text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Começar de novo

      
Quem passa no vestibular aproveita a festa no dia do resultado. Não há tinta ou chuva de ovos capaz de espantar os vencedores. Os que não têm mesma sorte sãm de fininho, sem fazer barulho. ângela de Souza Paiva, 18 anos, fez questão de ficar para a bagunça dos calouros, mesmo sem ter motivos para festejar. Ela não passou para Direito, o maior sonho de sua vida. Mas estar ali, entre os vitoriosos, foi como uma lição para a estudante. ??O baque de ver os meus amigos morrendo de felicidade me deu força para querer o mesmo para mim??, diz.

Também foi no meio da farra dos aprovados que ângela se deu conta do quanto precisará se dedicar daqui em diante. Uma das primeiras medidas foi planejar um calendário rígido de estudo. Um dia depois da má notícia, a estudante se matriculou no segundo cursinho. Desde então, estuda todos os dias, uma média de seis horas, além das aulas.

Até aí, as táticas são as mesmas do semestre passado. O que mudará a partir de agora é a postura da estudante diante da rotina. ??Antes desperdiçava muito tempo com as conversas. Me separei dos amigos em sala de aula para aproveitar melhor as explicações??, conta a vestibulanda. Além disso, vai estudar com mais afinco as matérias menos queridas, como Matemática e Física, e reservar o final de semana para atualizar a leitura de revistas e jornais.

Se tudo der certo, ângela pretende voltar ao teatro de arena da UnB em janeiro como caloura do Direito. Então, será mais um motivo de orgulho para os pais. De seus cinco irmãos, três cursam a faculdade. Uma das irmãs terminou Biologia na UnB. ??Por isso, em casa a cobrança é grande??, comenta. ??Mas não maior que a minha. Preciso provar para mim mesma que sou capaz de conquistar esse sonho.?? (Lilian Tahan)

Como você conseguiu passar no vestibular da UnB?

"Esse foi o meu quarto vestibular para Medicina. A diferença dessa vez foi estudar com muita concentração e ter uma meta. Não desistiria de jeito nenhum de estudar na UnB, mas confesso que as derrotas não foram nada fáceis. Agora tenho noção de que valeu a pena. Dedicava cinco horas de estudo, além do cursinho de segunda a sexta-feira, e procurava não exagerar na bagunça nos finais de semana."

Saulo Morais Rodrigues de Castro,
19 anos, aprovado para Medicina

"No meio do ano passado, vim buscar o resultado nesse mesmo lugar, mas saí daqui muito triste. Era a terceira vez que tentava o vestibular da UnB. Agora, que passei, foi maravilhoso. Termina aqui um ciclo da minha vida. Ralei demais para conseguir. Fiz três cursinhos e estudava uma média de sete horas por dia, além das aulas. Com o tempo, ganhei muito conhecimento e desenvolvi uma estratégia para fazer a prova. Além disso, procurei ficar tranqüilo na hora da prova."

Petter Ricardo de Oliveira,
19 anos, aprovado para Psicologia

"Não sou uma pessoa muito estressada e acho que isso contou na hora de fazer as provas do vestibular. Tanto é que não me matei de estudar. Me dediquei mais nos primeiros dois meses e depois dei uma descansada. Fiz cursinho, mas o fato de ter uma boa base no ensino médio foi fundamental para passar na segunda tentativa. Quem deixa para estudar só no cursinho acaba tendo mais dificuldades, porque o conteúdo é muito corrido."

Fonte: Correio Braziliense

  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.