coletânea, que demonstram conhecimentos externos. A discussão, por sua vez, não se aprofunda, ou seja, faltam argumentos ao parágrafo.
A violência para com as religiões afro-brasileiras é consequência de uma sociedade intolerante e preconceituosa. Apesar de atitudes agressivas, ofensas e tratamento diferenciado alguém por conta de sua religião ser crime, a generalização desse comportamento é nítida e fica exposta nas estatísticas: segundo a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, entre 2011 e 2014 foram 75 denúncias de discriminação contra religiões afro-brasileiras.Dados estatísticos, mesmo quando colhidos da coletânea, são aliados. Mais uma vez, porém, a argumentação não está bem construída.
A sociedade brasileira tem um nítido problema de intolerância e preconceito. Nesse cenário, o governo deve trabalhar em conjunto com a população para por um fim nessa situação. O Governo Federal, em parceria com os governos Estaduais e Municipais, podem envolver as escolas em projetos de conscientização dos alunos, por meio de aulas e livros didáticos, da diversidade de nosso país e da necessidade do respeito a todos, independente independentemente de seu credo. As famílias podem conversar com suas crianças e jovens, ensinando-os a tolerância e o respeito para com o próximo, mesmo que esse tenha uma cultura diferente. Dessa maneira, a segurança de todos poderá ser garantida, sem preconceitos ou discriminação.A proposta de intervenção é um pouco detalhada, mas ainda não é suficiente, já que fica apenas no plano da conscientização sem dizer como se faz. Para uma proposta de intervenção melhor, é necessário articular os agentes ao que foi exposto no corpo do texto e especificar mais suas ações..

Confira o nosso banco de redações do Enem e seja também nota 10 



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.