Notícias

Preparadão Universia: Será que saber de onde viemos nos ajuda a descobrir para onde vamos?

      
Desde então Duilia decidiu que seu objeto de estudo seria a colisão das galáxias
Desde então Duilia decidiu que seu objeto de estudo seria a colisão das galáxias
  • “Eu era uma menina Nerd”, brinca Duilia, para explicar suas predileções pela Química e pela Matemática.
  • Foi a primeira científica em registrar ao vivo a explosão de uma estrela.
  • Duilia trabalha em colaboração com a NASA e estudou graças às bolsas.   

Numa conversa bastante informal com o público presente, a astrônoma Duilia de Mello subiu ao cenário do Preparadão definindo a sua infância como a de “uma menina nerd”, que gostava de química e matemática. Com o Universo como laboratório, Duilia decidiu o rumo profissional que tomaria ainda na escola.

“Meu professor de História, que era meu favorito, foi quem me incentivou a fazer astronomia, enquanto que meu professor de Física me dizia que eu tinha que ser Engenheira”, conta com carinho.

Os estudos

Assim como aconteceu com ela, Duilia incentivou os alunos presentes no Preparadão a ter vontade de fazer a diferença. E contou que sempre estudou graças às bolsas. Ela é graduada em Astronomia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ em 1985), Mestre pelo Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE 1988), Mestre pela Universidade do Alabama (1993), Doutora pela USP (1995). Fez pós-doutorado no Instituto do Telescópio Espacial Hubble nos EUA e no Cerro Tololo Interamerican Observatory no Chile. Trabalhou no Observatório Espacial Onsala/Universidade de Chalmers na Suécia de 1999 a 2002.

Astrofísica galáctica

Foi durante uma observação no Chile que conheceu ao vivo um dos maiores eventos que serve como fonte de estudos para a Astronomia: a explosão de uma estrela. Duilia foi a primeira astrônoma a ver este acontecimento ao vivo.

“Na verdade não era uma explosão. Era a morte de uma estrela. Todos os elementos químicos formados no Universo se formam nas estrelas”, conta a astrônoma. Duilia contou que esta estrela se encontrava há 53,8 milhões de anos luz da Terra. E que o Chile tem um terreno favorável para a observação astronômica, tanto pela altitude como por possuir um ambiente seco, favorável para o avistamento das estrelas.

Desde então Duilia decidiu que seu objeto de estudo seria a colisão das galáxias. E abraçou a profissão de Astrofísica Galáctica. Desde o telescópio Hubble faz suas pesquisas científicas.

A Mulher das Estrelas

Hoje Duilia de Mello atua como professora titular da Universidade Católica de Washington EUA (PUC ou CUA em inglês) desde 2008. É também Vice-Reitora da CUA e pesquisadora do Instituto de Astrofísica e Ciência da Computação (IACS) que pertence a CUA e colabora com o Golddard Space Flight Center da NASA. 

"Todo o conhecimento que eu adquiri é o que me faz feliz. Não corram atrás de dinheiro. Ele é uma consequência, pois se você tem amor pela sua carreira, você já ganhou a loteria”, explica Duilia aos participantes do Preparadão. Autora de mais de 100 artigos científicos (google Scholar), escreveu o livro Vivendo com as Estrelas, publicado pela Editora Panda Books. 

Duilia reivindicou sua condição de mulher ao referir-se a si mesma como “uma científica”. E foi aplaudida. “Todos somos feitos de estrelas e todos fomos feitos para brilhar”, concluiu.



Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.