Aviso de cookies

Por meio de cookies próprios e de terceiros, coletamos informações para fornecer melhores serviços a todos os usuários. Compilamos informações estatísticas sobre a sua navegação para mostrar uma publicidade que tenha relevância com seus hábitos de navegação. Sempre que quiser, poderá desativar os cookies do seu browser. Se continuar navegando, consideramos que aceita os termos da política de utilização de cookies.

text.compare.title

text.compare.empty.header

Atualidade universitária

 

Nilson Lage, professor de lingüística da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), veio a Bauru nesta semana para uma série de atividades na Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (FAAC) da Unesp de Bauru. O profissional foi convidado para participar da banca de um concurso que selecionará professor de técnica redacional. Além da participação na escolha do novo docente da FAAC, Nilson Lage aproveitou a viagem e ministrou no dia 24 de maio a palestra "Ideologias e ações de controle sobre jornalistas no mundo contemporâneo" aos alunos da instituição.

Autor de vários livros sobre técnicas redacionais de jornalismo, Nilson Lage abordou o jornalismo e suas nuances através de diversos aspectos. Mesclando elementos históricos, linguísticos e jornalísticos, o professor falou sobre a função do jornalismo nos dias atuais e disse acreditar que nunca se viveu uma situação tão sombria quanto hoje, pois se promove guerras sem saber o porquê e a população sonega o prazer da convivência. Além disso, Lage afirmou que "o jornalista é um sujeito que transpõe relatos e ideias para a linguagem que seu público entenda. O jornalismo pode ser mero complemento técnico de grupos de poder ou de riqueza que atuam na sociedade".

Para exemplificar o trabalho do jornalista, Lage ainda discutiu os conceitos de verdade e de causa nas notícias veiculadas na mídia, e a interferência das ideologias dos profissionais que atuam nesse mercado. "O jornalismo transita entre a ?verdade das aparências? (relativas aos sentidos) e a ?verdade das essências?(definida pelos filósofos e cientistas), afirmou o profissional que acrescentou "a profissão é para pessoas comedidas e cautelosas, assim são os bons jornalistas".

Fonte: Assessoria de Comunicação da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

  • Fonte:


Tags:
Comentar

Comentários

    Ver mais 20 resultados

    Comente

    Ver mais