text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Fenaj defende diploma de jornalista

      
A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) lançou nacionalmente a campanha com o slogan "Sou jornalista por formação - qualidade de informação por respeito à sociedade", para mobilizar profissionais, professores e estudantes das faculdades de Comunicação e empresários do setor. O principal objetivo é defender a qualidade da formação profissional e barrar na Justiça a liminar da juíza substituta da 16ª Vara Cível da Justiça Federal de São Paulo, Carla Rister, que extingue a obrigatoriedade da formação superior em jornalismo para o exercício da profissão.

A campanha foi lançada em Salvador, no auditório da Faculdade de Comunicação Social (Facom) da Universidade Federal da Bahia. A reduzida participação dos interessados surpreendeu os organizadores. Principalmente a ausência dos coordenadores dos cursos de jornalismo das faculdades, sobretudo das particulares, que podem mais rapidamente ser atingidas pela liminar, com a desistência dos alunos dos seus cursos.

O professor Elias Machado, da disciplina Jornalismo Impresso, da Facom, destacou que é essencial que não se discuta a questão do ponto de vista corporativo, como se a categoria quisesse uma reserva de mercado. Segundo ele, é preciso perceber que o jornalismo exige uma especialização que pressupõe o conhecimento de técnicas e conceitos para o seu exercício.

Sem a obrigatoriedade do diploma para este exercício, acredita que certamente haverá queda na qualidade em sua prática, o que prejudicará a sociedade brasileira como um todo na sua busca por respeito à cidadania e ao ser humano. énica coordenadora de curso na mesa, a professora Tattiana Teixeira, da Faculdades Integradas da Bahia (FIB), informou que a instituição integrou-se à campanha, realizando um concurso interno de textos que teve como tema "Quero ser jornalista por formação". A vencedora foi a aluna do 1º semestre Gabriela Araújo de Lacerda.

Dois de Julho

A Faculdade Dois de Julho também reuniu estudantes e professores para discutir a obrigatoriedade do diploma para obtenção do registro e exercício da profissão de jornalismo. A presidente do Sindicato dos Jornalistas profissionais do Estado da Bahia (Sinjorba), Heloísa Sampaio, uma das debatedoras, levantou uma questão que preocupa e, ao mesmo tempo, conclama os estudantes a atuarem na luta para derrubar a liminar da juíza Rister. Segundo Heloísa, caso persista a decisão, a presença dos estudantes nas faculdades de jornalismo - hoje são oito em toda a Bahia - torna-se um gasto desnecessário de dinheiro e tempo.

Sampaio informou, ainda, aos estudantes, que todos os registros fornecidos por conta da vigência da liminar têm caráter provisório e serão cassados assim que a categoria vença esta batalha e a decisão da juíza paulista venha a ser derrubada. O professor Welington Aragão, um dos debatedores, teme um retrocesso de todos os ganhos dos jornalistas com a regulamentação da profissão.

O professor e jornalista Leandro Colling, coordenador de curso da Faculdade Dois de Julho, destacou que mobilizará as escolas de comunicação por meio da Redecom da Bahia, instituição que reúne as faculdades instaladas no Estado, colocando a questão da obrigatoriedade do diploma na próxima reunião, que será realizada no Instituto Social da Bahia, que tem a mais nova faculdade de jornalismo de Salvador.

Ao final dos debates, Heloísa Sampaio tranqüilizou os estudantes, afirmando não acreditar que as escolas de comunicação acabem, mas acha que elas terão seu público sensivelmente diminuído, uma vez que ninguém vai querer pagar R$ 500 por um curso quando pode exercer a profissão livremente, sem pagar nada. "Espero que a nossa luta venha a ser fortalecida pelas faculdades", destacou a presidente do Sinjorba.

Fonte: A Tarde
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.