text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Conheça 5 jovens inovadores eleitos pelo MIT

      
Fonte: Shutterstock

Um levantamento do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), famoso por lançar no mercado grandes profissionais e pesquisadores, desenvolve, desde 1999, uma lista com os jovens mais inovadores do mundo, que tenham menos de 35 anos.

 

Cadastre-se aqui para receber dicas de carreira

Você pode ler também:


» Profissionais com mestrado têm melhor retorno financeiro, aponta pesquisa
» 3 atitudes comuns aos jovens que podem ajudá-lo a começar seu próprio negócio
» Todas as notícias de Carreira

 

Entre os nomes listados pelo MIT estão jovens empreendedores brasileiros, que se destacaram no cenário internacional por conta de seus projetos criativos e atitudes inovadoras. A seguir, conheça 5 deles:

 

1 - Eduardo Bontempo 

Eleito em 2014, Eduardo Bontempo criou uma plataforma educativa de estudo personalizado para uso de universidades: a Geekie Lab. Desenvolvida em parceria com seu sócio, Claudio Sassaki, a plataforma baseada no sistema de inteligência artificial identifica as necessidades de cada estudante e cria uma linha de estudos personalizada, de acordo com as habilidades e deficiências do aluno. A Geekie Lab já é utilizada por 2,4 milhões de estudante de mais de 17 mil instituições do Brasil. Bontempo se formou em Administração pela Fundação Getúlio Vargas e fez MBA no MIT.

 

2 - David Schlesinger

Formado em Medicina pela Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduado pelo Brigham & Women's Hospital in Boston (USA), David Schlesinger é filho de uma biologa e um engenheiro, o que o fez se interessar por assuntos como bioinformática e biologia molecular. Eleito em 2014 como um destaque em sua área, Schlesinger desenvolveu um programa de computador que torna mais preciso o diagnóstico de doenças genéticas raras.

 

3 - Mario Adolfi

Quando criança, Mario Adolfi fazia visitas frequentes ao hospital com seu irmão, que sofria de uma doença respiratória. Essa experiência se uniu aos conhecimentos adquiridos durante a graduação de Biomedicina na USP e fez com que Adolfi percebese a importância de um plano de saúde eficiente na vida dos pacientes e seus familiares. Por isso, em 2009, o empreendedor criou o projeto Kidopi, o primeiro sistema de coordenação de emergências médicas baseado na web, tendo como público a população de Ribeirão Preto, em São Paulo, composta por mais de 1 milhão de habitantes.

 

4 - Lorrana Scarpioni 

Formada em Relações Públicas pela Universidade Federal do Paraná e em Direito pelo Centro Universitário Curitiba, Lorrana Scarpioni desenvolveu uma rede social de troca de tempo e experiências. A Bliive, como foi batizada, funciona assim: o usuário oferece uma 1 hora de aula de guitarra para outro usuário e recebe em troca o chamado TimeMoney, moeda exclusiva da rede que pode ser trocada pelo o que a pessoa desejar. Hoje, a Bliive já conta com 15 mil participantes de mais de 55 países.

 

5 - Lucas Strasburg 

O tio de Lucas Strasburg precisa de uma prótese ortopédica em sua perna esquerda para que a movimentação do membro seja normalizada. No entanto, a prótese oferecida pelo sistema de saúde do governo brasileiro, chamada SACH (Solid Ankle Cushion Heel), não cumpre bem esse papel, pois é feita de madeira e não tem sistema de absorção de impacto, o que a torna pouco confortável. Uma opção muito mais eficiente é uma prótese importada aa Alemanha e Estados Unidos, mas que custa cerca de US$ 1.500. Para dar uma nova chance a pessoas com poucos recursos, como seu tio, Strasburg, que tem apenas 22 anos, criou uma prótese inovadora, chamada Revo Foot, cuja principal matéria prima é plástico reciclado.

Clique aqui para conhecer todos os jovens brasileiros eleitos pelo MIT.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.