text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Instituto Japi antecipa tendência em tecnologia

      
Faculdade adota os dispositivos thin clients - clientes magros - para dar maior agilidade no acesso às informações para os alunos, desde pesquisas na internet até dados sobre a vida escolar. Tecnologia representa economia de 30%, facilidade de manutenção e segurança.

Grandes fornecedores de tecnologia em todo o mundo vêm investindo nos dispositivos thin clients. Essa tendência mundial, que está chegando ao Brasil só agora, foi implantada no Instituto Japi de Ensino Superior no fim do ano passado, quando a faculdade, localizada em Jundiaí, instalou um novo laboratório para os alunos e reformulou toda a rede de computadores utilizada por professores e funcionários.

Os thin clients são terminais sem disco rígido (não têm processamento local), que podem acessar e rodar aplicativos (softwares) armazenados em servidores com grande capacidade. Quando o usuário digita sua senha, ele acessa seus arquivos da mesma forma que faria em um PC convencional, a diferença é que os programas não ficam na máquina que ele está operando, mas instalados em um servidor que pode estar a quilômetros de distância. Daí o nome, que em tradução literal quer dizer cliente magro.

O servidor do Instituto Japi é um poderoso computador que utiliza modernos processadores de 64 bits, tecnologia que inova o gerenciamento de grandes áreas de memória, tornando os acessos para gravação e recuperação de dados muito mais rápidos. É uma nova geração digital que habilita a utilização de antigos e eficientes conceitos de computação centralizada, antes limitada pelo alto custo dos equipamentos e aplicações necessárias.

Os alunos acessam o sistema utilizando senhas pessoais e guardam seus arquivos digitais de trabalho no disco do servidor do Instituto ou em unidades individuais de memória - pen drives - que podem ser conectadas aos thin clients em que estão trabalhando.

Com 880 alunos em quatro cursos, o Japi optou por esse sistema depois de considerar a eficácia na manutenção e operacionalização. Uma rede de thin clients permite que um funcionário ou aluno trabalhe em qualquer máquina da faculdade, pois os softwares e arquivos ficam nos servidores a que todos os thin clients estão ligados. Com isso, administrar e proteger o sistema é mais fácil, pois basta instalar um antivírus no servidor para que todos os terminais conectados estejam protegidos. Outra vantagem apontada é o fato de os usuários não conseguirem baixar e instalar softwares em suas máquinas, o que evita problemas com segurança. A atualização dos programas também é feita apenas no servidor e não em cada terminal.

Ao optar pelos 'thin clients' reduz-se barbaramente os problemas de manutenção e o que pode acontecer com a rede. Com menos dispositivos agregados, ele quebra menos e, além disso, liga mais rápido, não faz barulho, não gera calor e ocupa menos espaço. Com PCs convencionais você tem de ter uma estrutura de manutenção que não é simples, analisa Carlos Alquéres, assessor de TI do Instituto Japi.

Segundo Alquéres, com os thin clients é possível se conseguir uma economia de cerca de 30%, recurso que pode ser usado na aquisição de outros equipamentos mais modernos, como monitores de tela fina e leitores de impressão digital para acesso ao sistema. No entanto, ele ressalta que esta, apesar de importante, não é a maior vantagem: O mais importante é que com essa tecnologia o aluno tem a seu dispor um sistema de alta capacidade, confiabilidade e disponibilidade, pois está conectado a um computador poderosíssimo que tem uma conexão muito rápida com a internet, o que facilita suas atividades universitárias, como fazer pesquisas, por exemplo.

Inovações O investimento em tecnologia continuará a ser uma das prioridades da faculdade em 2006, quando será instalado mais um servidor, aumentando a disponibilidade da rede e facilitando ainda mais o acesso dos usuários. Além disso, o sistema de autenticação está sendo configurado para aumentar a segurança dos arquivos dos alunos. Atualmente, eles compartilham uma área comum de dados.

Também no próximo ano, cada aluno será estimulado a ter sua própria pen drive, unidade pessoal de memória de alta capacidade. Com este recurso ficará mais fácil levar os dados de um computador para outro, com total segurança, sem a utilização de disquetes. Para utilizar a pen basta conectá-la em uma porta USB e ela é reconhecida por qualquer sistema operacional. O USB permite que um novo dispositivo seja colocado no computador sem ter de adicionar uma placa adaptadora ou mesmo ter de desligá-lo. Basta conectar o periférico que ele é automaticamente identificado e instalado.

Tendência A facilidade de gerenciamento e manutenção com custo de aquisição menor vêm fazendo dos thin clients uma alternativa cada vez mais considerada nas empresas para equipar seus funcionários. Segundo Alquéres, a utilização dos dispositivos do tipo thin clients começou há alguns anos em universidades e hospitais da Califórnia e há quem diga, nos EUA, que a computação baseada em cientes magros tende a ser a terceira fase da história da computação, sendo a primeira a dos mainframes e a segunda a da computação distribuída pelos desktops.

Mundialmente, estima-se que esses dispositivos representem 5,5% do parque instalado de computadores pessoais de mesa nas empresas. A participação deverá dobrar para 11% em 2009, evidenciando que esse mercado cresce mais rápido que o de PCs.

Sobre o Japi Em 2005, quatro dos maiores profissionais da área, reconhecidos pela grande competência como educadores e formuladores de políticas públicas de educação, assumiram a direção da mantenedora (Instituição Educacional Terra da Uva) do Instituto: Rose Neubauer, professora doutora da Universidade de São Paulo, ex-secretária de Educação do Estado e presidente do Instituto Protagonistés; Guiomar Namo de Melo, diretora Executiva da Fundação Victor Civita, e ex-secretária municipal de Educação de São Paulo; Hubert Alquéres, presidente da Imprensa Oficial do Estado e membro do Conselho Estadual de Educação; e Marco Antonio Bottino, professor da Unesp-Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

Em apenas um ano de trabalho, a nova administração do Instituto Japi promoveu grandes mudanças. O instituto hoje funciona em novas e amplas instalações, especialmente idealizadas para o ensino, está equipado com modernos e atualizados laboratórios e biblioteca; e oferece cursos com conteúdo diferenciado, ministrado por mestres e doutores.

Em julho, o Instituto venceu o pregão da Teia do Saber para oferecer a 280 professores da Diretoria de Ensino de Caieiras e região um curso de aperfeiçoamento. A ação faz parte do Programa de Formação Continuada de Professores, da Secretaria de Estado da Educação de São Paulo. Em outubro, o Japi passou a oferecer o curso de pós-graduação em Gestão Escolar para 150 professores da rede municipal por meio de convênio com a Prefeitura de Jundiaí.

As inscrições para o processo seletivo para o primeiro semestre de 2006 estão abertas. Os interessados podem se inscrever até o dia 9 de dezembro, de segunda a sexta, das 9h às 20h30, na sede do Instituto (rua Lobo Rezende, 100, Vila Arens). A prova será realizada no dia 11 de dezembro, às 14h. O valor da inscrição é de R$ 20. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 4587-0113 ou no e-mail secretaria@japi.br Mais informações com Carla Nascimento - Lu Fernandes Escritório de Comunicação - 11-3814-4600

Fonte: Instituto Japi de Ensino Superior

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.