text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Professores temem fechamento dos cursos

      
Vários professores manifestaram sua indignação quanto à possibilidade de fechamento dos cursos de Letras/Português e Normal Superior do campus da Uespi (Universidade Estadual do Piauí) em Altos (42 km de Teresina). Eles disseram que a prefeita Elvira Raulino (PSDB) está transformando uma questão vital para a evolução do ensino fundamental em mera disputa política com o esquema do governador Hugo Napoleão (PFL). "Ela quer indicar os cargos de coordenação e chefia da Uespi em Altos", afirmou o professor Francisco de Paulo Sampaio.

"Não que nós professores tenhamos algo a ver com isso. Nossa parte diz respeito à continuidade dos cursos para que possamos garantir a efetiva qualificação dos nossos professores". A professora Iêda Fontenele, que estuda no campus da Uespi e é uma das dirigentes do Sindicato dos Servidores Municipais, declarou que a LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) exige que até 2007 todos os professores, mesmo aqueles da educação básica, devem possuir diploma de curso superior, caso contrário não poderão continuar em sala de aula. Desde o início do atual governo que a prefeita de Altos vem tendo problemas com a direção da Uespi.

Ela alega que repassa mensalmente a quantia de 7 mil reais para a direção da universidade e que por isso teria direito de indicar os cargos de confiança do campus de Altos. A prefeita declarou, através de assessores, que o campus funciona por causa dos recursos repassados pela Prefeitura, não sendo justo, portanto, que outros venham a tomar de conta da direção. No seu entender, é ela quem tem o direito de indicar os cargos de confiança da instituição.

No início do governo, logo que seus correligionários foram destituídos dos cargos que ocupavam durante o governo Mão Santa, ela mandou retirar do campus equipamentos eletrônicos, como TV e vídeo, que tinham sido doados pela Prefeitura, e cadeiras. O governo do Estado repôs os materiais retirados. Há denúncias ainda de que os antigos diretores teriam deletado arquivos de computador e destruído outros materiais de expediente, dificultando o trabalho da equipe atual.

O médico e ex-prefeito José Batista Fonseca, presidente do diretório municipal do PFL e coordenador político do governo no município, garantiu que os alunos não serão prejudicados. "Caso a prefeita não honre o débito, pediremos ao governador que ele assuma, com o fim de não prejudicar os professores estudantes.

Fonte: Jornal Meio Norte
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.