text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Eleição para reitor da UEMG vira ato de protesto

      
A primeira eleição para escolha do reitor da UEMG (Universidade do Estado de Minas Gerais) foi marcada, ontem, pelo protesto dos alunos das nove instituições particulares de ensino superior do interior do Estado agregadas à universidade. Inconformados com as normas que regem a eleição impedindo que estudantes, professores e funcionários das unidades não estadualizadas participem da escolha do novo reitor , cerca de 70 alunos invadiram a reitoria para protestar contra as eleições.

O pleito, entretanto, transcorreu normalmente e os resultados serão divulgados hoje, a partir das 10h, na sala dos conselhos da reitoria, na Praça da Liberdade. Segundo Fernando César Gomes, de 23 anos, aluno de Letras da Fundação Educacional de Divinópolis, os estudantes das unidades agregadas não se conformam de ser excluídos do processo. Nós já sofremos por não pertencermos efetivamente à universidade.

Como as unidades ainda são particulares, até mensalidades nós pagamos. Somos preteridos em tudo, e não temos nem direito de escolher o próximo reitor? Assim esta situação ambígua de sermos ou não uma universidade pública tende a se estender , reclama.

A presidente da comissão eleitoral, Ana Adelina Lins, recebeu os manifestantes, mas explicou que o Conselho Universitário, órgão máximo de deliberação da universidade, decidiu que o estatuto da universidade só poderá ser revisto quando a UEMG tiver um reitor eleito. Em 13 anos de história, a universidade foi dirigida por reitores que não tinham vínculos com a instituição, nomeados por governadores. Os estudantes registraram um documento de repúdio às eleições. O resultado conhecido hoje poderá não ser definitivo.

Conforme legislação federal, a eleição para a reitoria é uma mera consulta à comunidade. A lista tríplice final a ser encaminhada ao governador Itamar Franco será elaborada pelos integrantes do Conselho Universitário, que podem respeitar a consulta à comunidade ou apontar uma nova chapa vencedora. Da mesma forma, o governador Itamar Franco tem liberdade para nomear qualquer um dos candidatos.

Disputa

Três chapas disputaram a preferência dos eleitores. A chapa 1, composta pelos professores Eduardo Santa Cecília e José Arnaldo da Matta Machado, a chapa 2, dos professores José Cosme Drummond e Domingos Sávio Lins Brandão, e a chapa 3, encabeçada pelo atual reitor, José Antônio dos Reis, e Janete Gomes Barreto Paiva. Cento e um professores, 56 funcionários e 3,8 mil alunos de Belo Horizonte tiveram o direito de participar da eleição. O voto dos professores, com peso de 70%, define o resultado

Fonte: Estado de Minas
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.