text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Resumo Fuvest 2016: Capitães da Areia, de Jorge Amado - Estrutura e Linguagem

      
<p>Para se sair bem nas provas de Literatura dos grandes vestibulares, como a <strong>Fuvest</strong>, não basta conhecer o enredo e quem são as protagonistas das obras obrigatórias. Além dessas informações, os estudantes devem prestar atenção também na linguagem e estrutura adotadas pelo autor para relatar o desenrolar dessa história. Por esta razão, a <strong><a title=série Você não leu, mas precisa saber href=https://noticias.universia.com.br/tag/voc%C3%AA-n%C3%A3o-leu-mas-precisa-saber/>série Você não leu, mas precisa saber</a> </strong>dedicou uma seção exclusiva para tratar destes tópicos na obra <strong><a title=Capitães da Areia, de Jorge Amado href=https://noticias.universia.com.br/atualidade/especial/2015/03/10/1121238/leu-precisa-saber-capites-areia-jorge-amado.html>Capitães da Areia, de Jorge Amado</a></strong>. Confira a seguir e bons estudos!</p><p><strong>Leia também:</strong></p><p><strong><a title=» Leia o resumo completo de Capitães da Areia, de Jorge Amado href=https://noticias.universia.com.br/atualidade/especial/2015/03/10/1121238/leu-precisa-saber-capites-areia-jorge-amado.html>» Leia o resumo completo de Capitães da Areia, de Jorge Amado</a></strong><br/><strong><a title=Mais de 2.000 livros grátis para download href=https://noticias.universia.com.br/tag/livros-gr%C3%A1tis>» Mais de 2.000 livros grátis para download</a></strong></p><p> </p><p><strong>1 -</strong> O <strong>narrador é onisciente</strong> e se simpatiza com o grupo de menores abandonados. No seu relato, predomina o <strong>discurso indireto livre.</strong></p><p><strong><br/>2 -</strong> O <strong>estilo coloquial</strong> está presente na <strong>linguagem</strong>, mas também na <strong>estrutura sintática</strong> das frases, uma vez que o autor escreve usando <strong>orações coordenadas</strong>, por exemplo.</p><p><strong><br/>3 -</strong> O <strong>ritmo da narrativa</strong> é semelhante ao do contador de histórias: <strong>natural e descontraído</strong>. Neste ponto, <strong>Jorge Amado e Graciliano Ramos apresentam diferenças</strong>, uma vez que o último preza pela precisão semântica, por exemplo.</p><p><strong><br/>4 -</strong> A <strong>segunda e a terceira pessoa</strong> aparecem misturadas nas frases.</p><p><strong><br/>5 -</strong> Nos diálogos, além de usar o <strong>registro popular</strong>, Jorge Amado utiliza <strong>palavras chulas.</strong></p><p><strong><br/>6 -</strong> A obra está dividido em 3 partes:</p><p style=padding-left: 30px;><strong><br/>I. Sob a lua num velho trapiche abandonado</strong></p><p style=padding-left: 30px;> Apresentação dos membros dos Capitães da Areia e descrição dos espaços físicos, como o trapiche em que vivem, e da sociedade na qual estão inseridos por meio de alguns fatos</p><p style=padding-left: 30px;> </p><p style=padding-left: 30px;><strong>II.</strong> <strong>A noite da grande paz dos teus olhos</strong></p><p style=padding-left: 30px;> Uma menina passa a integrar pela primeira vez o grupo dos meninos de rua, fato explorado nessa parte. Além de se tornar noiva e esposa de Pedro Bala, Dora ainda é vista como mãe e irmã pelos demais garotos</p><p style=padding-left: 30px;><strong><br/>III. Canção da Bahia, canção da liberdade</strong> </p><p style=padding-left: 30px;>Alguns meninos abandonam o trapiche, como Volta Seca. Outras personagens, antes marginalizadas, desenvolvem consciência política e alinham-se, cada qual a sua maneira, ao socialismo, mudança de comportamento comum na prosa de Jorge Amado</p><p><strong><br/>7 -</strong> Antes delas, o autor introduz o tema dos menores abandonados através de uma série de cartas publicadas no <em>Jornal da Tarde</em> de Salvador. Sob o título <strong>“Cartas à redação”</strong>, reuniu-se a notícia de um dos roubos realizados pelos Capitães da Areia e cartas que denunciavam alguns <strong>problemas institucionais</strong> referentes à delinquência, como as condições de tratamento das crianças e jovens nos reformatórios. Em seguida, o diretor do reformatório, também em carta, convida algum dos jornalistas a visitar a instituição e observar pelos próprios olhos como as acusações eram falsas. Com data e horário marcado, o redator pode observar a <strong>“eficiência” do reformatório</strong> e, por isso, reproduziu nas páginas do jornal a versão oficial.</p>
Fonte: Universia Brasil - Gabriela Costa

Para se sair bem nas provas de Literatura dos grandes vestibulares, como a Fuvest, não basta conhecer o enredo e quem são as protagonistas das obras obrigatórias. Além dessas informações, os estudantes devem prestar atenção também na linguagem e estrutura adotadas pelo autor para relatar o desenrolar dessa história. Por esta razão, a série Você não leu, mas precisa saber dedicou uma seção exclusiva para tratar destes tópicos na obra Capitães da Areia, de Jorge Amado. Confira a seguir e bons estudos!

Leia também:

» Leia o resumo completo de Capitães da Areia, de Jorge Amado
» Mais de 2.000 livros grátis para download

 

1 - O narrador é onisciente e se simpatiza com o grupo de menores abandonados. No seu relato, predomina o discurso indireto livre.


2 -
 O estilo coloquial está presente na linguagem, mas também na estrutura sintática das frases, uma vez que o autor escreve usando orações coordenadas, por exemplo.


3 -
 O ritmo da narrativa é semelhante ao do contador de histórias: natural e descontraído. Neste ponto, Jorge Amado e Graciliano Ramos apresentam diferenças, uma vez que o último preza pela precisão semântica, por exemplo.


4 -
 A segunda e a terceira pessoa aparecem misturadas nas frases.


5 -
 Nos diálogos, além de usar o registro popular, Jorge Amado utiliza palavras chulas.


6 -
 A obra está dividido em 3 partes:


I. Sob a lua num velho trapiche abandonado

 Apresentação dos membros dos Capitães da Areia e descrição dos espaços físicos, como o trapiche em que vivem, e da sociedade na qual estão inseridos por meio de alguns fatos

 

II. A noite da grande paz dos teus olhos

 Uma menina passa a integrar pela primeira vez o grupo dos meninos de rua, fato explorado nessa parte. Além de se tornar noiva e esposa de Pedro Bala, Dora ainda é vista como mãe e irmã pelos demais garotos


III. Canção da Bahia, canção da liberdade
 

Alguns meninos abandonam o trapiche, como Volta Seca. Outras personagens, antes marginalizadas, desenvolvem consciência política e alinham-se, cada qual a sua maneira, ao socialismo, mudança de comportamento comum na prosa de Jorge Amado


7 -
 Antes delas, o autor introduz o tema dos menores abandonados através de uma série de cartas publicadas no Jornal da Tarde de Salvador. Sob o título “Cartas à redação”, reuniu-se a notícia de um dos roubos realizados pelos Capitães da Areia e cartas que denunciavam alguns problemas institucionais referentes à delinquência, como as condições de tratamento das crianças e jovens nos reformatórios. Em seguida, o diretor do reformatório, também em carta, convida algum dos jornalistas a visitar a instituição e observar pelos próprios olhos como as acusações eram falsas. Com data e horário marcado, o redator pode observar a “eficiência” do reformatório e, por isso, reproduziu nas páginas do jornal a versão oficial.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.