text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Docentes de universidades discutem proposta

      
Representantes dos professores e dos funcionários das três universidades estaduais ? USP, Unicamp e Unesp ? discutem hoje proposta de reajuste salarial feita pelo Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp). Os servidores querem 16% de reajuste. As universidades concederam 8% e vinculam novos reajustes a aumento da arrecadação do ICMS, principal fonte de recursos das instituições. O Cruesp voltará a discutir salários somente em outubro. Ontem, dos 15 campi da Unesp, os de Marília, Assis e Bauru estavam paralisados. Em Presidente Prudente, somente os funcionários cruzaram os braços.

A Associação dos Docentes da Unesp (Adunesp) informou que em Botucatu os funcionários também não trabalharam. Segundo o balanço da instituição dos 7.500 funcionários, 690 ficaram parados e dos 3.300 docentes, 681 não trabalharam. A Unicamp informou que não houve paralisação. A USP informou que aproximadamente 1.000 funcionários não trabalharam.

A universidade tem 15 mil funcionários. Os 5.000 docentes trabalharam. A USP enfrenta ainda a insatisfação dos alunos do curso de letras, que reivindicam a contratação de professores e o fim da superlotação das salas de aula. Hoje pela manhã os alunos protestam fantasiados de fantasmas, durante seminário que acontecerá no prédio da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA).

Fonte: Diário de São Paulo
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.