text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Educação a distância para todos

      
Criar classes virtuais, orientar e acompanhar alunos via Internet e disponibilizar textos e referências de pesquisa para download. A idéia, que parecia distante para os professores de universidades que não oferecem cursos a distância, se tornou realidade através do programa Virtus da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco). Criado há 6 anos, o projeto disponibiliza, gratuitamente, um espaço para todos os interessados em montar uma sala de aula online.

A proposta de criar um projeto como este nasceu da vontade de três amigos e professores da federal pernambucana. Paulo Cunha, André Neves e Marcos Galin desejavam estudar a hipermídia e as suas várias aplicações. A reunião dos três resultou na criação de um laboratório transdisciplinar sobre o tema. "Cada um de nós tinha os seus bolsistas e alguns computadores. Resolvemos juntar tudo", conta Neves.

A união deu resultado. O projeto se desenvolveu e conta hoje com o trabalho de, aproximadamente, 50 pessoas entre pesquisadores, professores, técnicos e alunos de pós-graduação. A viabilidade do projeto é garantida por auto-suficiência. "Todos os nossos custos são cobertos por trabalhos de consultoria e com verbas de pesquisa do CNPq (Conselho Nacional do Desenvolvimento Científico e Tecnológico)", explica. E essa quantia não é pouca, só para a montagem do atual laboratório foram gastos cerca de US$ 250.000.

Considerado um sucesso, o projeto atende aproximadamente 15.000 usuários por dia das mais diversas regiões do país. Segundo Neves, a capacidade total do Virtus hoje é de 30.000 usuários, mas essa quantidade pode ser muito maior. "Podemos expandir esse número em até 20 vezes", afirma.

Além do Virtusclass, o programa Virtus oferece outros serviços como o Pixelbot, um sistema de inteligência artificial que auxilia os internautas em suas pesquisas na Web, e o Crianç@ Web, que conta histórias infantis animadas. Os novos projetos do laboratório de hipermídia da federal pernambucana devem ficar prontos só no próximo ano, mas já prometem ser tão revolucionários quanto os atuais.

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.