text.compare.title

text.compare.empty.header

Notícias

Enem é descartado como forma de ingresso na UFPB em 2003

      
Por enquanto, o aproveitamento dos resultados das provas do Enem para ingresso na UFPB está descartado.A informação é do presidente da Coperve, professor João Lins, no encerramento do primeiro Seminário de Avaliação do PSS-Processo Seletivo Seriado, evento realizado ontem no auditório da Reitoria da UFPB.

Segundo o professor, o PSS está mantido para 2003 nos mesmos moldes do que foi realizado este ano.

O Enem - Exame Nacional do Ensino Médio - já está sendo aproveitado parcialmente no processo de ingresso em 36 Instituições de Ensino Superior, sendo 13 faculdades de Tecnologia do Estado de São Paulo, 11 Universidades Federais e nove escolas estaduais e municipais. O exame democratiza o acesso de alunos da rede de ensino público às IES e contribui para melhorar a qualidade do ensino médio.

A defesa do aproveitamento parcial dos resultados do Enem como acesso às Universidades foi feita ontem pelo professor Miguel Antônio Borges, da Universidade Federal do Ceará, uma das que adotou o processo.

Segundo o professor Paulo Nakamura, coordenador da Coperve, o Enem traz dificuldades técnicas embaraçosas para ser utilizado como forma de ingresso no ensino superior. O exame só é valido, para ele, como avaliação do desempenho do ensino médio "e com muitas restrições", assinalou.

Alguma mudança que venha ocorrer no sistema de ingresso na UFPB, em decorrência do seminário, só com o aval do Consepe - Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão - a partir de 2004, afirmou o dirigente da Coperve.

A pró-reitora de Graduação da UFPB, professora Iguatemy Lucena, informou que, até o final do evento, ainda não tinha recebido nenhuma proposta concreta sugerindo mudanças na forma tradicional de ingresso na instituição. "O que existia, até aquele momento, eram discussões entre os participantes do seminário, em torno de 300 professores, alunos e dirigentes de escolas públicas e privadas, sobre a viabilidade do Enem e o método tradicional de acesso.

Ela acrescentou que os participantes do seminário interessados em sugerir propostas de mudanças no sistema de ingresso na UFPB terão até o final do próximo mês (setembro) para fazê-lo, através do endereço eletrónico www.ufpb.br, na página da Pró-Reitoria de Graduação. A professora informou, ainda, que a equipe da Comissão Permanente para Melhoria do Ensino da Instituição vai elaborar um relatório com os temas apresentados durante o evento e disponibilizá-lo ´on line' no referido site.

O professor Miguel Borges, que é doutor em Física pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, defendeu o Exame Nacional do Ensino Médio como uma forma de aproximar o número de alunos das escolas públicas que ingressam no nível de ensino superior ao das instituições privadas, diminuir os custos das taxas para esses estudantes, além de modificar a qualidade da educação básica.

Segundo o professor, o ensino médio, atualmente, está treinando estudantes para um processo competitivo, quando deveria prepará-los para o exercício da cidadania, através da capacitação técnica para o mundo do trabalho. Na opinião do docente, essa é uma das condicionantes para o Brasil se tornar um país produtor de tecnologia, "já que atualmente apenas imita o que é produzido nas sociedades desenvolvidas", destacou.

Fonte: UFPB
  • Fonte:

Tags:

Aviso de cookies: Nós usamos cookies próprios e de terceiros para melhorar os nossos serviços , para análise estatística e para mostrar publicidade. Se você continuar a navegar considerar a aceitação de seu uso nos termos estabelecidos nos Política de Cookies.