text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Como usar as redes sociais na revisão para o vestibular

      
<h2>Na tela do zap</h2><p>Prática cada vez mais frequente – e estimulada –, a formação de grupos de WhatsApp funciona como uma forma ampliada de aplicação do estudo em grupo.</p><p>Da mesma maneira que, para alguns estudantes, a interação entre colegas na hora de estudar opera de forma bastante eficiente, a única diferença é que, agora, as distâncias podem ser rompidas pelo digital.</p><p>A proposta é a criação de um grupo no WhatsApp específico para os estudos. A delimitação de temas pode ser bastante proveitosa para o direcionamento dos conteúdos. Por exemplo: Grupo de Dúvidas para o Enem 2017.</p><p> </p><h2>Em tempo real</h2><p>Quando se é vestibulando, no seu horário de estudos é bem provável que outras pessoas também estejam fazendo a mesma atividade.</p><p>Nesse momento, um exercício mais complicado, alguma dúvida pontual ou mesmo alguma sacada que o estudante tenha percebido podem ser compartilhadas.</p><p>A tendência é que o grupo interaja em tempo real e, assim, enriqueça os estudos com a ajuda de ferramentas digitais.</p><p>Em alguns casos, dependendo do relacionamento entre alunos e professores, ou professores particulares, se for o caso, a sugestão é que até o docente também faça parte do grupo.</p><p>Nesse caso, por exemplo, o mestre pode estipular alguns horários específicos para sua interação.</p><p>A vantagem do WhatsApp é a possibilidade de envio de fotografias, áudio e vídeo.</p><p> </p><h2>Facebook e aprendizado</h2><p>Em outras redes sociais, como é o caso do Facebook, a interação para revisão e dúvidas de conteúdo também pode acontecer.</p><p>As propostas podem ser definidas desde a criação, também, de grupos sobre determinados temas, que receberiam apenas postagens e mensagens desse assunto.</p><p>Outra hipótese está em participar de páginas específicas sobre esses assuntos, estudos, tira-dúvidas, etc.</p>

Na tela do zap

Prática cada vez mais frequente – e estimulada –, a formação de grupos de WhatsApp funciona como uma forma ampliada de aplicação do estudo em grupo.

Da mesma maneira que, para alguns estudantes, a interação entre colegas na hora de estudar opera de forma bastante eficiente, a única diferença é que, agora, as distâncias podem ser rompidas pelo digital.

A proposta é a criação de um grupo no WhatsApp específico para os estudos. A delimitação de temas pode ser bastante proveitosa para o direcionamento dos conteúdos. Por exemplo: Grupo de Dúvidas para o Enem 2017.

 

Em tempo real

Quando se é vestibulando, no seu horário de estudos é bem provável que outras pessoas também estejam fazendo a mesma atividade.

Nesse momento, um exercício mais complicado, alguma dúvida pontual ou mesmo alguma sacada que o estudante tenha percebido podem ser compartilhadas.

A tendência é que o grupo interaja em tempo real e, assim, enriqueça os estudos com a ajuda de ferramentas digitais.

Em alguns casos, dependendo do relacionamento entre alunos e professores, ou professores particulares, se for o caso, a sugestão é que até o docente também faça parte do grupo.

Nesse caso, por exemplo, o mestre pode estipular alguns horários específicos para sua interação.

A vantagem do WhatsApp é a possibilidade de envio de fotografias, áudio e vídeo.

 

Facebook e aprendizado

Em outras redes sociais, como é o caso do Facebook, a interação para revisão e dúvidas de conteúdo também pode acontecer.

As propostas podem ser definidas desde a criação, também, de grupos sobre determinados temas, que receberiam apenas postagens e mensagens desse assunto.

Outra hipótese está em participar de páginas específicas sobre esses assuntos, estudos, tira-dúvidas, etc.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.