text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Redação é passaporte para a universidade

      
Independente da faculdade e do curso escolhidos, a redação faz parte do processo seletivo e pode definir o começo da vida universitária. ? nessa hora que o candidato a uma vaga mostra se sabe interpretar o que foi pedido e escrever com clareza, coerência, coesão, objetividade e correção gramatical. "A redação mostra a competência do candidato.

Quem faz um bom texto, com certeza emplaca a vaga", afirmou a professora Míriam Orsini Tavares, que trabalha há 25 anos em cursos pré-vestibulares. "Muitas vezes, a redação define o resultado. Não tem como enrolar, como nas provas de múltipla escolha, você se revela no texto", completou a professora Giovanna Spotorno Moreira, que trabalha há 15 anos preparando alunos para o vestibular. Mas, a redação não é nenhum bicho-de-sete-cabeças, garantiu Giovanna. "O tema da reda ção é uma caixinha de surpresas, mas, nem tanto", avaliou a professora, lembrando que as faculdades trabalham temas atuais, muitas vezes polêmicos. Dessa forma, futebol, clonagem, drogas, Internet, reallity shows e eleições estão no topo da lista de temas prováveis para os vestibulares que se aproximam.

"Poderiam pedir, por exemplo, o futebol como ópio do povo ou a ética dos publicitários e da imprensa em geral na campanha eleitoral", apos tou Giovanna, recomendando a leitura de jornais, revistas e artigos de opinião. Além de ler, tem que escrever muito. "Precisa praticar muito para conseguir um bom texto, em um espaço pequeno e em um tempo curto", disse Giovanna Spotorno. Os alunos concordam.

"Neste ano, estou com mais facilidade porque comecei a praticar. Antes, estudava Biologia e Química, mas a redação é um diferencial", disse Danielly Ramos, 19 anos, que tenta uma vaga de Medicina e acredita que os pontos da redação são decisivos quando o curso é muito concorrido. Herbert Pinto Pereira, 19 anos, que também tenta uma vaga no curso de Medicina, conta que a redação foi responsável por sua eliminação no último vestibular e que, por isso, começou a praticar mais. "Tem gente que tem bons argumentos, mas não consegue passar para o papel. Não adianta nada", disse. Até uma boa discussão com os amigos pode ajudar na hora de fazer uma redação.

Além de ler livros, jornais e revistas, Inácio Alberto Ribeiro Mariani, 18 anos, que quer fazer Jornalismo, acredita que uma boa discussão serve para treinar os argumentos e "pegar novas opiniões". Raciocínio lógico é o segredo Na hora de fazer a redação, além de dominar o tema, o candidato a uma vaga universitária deve estar atento à estrutura do texto e à correção gramatical.

Ele deve defender um ponto de vista a respeito do assunto proposto, apresentando argumentos que comprovem e sustentem esse ponto de vista, seguindo uma sequência lógica de raciocínio, com introdução, desenvolvimento e conclusão. Um roteiro pode ser útil para organizar, selecionar e eliminar idéias, já que o espaço é reduzido. Algumas faculdades pedem 20 linhas, outras, 100 palavras, o que corresponde, em média, a 12 linhas. "Um esquema pode ser interessantíssimo, mas tem que ser breve, por causa do tempo. ? bom anotar palavras, expressões e idéias", sugeriu a professora Giovanna Spotorno.

O assunto deve ser tratado sem rodeios e sem repetições desnecessárias. "O aluno não deve generalizar muito, deve argumentar usando fatos e dados da realidade para embasar sua opinião. Não precisa tomar partido, principalmente se for um tema polêmico, mas mostrar aspectos favoráveis e contrários, ou causas e consequências", explicou Giovanna. Gírias e coloquialismos, chavões e clichês também devem ser evitados. Não esqueça do título. A correção ortográfica também vale pontos. O texto deve ser escrito na terceira pessoa, exceto quando se trata de uma carta.

Provão acontece no sábado

No próximo sábado, das 13 às 17 horas, os estudantes que estão concluindo o curso universitário em 24 áreas de conhecimento farão o Exame Nacional de Cursos, o provão, em todo o país. Os inscritos devem chegar nos locais de provas com 45 minutos de antecedência, levando dois lápis preto, apontador, borracha e caneta esferográfica preta. Também é necessário apresentar o documento de identidade usado na inscrição, o Cartão de Informações do Graduando (CIG) e o questionário-pesquisa preenchido com antecedência. Não é permitido fazer consultas nem usar aparelhos eletrônicos, como celular, bip e calculadora.

Quem não recebeu o CIG em casa, através dos Correios, deve conferir o lugar onde fará prova na coordenação do curso em sua faculdade, no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (Inep), acessando o endereço eletrônico www.inep.gov.br, ou através do serviço Fala Brasil, do Ministério da Educação, no número 0800-616161. Quem estiver sem o CIG poderá fazer a prova apresentando o documento de identidade. Os candidatos receberão o resultado do provão em casa, no final do ano.

Quando a faculdade obtém três conceitos negativos consecutivos, ela perde o reconhecimento do Ministério da Educação (MEC) e não pode mais realizar vestibulares nem dar diploma para seus alunos, exceto para a turma que está se formando. Nesse caso, a faculdade tem um ano para superar as dificuldades ou ser fechada definitivamente.

Doze faculdades estão nessa situação. Muitos candidatos a uma vaga universitária consultam o resultado do provão antes de escolher a faculdade. ? o caso de Darlene Freitas, 22 anos, que quer uma vaga no curso de Direito e sempre acompanha os resultados das faculdades no provão. No entanto, muitos outros estudantes não levam o provão a sério. "Não desistiria da vaga de forma alguma por causa do conceito da faculdade no provão", disse Karoline Grossi, 21 anos, que está fazendo vestibular para Medicina. "Nem procuro saber o resultado, porque não acho que ele mostra o que a faculdade é", acrescentou Grace Grandioso Foureaux, 20 anos, que também quer ser médica.

Arthur Lana, 19 anos, conta que sua escolha é baseada no prestígio da faculdade. "Procuro saber o histórico da faculdade e peço a opinião de quem estudou lá", disse. "Um resultado negativo atrapalha um pouco a imagem, mas a pessoa não deixa de escolher a faculdade por causa disso", disse João Batista Dias, 18 anos.

PROCESSO SELETIVO 2002
Dicas para a dissertação e o dia da prova

DISSERTAۂO
Introdução: apresentação da tese. Pode começar com uma afirmação, uma interrogação, uma definição ou uma citação
Desenvolvimento: defesa da tese com base em argumentos. Nesse momento, são expostos fatos, exemplos, dados estatísticos ou históricos, testemunhos

Conclusão: síntese da tese
Temas possíveis: copa do mundo, clonagem, drogas, reality shows, eleições, publicidade e imprensa na cobertura eleitoral, Internet, violência, desigualdade social
O texto deve ter: coerência, coesão, concisão, clareza, objetividade, correção gramatical e vocabulário formal

NO DIA DA PROVA

Para evitar confusões e atrasos: o candidato deve se informar, com antecedência, sobre o local onde fará prova, conferindo acessos mais fáceis de carro ou horários de ônibus. Ele deve chegar ao local de prova com, no mínimo, 30 minutos de antecedência
Levar: cartão de inscrição, documento de identidade, lápis, borracha e caneta azul ou preta. Não é permitido usar aparelhos eletrônicos, como celular, bip e calculadora. Algumas faculdades também não permitem o uso de boné.

Fonte: Hoje em Dia
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.