text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Traficantes assustam universitários

      
A violência já não é apenas um tema acadêmico nas universidades. As salas de aula e os campi das instituições têm sido, com freqüência, alvo da ação de bandidos. A unidade Rio Comprido da Universidade Estâcio de Sá virou rota de passagem de bandidos do Morro do Turano, que pulam o muro dos fundos da faculdade para entrar e sair da favela, segundo uma aluna. Na Universidade Federal Fluminense, em Niterói, as aulas de educação física estão suspensas por falta de segurança.

A Sociedade Pestalozzi, em Pendotiba, teve que fechar as portas na segunda-feira por ordem de traficantes da região. O crime entrou na sala e interrompeu a aula de filosofia, na manhã da última terça-feira, na Estâcio. Segundo uma aluna de psicologia, quatro adolescentes, aparentemente drogados, entraram em uma sala do terceiro andar do bloco G e pediram que os alunos ficassem calmos.

''Eles tinham os bolsos cheios de celulares, possivelmente roubados, e dois fumavam maconha. Poderiam estar armados, porque levavam mochilas. Todos os alunos saíram correndo. Quando a segurança chegou, eles já tinham fugido'', contou a estudante. Ela afirma ainda que as aulas noturnas são freqüentemente interrompidas por causa de tiroteios nos morros próximos. A direção da universidade disse não ter conhecimento do fato. ''O diretor do campus não tem nenhum registro de queixa desse tipo. Temos pelo menos 30 seguranças terceirizados no campus. O muro tem quatro metros de altura, não pode ser pulado assim, tão facilmente'', afirmou o diretor da mantenedora da Estâcio, Marcelo Campos.

Fonte: Jornal do Brasil
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.