text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Cursar Medicina no exterior: quase 50% dos formados reprovaram em alguma edição do Revalida

      

Estudantes frequentemente procuram graduação em Medicina no exterior, com a intenção de concluírem o curso e validar o seu diploma em território nacional por meio do Revalida, o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeira.

Informações levantadas pelo portal G1 mostram que os mais de sete mil candidatos que se inscreveram no exame desde a sua criação tiveram desempenho mediano, uma vez que 47,4% do total teve reprovação.

Conheça mais sobre o exame e a estatística aqui na Universia.

 

O curso e a carreira do profissional de Medicina

 

O Revalida

O exame Revalida foi instituído por portaria interministerial no ano de 2011, sendo responsabilidade do Inep, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira.

Com o objetivo de validar diplomas de médicos formados em instituições no exterior, o Revalida é categorizado como “rigoroso processo avaliativo”, de acordo com informações do portal oficial.

A prova é constituída por duas fases: uma avaliação escrita e outra que mensura habilidade e desempenho clínico para o exercício profissional da Medicina. Ainda segundo o Inep, a aprovação em ambas as fases é “demonstrativo da competência técnica (teórica e prática) do graduado”.

Na prática, a revalidação acontece por meio de uma lista de IES públicas brasileiras, que recebem os dados dos candidatos e procedem com a validação e registro dos diplomas em território nacional. A IES é escolhida pelo candidato no ato da inscrição. São mais de 40 universidades de várias regiões do país, compreendendo federais, estaduais e fundações.

 

Maioria de brasileiros

Os brasileiros representam a maior parte dos inscritos considerando todas as edições do Revalida, constituindo 51,9% das inscrições e 52,9% entre os aprovados. A última edição do exame está em status pendente (com a 2ª etapa ainda dependendo de agendamento).

De acordo com dados fornecidos pelo Inep e organizados pelo G1, entre 2011 e 2016, o Brasil é seguido pela Bolívia, Cuba e Colômbia em representação na prova.

O Revalida 2017 mostra número recordista de inscrições: 7.379 profissionais que estão tentando a revalidação. Apenas 963 foram aprovados para a segunda etapa, sendo que o registro ainda não é definitivo –dada a existência de inscrições suspensas e que aguardam definições judiciais.

 

Baixa aprovação

A reprovação no Revalida aparece em grandes números, sendo que cada edição aprovou, em média, 21% dos participantes. Levando em conta apenas os profissionais brasileiros formados no exterior, a aprovação média foi da ordem de 20,7%.

Onze profissionais tentaram todas as edições do exame, enquanto mais de 5.500 só realizaram a prova uma vez.


Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.