text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Inflação de faculdades

      
De fins de semana ou caça-níqueis, a verdade é que o País vem sendo assolado por escolas superiores cujo ensino deixa muito a desejar. Faculdades de Medicina que não oferecem ao estudante a prática só aprendida no hospital-escola; de Direito, que agora querem reduzir de cinco para três anos o período do curso de bacharelado; de Engenharia, que também não garantem ao futuro profissional um embasamento teórico e prático compatível com exigências da atualidade, entre outras, não podem preparar pessoas habilitadas para os desafios da vida prática.

Com a estagnação das vagas nas universidades públicas, esta pletora de escolas superiores se fez em nível nacional.Condescendente, o Ministério da Educação autorizou cursos nem sempre capacitados, embora plenamente rentáveis para seus proprietários.

O resultado são os índices negativos em avaliações posteriores, inclusive no "provão". Na área de Medicina, extinguiu-se a disciplina Tisiologia, embora a turberculose continue a incidir e a matar milhares de brasileiros. Bacharéis sãm de faculdades de Direito sem sequer saber preencher um requerimento; engenheiros mostram-se despreparados para garantir cálculos estruturais fundamentais a uma edificação.

A lista é grande nesta esteira do ensino superior transformado em balcão de negócios. Além de profissionais despreparados, jogam-se nas costas da sociedade os equívocos ou os erros crassos que impõem todo tipo de prejuízos, dos materiais ao sacrifício da vida, pela incompetência de profissionais que deveriam ser exímios na sua defesa e, no entanto, antecipam a morte ou provocam, por inabilidade, seqüelas irreversíveis em pacientes entregues a seus cuidados, ou descuidados.

Fonte: A Tarde
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.