text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Seja persistente como Cora Coralina

      
<p>Há 126 anos nascia Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, uma das maiores escritoras brasileiras do século XX. Conhecida pelo seu pseudônimo <strong>Cora Coralina</strong>, a poetisa goiana, mesmo escrevendo desde sua adolescência, conseguiu publicar seu primeiro livro, <strong>“Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais”</strong>, apenas aos 76 anos.<br/><br/></p><p><span style=color: #333333;><strong>Veja também:</strong></span><br/><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=Aplique os ensinamentos de Charles Chaplin no seu dia a dia href=https://noticias.universia.com.br/cultura/noticia/2015/08/07/1129591/aplique-ensinamentos-charles-chaplin- dia-dia.html>» <strong>Aplique os ensinamentos de Charles Chaplin no seu dia a dia</strong></a><br/><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=Aprenda a tornar-se uma pessoa mais forte com a série Sense8 href=https://noticias.universia.com.br/cultura/noticia/2015/08/14/1129895/aprenda-tornar-pessoa-forte-serie- sense8.html>» <strong>Aprenda a tornar-se uma pessoa mais forte com a série Sense8</strong></a><br/><a style=color: #ff0000; text-decoration: none; text-weight: bold; title=Todas as notícias de Cultura href=https://noticias.universia.com.br/cultura>» <strong>Todas as notícias de Cultura</strong></a></p><p><br/>As produções de Aninha, como ela carinhosamente chamava a si mesma, porém, só conseguiram projeção nacional depois que a doceira de profissão enviou cópias desta obra para grandes escritores, sendo que <strong>Carlos Drummond de Andrade </strong>era um deles. Impressionado com o estilo desta senhora escritora que apenas cursou as quatro primeiras séries na escola, ele escreveu:</p><blockquote style=text-align: center;>Não estou fazendo comercial de editora, em época de festas. A obra foi publicada pela Universidade Federal de Goiás. Se há livros comovedores, este é um deles</blockquote><p><br/>Deste momento em diante, passou a ser considerada uma das mais importantes vozes da literatura nacional. Afinal, retratou como poucos a vida no interior do Brasil, falando sobre o folclore, becos e ruas históricas de Goiás e ainda discorreu sobre o futuro, por acreditar que conversaria também com as próximas gerações.<br/><br/></p><p><iframe style=display: block; margin-left: auto; margin-right: auto; src=https://www.youtube.com/embed/T1sKF7ga9jI?rel=0 width=640 height=350 frameborder=0 allowfullscreen=allowfullscreen></iframe></p><p><br/>Embora tenha sempre produzido textos sobre o cotidiano na sua cidade natal, Goiás, Cora passou boa parte da sua vida no estado de São Paulo com os filhos e seu marido. Depois do falecimento dele, ela chegou a trabalhar vendendo livros e produzindo linguiça e banha de porco, mas nunca deixou de lado o hábito de escrever.</p><p><br/>O reconhecimento, apesar de vindo tardiamente, culminou na criação do <strong>Museu Casa Cora Coralina</strong> em 1989, na casa onde ela morou em Goiás. Lá, os fãs da escritora podem ver de perto manuscritos, livros, objetos pessoais e até mesmo as cartas trocadas com Drummond. Hoje, este espaço tem por objetivo incentivar a produção cultural local e valorizar a identidade sociocultural da população.<br/><br/></p><p><iframe style=display: block; margin-left: auto; margin-right: auto; src=https://www.youtube.com/embed/xkqA_TIPqm4?rel=0 width=640 height=350 frameborder=0 allowfullscreen=allowfullscreen></iframe></p><p><br/>Em homenagem a este grande exemplo de persistência e tenacidade, dedicamos o <a title=52 semanas - Universia Brasil href=https://noticias.universia.com.br/tag/52-semanas-universia-brasil/>#52semanas</a><strong> </strong>a Cora Coralina. Confira frases inspiradoras desta poetisa para você também não desistir de conseguir alcançar seus objetivos, independentemente de quais sejam eles. Não se esqueça também de mandar sugestões e conferir os outros temas do projeto na <a title=Comunidade do Google+ href=https://plus.google.com/communities/115287306233768210186 target=_blank>nossa comunidade no Google+</a>.</p><p style=text-align: center;><br/><strong><span style=color: #ff0000;><img src=https://imagenes.universia.net/gc/net/images/cultura/-/-p/-po/-poemas-cora-coralina.png alt=width=undefined height=undefined/></span></strong></p><p style=text-align: center;> </p><p style=text-align: center;><img src=https://imagenes.universia.net/gc/net/images/cultura/f/fr/fra/frases-cora-coralina.png alt=width=undefined height=undefined/></p><p style=text-align: center;> </p><p style=text-align: center;><img src=https://imagenes.universia.net/gc/net/images/cultura/c/co/cor/cora-coralina-textos.png alt=width=656 height=1100/></p><p style=text-align: center;> </p><p style=text-align: center;><img src=https://imagenes.universia.net/gc/net/images/cultura/c/co/cor/cora-coralina-frases.png alt=width=undefined height=undefined/></p><p style=text-align: center;> </p><p style=text-align: center;><img src=https://imagenes.universia.net/gc/net/images/cultura/c/co/cor/cora-coralina-poemas-1440176723811.png alt=width=undefined height=undefined/></p>
Fonte: Universia Brasil

Há 126 anos nascia Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, uma das maiores escritoras brasileiras do século XX. Conhecida pelo seu pseudônimo Cora Coralina, a poetisa goiana, mesmo escrevendo desde sua adolescência, conseguiu publicar seu primeiro livro, “Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais”, apenas aos 76 anos.

Veja também:
» Aplique os ensinamentos de Charles Chaplin no seu dia a dia
» Aprenda a tornar-se uma pessoa mais forte com a série Sense8
» Todas as notícias de Cultura


As produções de Aninha, como ela carinhosamente chamava a si mesma, porém, só conseguiram projeção nacional depois que a doceira de profissão enviou cópias desta obra para grandes escritores, sendo que Carlos Drummond de Andrade era um deles. Impressionado com o estilo desta senhora escritora que apenas cursou as quatro primeiras séries na escola, ele escreveu:

"Não estou fazendo comercial de editora, em época de festas. A obra foi publicada pela Universidade Federal de Goiás. Se há livros comovedores, este é um deles"


Deste momento em diante, passou a ser considerada uma das mais importantes vozes da literatura nacional. Afinal, retratou como poucos a vida no interior do Brasil, falando sobre o folclore, becos e ruas históricas de Goiás e ainda discorreu sobre o futuro, por acreditar que conversaria também com as próximas gerações.


Embora tenha sempre produzido textos sobre o cotidiano na sua cidade natal, Goiás, Cora passou boa parte da sua vida no estado de São Paulo com os filhos e seu marido. Depois do falecimento dele, ela chegou a trabalhar vendendo livros e produzindo linguiça e banha de porco, mas nunca deixou de lado o hábito de escrever.


O reconhecimento, apesar de vindo tardiamente, culminou na criação do Museu Casa Cora Coralina em 1989, na casa onde ela morou em Goiás. Lá, os fãs da escritora podem ver de perto manuscritos, livros, objetos pessoais e até mesmo as cartas trocadas com Drummond. Hoje, este espaço tem por objetivo incentivar a produção cultural local e valorizar a identidade sociocultural da população.


Em homenagem a este grande exemplo de persistência e tenacidade, dedicamos o #52semanas a Cora Coralina. Confira frases inspiradoras desta poetisa para você também não desistir de conseguir alcançar seus objetivos, independentemente de quais sejam eles. Não se esqueça também de mandar sugestões e conferir os outros temas do projeto na nossa comunidade no Google+.


 

 

 

 


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.