Wednesday :: 20 / 08 / 2014

TambémNotícias | Arte por dia | Enem 2014 | Livros grátis | Cadastre-se | MAPA DO SITE

Noticia : Redação

Saiba quais são os 4 erros de gramática mais comuns nas redações do vestibular

Ter um bom texto não adianta. É preciso ter cuidado e atenção para não cometer erros gramaticais que tiram pontos na correção da redação


ImprimirImprimirEnviar a un amigo EnviarPDFPDF


 

Na hora de escrever uma boa redação não importa apenas os argumentos e o formato do texto, mas também a gramática empregada pelo estudante. Portanto, qualquer erro nesse campo pode desvalorizar todo um bom trabalho feito na sua dissertação do vestibular. Para evitá-los é preciso conhecer as regras e fazer muitos exercícios de gramática. A Universia Brasil, maior rede Iberoamericana de colaboração universitária presente em 23 países, aponta quais são os erros mais comuns nas provas de redação do vestibular:

 

» Confira o Calendário do Vestibular 2011
» Confira todas as dicas no Especial Redação Vestibular
» Siga o Universia Brasil no Twitter

 

1) Plural de adjetivos compostos
Esses adjetivos costumam vir separados por hífen. Apenas o último elemento que é flexionado para concordar com o sujeito da oração. Exemplo: olhos castanho-claros. Entretanto, quando um dos termos for um substantivo, usa-se o hífen sem que nenhum dos elementos varie. Exemplo: saias azul-piscina

 

2) Crase
A crase está entre os erros mais cometidos pelos estudantes no vestibular. Ela ocorre diante de palavras femininas e surge da fusão do "a" preposição com o "a" artigo. A regra mais simples para descobrir se deve usá-la ou não é substituir o termo seguinte ao "a" por uma palavra equivalente masculina. Se com a troca gerar a contração "ao" antes da palavra, há necessidade de usar crase.

 

Exemplo: Fui à farmácia (Fui ao supermercado)

 

A má notícia é que esse truque não funciona em todos os casos. Quando a dúvida de usar a crase ou não for diante de nome de lugar (estado, cidade, país e etc) ao usar o verbo “ir” existe outra maneira de saber se a crase deve ou não ser utilizada. A dica é trocar o verbo “ir” por “volta” junto da preposição "de". Se a frase pedir um artigo então se usa crase. Exemplo: Volto de Nova York (Vou à Nova York)

 

3) Pronomes demonstrativos
Muitos estudantes erram o uso do "este" e "esse". Tenha em mente qual é o momento em que esses pronomes devem ser utilizados. O "este" é correto para demonstrar proximidade com quem fala, enquanto que "esse" está mais afastado e próximo da pessoa com quem se fala.

 

Exemplo: Este computador é meu, esse é o seu

 

A ideia de proximidade também serve para localização temporal. "Este" indica o tempo em que estamos e o futuro, enquanto "esse" é usado para o tempo passado. Exemplos: Fui ao cinema nessa sexta-feira ou Irei ao shopping neste final de semana. Mais dúvidas surgem com relação à posição dos elementos no texto. Para os já citados, usamos o "esse", enquanto os que serão anunciados utiliza-se o "este".

 

Exemplos:
Eu não quero mais falar com você, essa é a verdade
O que eu espero de você é isto: seja feliz

 

4) Pronomes relativos
Esses pronomes são usados para unir duas orações em apenas um período:

 

Exemplos:
Não conheço o diretor. O diretor saiu
Não conheço o diretor que saiu

 

Os pronomes, entretanto, devem ser empregados da maneira correta. O "cujo" é um dos usados de maneira incorreta. Ele tem valor possessivo e deve concordar com o elemento possuído, e não com o termo anterior. Além de não permitir usar artigo depois de sua utilização:

 

Exemplos:
ERRADO: Gosto da garota cuja a mãe é professora
CERTO: Gosto da garota cuja mão é professora

 

Outro erro comum entre os estudantes é o uso do pronome "onde" sem que haja indicação de lugar:

 

Exemplos:
ERRADO: Gosto de jantar com meu namorado no sábado, onde ele faz macarrão
CERTO: Gosto de jantar com meu namorado no sábado, quando ele faz macarrão



Autor:




RSS   


Comentarios para esta noticia

 

Publicidad

Publicidad