text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Interação mediada por computador: a comunicação e a educação a distância segundo uma perspectiva sistêmico-relacional

      

Alex Fernando Teixeira Primo, autor da tese

Título: Interação mediada por computador: a comunicação e a educação a distância segundo uma perspectiva sistêmico-relacional

Autor: Alex Fernando Teixeira Primo, 34 anos, é graduado em Publicidade e Jornalismo na Universidade Católica de Pelotas, em 1991. O mestrado, em Jornalismo, foi feito na Butler University, no estado de Indiana, Estados Unidos, em 1993. Defendeu sua tese de doutorado em março de 2003, no programa de Informática na Educação. ? professor de projeto gráfico e computação gráfica do curso de Publicidade da UFRGS e coordenador do Laboratório do Núcleo de Pesquisa em Informação e Novas Tecnologias.

Objetivo: Análise da comunicação interpessoal mediada por computador. "Mas eu não queria usar os modelos tecnicistas que estavam à disposição. Então estudei a interação mediada por computador, tanto a mútua como a reativa, fazendo uma crítica às teorias da interatividade e à inteligência artificial", explica o autor.

Tempo de duração: De 1998 a 2003

Processo de elaboração: A idéia para o trabalho de Doutorado foi o amadurecimento e a continuidade de estudos que Primo iniciou em seu mestrado, nos Estados Unidos. "No mestrado estudei a comunicação interpessoal. Então, na tese, por eu ser uma pessoa da Comunicação fazendo doutorado no programa de pós-graduação de Informática na Educação, tentei fazer minha contribuição no sentido de trazer o olhar da Comunicação para a Educação a Distância", conta Primo. Em 1998, no início do Doutorado, começou a estudar a questão da interatividade e percebeu que os textos eram extremamente tecnicistas. "O estudo da comunicação humana, entre alunos e professores, era muito simplista, e foi aí que retornei à comunicação interpessoal, porque desde o início da Web se via que a comunicação de massa era sempre o modelo ïum - todos`. E na internet se permite o modelo ïum - um` ou ïtodos - todos`. Por isso me pareceu lógico estudar os chats e os fóruns", explica.

Aplicação prática: O roteiro criado para avaliar ambientes de educação a distância pode ser utilizado por outros pesquisadores. "A contribuição deste trabalho é teórico-conceitual. Criei um roteiro e uma teoria para estudar a comunicação mediada por computador. Toda a tese está sempre calcada em um trabalho prático, empírico. Toda crítica que faço é exercitada antes. Criei a Cybelle, uma robô, que pode ser utilizada para estudar inteligência artificial e de como se reproduz o pensamento humano", explica Primo.

O que pretende fazer agora: Participa de um projeto de construção de um ambiente de educação a distância que será utilizado pela UFRGS. "Vamos pensar na cooperação online e preparar um projeto de edição de textos coletivos, que eu chamo de hipertexto cooperativo. Serão vários internautas podendo criar o mesmo texto coletivamente, um alternando a produção do outro. Através da interação, as pessoas vão criando um relacionamento e isso tem um impacto recursivo entre elas", diz o professor.

RESUMO
Leia aqui o resumo da tese em
Português
Inglês
A Tese: A primeira parte do trabalho de Primo se dedica à crítica das teorias já existentes sobre interatividade. "Todas essas idéias são tecnicistas, transmissionistas e têm repercussão na educação a distância, que é pensada de acordo com esses modelos", afirma.

Como base teórica, ele utilizou os modelos de Piaget e Paulo Freire. "A transmissão de conteúdos na educação se associa a um modelo behaviorista, comportamentalista da Psicologia. Fui buscar referência nestes autores, porque acredito que o que tem sido feito em EAD é a reprodução ao invés da construção do conhecimento. E os autores defendem a cooperação, a construção coletiva. Por isso acredito que se deve pensar a EAD não simplesmente como colocar apostilas digitais no ar e avaliar o aluno apenas através de testes de múltipla escolha que são até corrigidos automaticamente. O que se deve fazer é valorizar todos os processos que os educandos estão envolvidos. Eles são responsáveis pelo aprendizado dos colegas, valorizando a autonomia e os trabalhos em grupo", explica.

O conceito de autonomia pensado por Primo não é, segundo ele, a pessoa estar anonimamente em casa lendo a apostila e respondendo a um teste de múltipla escolha, mas no sentido de ter a possibilidade de selecionar os assuntos que interessam, fazer seus próprios trabalhos e ser crítico.

O pesquisador apresenta uma tipologia para avaliar a interação mútua e a reativa. A mútua se refere ao impacto recursivo (interativo) entre os interagentes. "· medida que se interage, o próprio relacionamento vai sendo criado entre eles e tendo impacto sobre eles. Um chat é um exemplo disso", diz Primo. Interação reativa é aquela que depende da previsão. Quando se clica em um link, por exemplo, ele vai destinar o usuário sempre para uma página determinada. "Nesse caso, não posso alterar o link, é outra pessoa que determina a minha interconexão", explica. Entre as aplicações que o pesquisador fez, está a criação de uma robô de conversação, Cybelle, que simula um bate-papo e responde a perguntas. O objetivo é fazer uma crítica à inteligência artificial. "Associado ao processo teórico, sempre tinha um outro mais criativo, prático, através da criação de mecanismos para poder exercitar e comprovar que o que eu estava propondo não era simplesmente algo sem repercussão real", conta.

Na parte final da tese, Primo fala sobre a educação a distância, reunindo toda a discussão, e oferecendo um roteiro para avaliação dos ambientes utilizados. "Só que aqui o ambiente de educação a distância não é simplesmente o software utilizado, vazio de pessoas, mas todo o geoprocesso educacional envolvendo aí, claro, além do software, os professores e os educandos", explica.

A tese de Primo foi premiada pela Sociedade Brasileira de Informática na Educação e também no Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. "Fiquei feliz com os dois prêmios, porque sou da Comunicação, mas fiz um trabalho interdisciplinar e fui premiado pelas duas sociedades. ? sinal de que a área de educação a distancia merece essa abordagem interdisciplinar", diz o pesquisador.

Conclusões: Foram elaboradas tipologias para avaliação da interatividade e o autor, durante todo o período do doutorado, criou ferramentas que possibilitaram sua análise sobre o tema proposto. "Criei a robô Cybelle justamente para mostrar que não é possível reproduzir o comportamento humano", diz Primo. "Quando converso com a robô, ela vai sempre responder aquilo que eu a programei para dizer, ela não percebe contexto, não se lembra do que aconteceu antes".

Sobre o estudo da interatividade, o pesquisador destaca que a partir dos seus estudos é possível dizer que os cursos a distância que funcionam apenas de forma expositiva - o que ele chama de "apostilas digitais" - ficam apenas na interação reativa e não permitem a criatividade. "Isso, como diria Paulo Freire, é uma educação bancária, reprodutora", explica. "Eu tento chamar a atenção de que para um processo construtivista, como defendido por Freire, é importante que o ambiente tenha ferramentas tecnológicas para facilitar a interação mútua convidando os alunos para fazerem trabalhos em grupo, participar do processo de aprendizagem de forma ativa, porque entendo que a interação valoriza a inventividade, não a reprodução, mas a autonomia e a crítica", conclui.

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.