text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Conselho defende franquias universitárias

      
O Conselho Nacional de Educação (CNE) aprovou uma proposta de modificação da legislação educacional que pode abrir brecha para a implantação no país de um sistema de franquias no ensino superior. A proposta do CNE é de conceder aos centros universitários a mesma autonomia já oferecida às universidades, inclusive para abrir cursos fora de suas sedes.

A proposta do CNE foi enviada como sugestão de decreto ao ministro da Educação, Paulo Renato Souza. Segundo a proposta, centros poderiam registrar diplomas Pela proposta, os centros passariam a ter poder de registrar diplomas, ampliar número de vagas e abrir cursos fora de sua sede. Se o decreto for baixado pelo governo, os centros universitários que não tiverem estrutura para montar cursos fora de sede poderão emprestar sua autonomia a terceiros criando o que é conhecido no jargão dos dirigentes de instituições de ensino superior como a franquia universitária.

A proposta foi aprovada na semana passada na Câmara de Ensino Superior do CNE. O texto do decreto foi remetido ao ministro Paulo Renato, que pode ou não aceitar a sugestão. O relator da proposta, conselheiro Lauro Zimmer, sustentou em seu voto que os centros universitários vêm tendo seu desempenho prejudicado por entraves burocráticos, entre eles o impedimento de não ter poder para registrar os diplomas de seus formandos, que devem ser submetidos a uma universidade. No caso do direito de abrir cursos fora da sede, Zimmer argumentou que a autorização depende de aprovação do Ministério da Educação (MEC). Por isso, ele condicionou o benefício apenas aos centros universitários que já foram submetidos a uma avaliação de credenciamento feita pelo MEC.

Conselheira é contra benefício aos centros A conselheira Marília Ancona registrou seu voto vencido em separado. Ela alegou que os centros universitários não podem ter os mesmos benefícios que têm as universidades. A razão é que os centros não precisam cumprir as mesmas exigências impostas às universidades que devem ter pelo menos um terço dos professores em regime de tempo integral e com titulação de pós-graduação.

Fonte: O Globo
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.