text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

MP recebeu relatório ontem sobre nepotismo na UEL

      
Membros da Comissão Processante que apurou casos de nepotismo na Universidade Estadual de Londrina (UEL) entregaram ontem à promotora de Defesa do Patrimônio Público, Leila Schimiti Voltarelli, o relatório final dos trabalhos de apuração. A reitora em exercício, Vera Suguihiro, acompanhou os integrantes da comissão durante a entrega dos documentos.

A promotora afirmou que, por desconhecer o teor do relatório, não poderia se pronunciar antes de se inteirar sobre o assunto que ele enfoca. Leila Voltarelli disse ainda que os documentos serão encaminhados para a promotora Solange Vicentin, também da Promotoria de Defesa do Patrimônio Público.

??Esses documentos fazem parte de um procedimento que já havia sido instaurado, e a promotora Solange dará o encaminhamento necessário??, comentou. A professora do Departamento de Biologia Animal e Vegetal da UEL, ângela Teresa Silva e Souza, que integra a Comissão Processante, disse que o relatório aborda as investigações sobre abuso de poder, que foram divididas em quatro pontos: nepotismo; expansão de gratificações e cargos comissionados; nomeação de assessoria especial e expansão da folha de pagamento.

Segundo ângela, o processo de investigação culminou no indiciamento de quatro pessoas do quadro da UEL. Foram indiciados por nepotismo os servidores Laércio Rodrigues de Oliveira, Antonio Benedito Guirro, Aristeu Pereira de Carvalho e Mário de Almeida. ângela observou que o servidor Guirro havia sido responsabilizado pelo desaparecimento de documentos da Coordenadoria de Recursos Humanos (CRH), mas acabou sendo absolvido porque durante o processo disciplinar tais documentos reapareceram.

Já Oliveira foi indiciado por retirar documentos da UEL e por prestar informações incorretas. Almeida, que já se aposentou, e Carvalho realizaram contratações irregulares. Os três foram julgados pela comissão processante, segundo ângela, que recomendou como pena repreensão ou suspensão. "Mas quem decide se serão punidos ou não é o reitor", observou.

Ela disse que o ex-reitor Jackson Proença Testa foi indiciado pela comissão por abuso de poder nas quatro categorias levantadas. Mas como Testa, Almeida e Carvalho não fazem mais parte do quadro da UEL, a comissão entregou o relatório para o Ministério Público (MP) para que sejam tomadas as medidas judiciais cabíveis.

Fonte: Folha de Londrina
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.